Perdendo 12 e recebendo 15 Codó fechará o ano sem problemas com falta de médicos

Codó está terminando 2018 sem problemas com falta de médicos depois de ter ficado sem 12 vagas do programa MAIS MÉDICOS, aquele em que o Governo Federal pagava R$ 10.000,00 para os cubanos.

A enfermeira Karen Cruz em entrevista recente ao repórter Sérgio Róchel, da FCTV, explicou que o município recebeu novos médicos pagos diretamente pelo Governo Federal e também contratou, chegando a 15 novos profissionais atuando nas unidades básicas de saúde, 3 a mais do que perdeu-se no auge da crise entre Brasil e Cuba.

“Já estamos com 4 médicos aqui na zona urbana e dois na zona rural porque o programa ele tem a intenção de levar médicos para os locais de difícil acesso, então os postos que foram contemplados com estes seis médicos do programa MAIS MÉDICOS foram a UBS (Unidade Básica de Saúde) de Cajazeiras, a UBS de Boa Vista do Procópio. Maria das Neves, Maria Ferreira, São Benedito, Santa Rita e assim vai”, explicou

Utilizando a quantidade de dias trabalhados, a Secretaria de Saúde montou uma estratégia de forma que todos os dias sejam com atendimento.

“Só como a gente tinha 12 vagas o nosso prefeito Francisco Nagib se preocupou em tá contratando mais médicos ao todo chegaram 15 médicos então todas as unidades estão abastecidas com estes profissionais (…) o dos programas MAIS MÉDICOS trabalham 4 dias, o convencional (contratado pela prefeitura) 3 dias, então a gente conseguiu fechar a semana inteira aquele determinado posto com médico”, afirmou

Um comentário sobre “Perdendo 12 e recebendo 15 Codó fechará o ano sem problemas com falta de médicos”

  1. Que adianta ter médicos e não ter medicamentos? É uma vergonha pois só é medicado Dipirona. Isso é porque as autoridades da cidade não procuram atendimento médico local, quando precisam vão para São Luis, Teresina e outras capitais. O povo que se dane.

Deixe uma resposta