Plano da Secretaria é priorizar por excedentes para acabar com falta de professores em Codó

Há alguns anos os alunos  da Rede Pública Municipal começam o ano com falta de professores nas escolas.

De acordo com informações da própria Secretaria Municipal de Educação as disciplinas de maior ausência são Inglês, Língua Portuguesa e Matemática.

O problema ocorre porque o número de professores concursados não é suficiente para todas as escolas, por conta disso é preciso contratar e sempre o ano letivo começa sem que este processo de contratação tenha sequer sido iniciado.

Na espera os alunos são prejudicados e a maioria, entre os quais inclui-se a jovem Talita da Silva, que cursa o 8º ano do Ensinto Fundamental, reclama deste prejuízo anual.

 “Porque a gente vai embora cedo…DAÍ PERDE CONHECIMENTO?  perde as aulas”, afirmou

Os pais reclamam porque os filhos ficam perdendo conteúdo dificilmente reposto no decorrer do ano.

 “É muito ruim, Por que as crianças ficam só vindo pra escola, tão perdendo aula e não tem como aprender desse jeito…SEM PROFESSOR? Sem professor não tem como”, frisou a mãe Idenilde da Silva

NA SECRETARIA

Na porta do departamento de Recursos Humanos da Secretaria não faltam professores na esperança de serem contratados.

Ano passado algo em torno de  276 receberam contratos, agora em 2016 ainda não há nem definição de quantos o município, realmente, está precisando e a prioridade será dada para os excedentes do último concurso, de acordo com explicações que nos foram dadas pela diretora do RH da SEMED.

A previsão da secretaria é acabar com o problema até o final de março.

3 comentários sobre “Plano da Secretaria é priorizar por excedentes para acabar com falta de professores em Codó”

  1. O correto é chamar os concursados aprovados e classificados. Não é correto ficar ofertando mais 20 horas para alguns que já são efetivos, e nós esperando que o município chame os excedentes.

Deixe uma resposta