Escola Santa Filomena realiza elogiada Jornada Científica e Cultural

Crianças com consciência ecológica se divertem reciclando
Crianças com consciência ecológica se divertem reciclando

Do infantil ao nono ano, todo mundo teve que desenvolver alguma atividade para a Jornada Científica e Cultura da escola Santa Filomena, popular Convento.

A turminha da professoa Méssia Cutrim transformou garrafas pet em brinquedos e utilitários domésticos.

“A garrafa pet tem várias utilidades, nós fizemos flores, borboleta para que eles não fossem jogados destruindo o nosso planeta”, explicou

AS CRIANÇAS E OS ALIMENTOS

Quem quisesse saber mais sobre alimentos era só entrar na sala de Gabriela Gomes (6 anos) e Paulo do Nascimento Trindade (6 anos),  dupla bem capacitada para receber os visitantes.

“Alimentos de origem animal, esses alimentos devem ser consumidos em menor quantidade”, abria a explanação Gabriela, no que completava seu parceiro Paulo

Turma da Linguagem e os Meios de Comunicação
Turma da Linguagem e os Meios de Comunicação

 “Esses alimentos são proteínas e cálcio e vitaminas, devemos ter cuidado com o armazenamento desses alimentos”, concluia

SAÚDE BUCAL

E se o interesse era por saúde bucal, Isadora Laura Duailibe de Alencar  ia direto ao  que é mais importante.

“Escove sempre os dentes e também use fio dental, isso pode ajudar também na higiene bucal”, recomendava  a jovem mocinha, vestida a caráter, com voz forte aos que chegavam à sua mesa cheia de escovas e demonstrativos para aulas sobre assunto.

Os adolescentes trabalharam vários temas. Safira Lima, do 9º ano, passou uma manhã inteira explicando coisas sobre o origem do universo para filas e mais filas.

 “As teorias religiosas afirmam que o Big Bang foi algo planejado por Deus e Deus quis que acontecesse o Big Bang. A teoria fíica acredita no fato que causa  o big bang que foi a causa de vários elementos que estavam no espaço justamente com massa e energia”, repetia a adolescente para aqueles que aguardavam sua vez de entrar na tenda montada por sua equipe onde, agora sentados, os visitantes ouviam outras explicações entre luzes coloridas, fumaça e vídeos com imagens do cosmos.

O BRAILE DE JANAÍNA

No tema  Linguagem e os Meios de Comunicação, a evolução em exposição – da máquina de datilografia aos tablets, estavam sobre uma mesa. Mas nada chamava mais a atenção que Janaína Alves, de 15 anos, falando sobre Charles Barbier e Louis Braile,  criadores da escrita, SE COMUNICANDO  em braile.

 “Aqui na leitura que eu fiz vocês podem tá percebendo que Luis Braile foi quem inventou, mas não foi Charles Barbier, Louis  Braile ficou muito conhecido porque ele deu continuidade ao trabalho de Charles, então aos 15 anos ele começou a desenvolver essa escrita”, explicava passando os dedos sobre o braile.

A nossa reportagem, ela, que já está no ano final do Ensino Fundamental em sala convencional, falou sobre  relação do Braile com a Linguagem.

 “O braile ele é muito utilizado pelos deficientes visuais e aí ele é uma escrita e é uma linguagem porque a pessoa pode transmitir ela através da escrita”, justificou

UMA JORNADA DE SUCESSO

Para os organizadores foi um momento de interação social, muito bem sucedido.

“ fazer essa interação social também, porque a feira também tem isso essa interação social comunidade, escola, alunos, pais (…) a nossa análise é a melhor possível (…) um trabalho gratificante pra nós como professor, nosso objetivo é esse forma cidadãos”, garantiu o professor Ricardo Moscow

Deixe uma resposta