Infraestrutura da Santa Luzia impede coleta de lixo e até socorro médico

Andar na rua Santa Luzia, bairro Codó Novo, é ter que enfrentar a erosão causada pela água das chuvas que seu Martins Lima ver descer morro abaixo desde 2002 quando mudou-se para a cidade.

“aí não pode nem ajeitar a propriedade da gente porque nem rua num tem (…) Aqui eu mudei a rua daqui pra rua do Boqueirão, rapaz…POR QUÊ? Porque no inverno aqui é uma grota d’água bonita”, disse ironizando a situação. VÍDEO FEITO PELO BLOG

E os problemas vão além  da descida perigosa, dos buracos e do mato.

Por causa da falta de infraestrutura sanitária cada família da rua Santa Luzia se vira a seu modo. São comuns banheiros de palha e  fossas sépticas onde todos fazem suas necessidades fisiológicas.

É assim no quintal da  residência de dona Maria Dalva Vieira de Sousa, visitado pela TV Mirante na semana passada,  que ainda não perdeu a esperança de melhores condições de moradia.

 “eu queria que melhorasse mais porque assim é complicado demais…TIVESSE ESGOTO? É, mais ou menos”, respondeu

SEM SAMU e SEM COLETA DE LIXO

Os moradores estão privados até mesmo de acesso à socorro médico com a urgência necessária para  alguns casos. Como a ambulância do SAMU não consegue subir dona Raimunda Fernandes Araújo revelou que os doentes precisam ser levados no braço.

 “Não sobe não…E COMO É QUE FAZ? A gente leva lá pra baixo o doente…OU SEJA, A AMBULÂNCIA ESTACIONA LÁ EMBAIXO…fica estacionada lá embaixo a gente leva, vai com ele aqui nos braços”, garantiu a aposentada

Coleta de lixo domiciliar é outro problema grave. Tem caçamba passando nas proximidades, mas na Santa Luzia é impossível, por isso o fogo é usado para diminuir  o acúmulo.

 “aqui já viu que tem muito buraco, pra subir carro não tem como, ele só vem até aqui embaixo e pronto e a gente é que tem que se virar com o lixo, queimar…QUE FAZ COM O LIXO? Queimar (…) porque não tem condição, a gente não vai ficar com lixo dentro de casa né”, criticou a jovem dona de casa Nágila Viana

Deixe uma resposta