Beneficiários e instrutores do PROJOVEM só tão vendo dinheiro de 3 em 3 meses em Codó

projovemurbanoO Projovem, destinado a jovens de 15 (quinze) a 29 (vinte e nove) anos, segundo o Governo Federal, tem o objetivo de promover sua reintegração ao processo educacional, sua  qualificação profissional e seu desenvolvimento humano.

No Brasil, é desenvolvido por  meio das seguintes modalidades:

I – Projovem Adolescente – Serviço Socioeducativo;

II – Projovem Urbano;

III – Projovem Campo – Saberes da Terra; e

IV – Projovem Trabalhador.

O município de Codó já trabalha com as modalidades Adolescente, Trabalhador  e Urbano. Não sabemos quantas pessoas são hoje beneficiárias do programa, mas não são poucas. Constantemente o PROJOVEM tem aparecido na mídia não pelo que há de relevante em suas ações, mas pelos frequentes atrasos no pagamento, inclusive dos instrutores.

Ontem (21) o blog recebeu mais um telefonema de alguém que não quis se identificar. Falava do problema de sempre, na atualidade todos já estão há 3 meses sem receber um centavo do PROJOVEM.

Em suas explicações, a denunciante, indignada, fez uma comparação interessante – sustentou que ninguém faz compromissos para pagar de 3 em 3 meses, por isso deveriam receber seus vencimentos mensalmente, como o resto do mundo.

“Quando sai, sai os três meses, mas aí é aquela coisa tínhamos que receber era todo mês, todo mês por que a gente não faz conta de 3 em 3 meses, a gente  não come de 3 em 3 meses, a gente não paga supermercado de 3 em 3 meses”, reclamou  a denunciante

DINHEIRO QUE CHEGA

O blog não conseguiu achar o montante já repassado este ano para o programa aqui no município, mas levando em conta o ano de 2011, quando a Secretaria de Assistência Social, segundo o Portal da Transparência, recebeu  R$ 90.450,00, só pelo ProJovem Adolescente, agora , que temos mais modalidades, o ano deve fechar com um valor bem maior.

Ou seja, seria muito interessante que o governo se manifestasse a respeito porque a União dificilmente atrasa repasse de verba ‘carimbada’.

Por mais humilde e oprimido que seja um trabalhador desse Projovem, que não pode botar a boca no trombone por razões que devemos entender, este trabalhador e os beneficiários também merecem respeito – o mínimo seria saber porque precisam passar necessidades básicas, como deixar de comprar alimentos pra família, durante três meses até receber o pagamento.

3 comentários sobre “Beneficiários e instrutores do PROJOVEM só tão vendo dinheiro de 3 em 3 meses em Codó”

  1. o salário da secretaria era pra ser pago de 3 em 3 meses também ai ela ia saber o que é passar necessidade sem poder comprar no comércio, por que ninguém vai vender para receber com 3 meses.

Deixe uma resposta