Casal de idosos que vive junto há mais de 50 anos torna-se o primeiro a receber vacina contra o CORONAVÍRUS em Codó

Depois da primeira pessoa a receber a vacina, que foi a técnica de enfermagem Rejane Marinho Queiroz, socorrista da ambulância do HGM, um casal de idosos morador do povoado Santo Antonio dos Pretos foi também beneficiado neste primeiro dia de vacina dentro de Codó.

Trata-se de dona  Maria dos Anjos, de 77 anos, e de seu esposo Francisco Salazar, de 93 anos de idade. Segundo a filha que os acompanhava no momento da vacinação, eles vivem juntos há mais de 50 anos.

6 comentários sobre “Casal de idosos que vive junto há mais de 50 anos torna-se o primeiro a receber vacina contra o CORONAVÍRUS em Codó”

  1. Gostaria que meus pais também fossem imunizados logo,pois ele nem se quer tomaram a vacina da gripe ano passado, pois toda vez que levamos eles diziam que tinha acabado, ele são casados a 58 anos ,minha mãe tem 84 anos e meu pai 89, ele por sua vez é diabético e hipertenso ,ele moram na rua da estrela n1209 bairro São Pedro

  2. Gostaria que meus pais também fossem imunizados logo,pois ele nem se quer tomaram a vacina da gripe ano passado, pois toda vez que levamos eles diziam que tinha acabado, ele são casados a 58 anos ,minha mãe tem 84 anos e meu pai 89, ele por sua vez é diabético e hipertenso ,ele moram na rua da estrela n1209 bairro São Pedro

  3. QUESTIONO:

    O casal faz parte da linha de frente ao combate da pandemia?

    Caso não seja, lembro que a 1a. fase da vacinação é imunizar os (as) profissionais que atuam contra a pandemia.

    A propósito, foi apresentado o plano de vacinação do município de Codó?

    Estamos de olhos abertos!

  4. Sra. Francisca Souza,

    Eis o motivo do meu questionamento…

    Qual o critério adotado para a vacinação desse casal de idosos?

    O que os tornaram “privilegiados” em relação aos demais idosos do município (inclusive seus pais)?

    Anos de união? Moradores da zona rural? Quilombolas?

    Lembremos que a prioridade são os profissionais que atuam na linha de frente contra o vírus, e que o sucesso da vacinação depende do rigor na sua execução.

  5. Este placebo não serve pra nada, manda uma dosagem ínfima para uma população enorme, se bem como é teste o intuito pode ser “Se der errado” não serão 120k* precisando de hospital simultaneamente apenas 700* fica a logica.
    * valores aproximados

Deixe uma resposta