POLÊMICA: Paulo Buzar explica que é preferível 700 professores contratados que o mesmo número de concursados

Ontem,30,  o secretário de Educação, Paulo Buzar, Múcio Oliveira e Délia Assen, da Secretaria de Administração, estiveram na Câmara atendendo à convocação dos vereadores para prestarem esclarecimento sobre por que o município só está ofertando 124 vagas no projeto de lei que busca aprovação para a realização do Concurso Público ainda este ano.

Todas as razões apresentadas giraram em torno da falta de dinheiro para pagar mais pessoas. No exemplo das  49 vagas abertas para cargos de magistério foi apresentado uma estatística dando conta de que só estas vagas causarão um gasto adicional anual de R$ 2.012.000,00 (se resolver chamar os 49 excedentes os custos dobrarão e não há dinheiro para pagar tanta gente, isso só tomando por base o caso da Educação).

Ao usar a fala o secretário de Educação disse que hoje a maioria dos municípios só consegue cumprir a meta fiscal, estabelecida pela Lei de Responsabilidade Fiscal, graças à existência dos professores contratados.

A matemática para o governo é simples. Os contratados ganham menos da metade de um concursado, iniciam o período de contratação mais tarde (geralmente após fevereiro ou no final) e terminam mais cedo, sem qualquer outro encargo.

Não é o caso dos concursados, que ganham muito mais e ainda possuem os benefícios que incham a folha de pagamento o ano inteiro. Por estas e outras razões Paulo Buzar deixou claro, usando outras palavras, que os cerca de 700 professores contratados de Codó são uma bênção para o orçamento municipal e não dá pra conseguir pagar a folha se, por exemplo, todos virassem concursados.

“Graças a precária remuneração desses servidores é que nós mantemos os níveis de prudência em relação a responsabilidade fiscal. Qualquer alteração nisso, pôxa nós deveríamos fazer contrato pra 500 professores, no mínimo, o problema é que a gente não tem, é como ele (Múcio) falou, ele (contratado) vai sair de R$ 1.000,00 para R$ 2.500,00, ou seja, o dinheiro que eu poderia investir em 500 pessoas eu vou investir em bem menos”, disse aos vereadores

15 comentários sobre “POLÊMICA: Paulo Buzar explica que é preferível 700 professores contratados que o mesmo número de concursados”

  1. Gaguejou e não disse nada! Secretário FRACO,não tem dinheiro pra pagar quem realmente tem competência para exercer tais funções, mais tem dinheiro pra manter de cabide de emprego pra familiares dos mesmos que lhes ouvem não é senhor secretário?

  2. nfelizmente em Codó não tem ministerio publico e nem sei se tem promotora ou promotor porque se tivesse ele convocaria UMA AUDIENCIA PUBLICA PARA DISCUTIR O ASSUNTO. Mas como Codó é terra de quem tem DINHEIRO, o povo vai continuar com as portas fechadas a NÃO SER as portas da FC OLIVEIRA para trabalhar debaixo de ESCRAVIDÃO.

  3. Lamentável a fala desse Secretário de Educação, afinal que Educação você defende?
    Contratos é melhor que uma Estabilidade? Para Você que é “manipulado” deve ser mesmo. Secretário de Educação ou “bobo da corte”?
    Apenas, ocupando um cargo com uma Equipe “faz nada”.
    Um Secretário que Não Representa a classe da Educação.

  4. Muitos Professores efetivos estão fora de sala servindo várias secretarias e cargos de confiança. Deveriam está em sala de aula, esse secretário é uma piada, não representa a educação codoense. Tem vereador do alto clero que é concursado da educação recebendo dinheiro sem pisar na escola, pois está a disposição da SEMECTI.

    Você secretário prefere contratados para poder manipulá-los, mas seu cargo, diferente do nosso é temporário! pense nisso!

  5. Deveria está era secretariando o matadouro isso sim.. Resleite os professores, paguem salários dignos aos profissionais da Educação, enquanto vocês passam os fins de semana ostentando os professores passam os fins de semana planejando, fazendo curso de especialização e vocês pagando salário miserável,nós não somos tapados iguais vocês, o troca está chegando…

  6. Minha esposa se formou em pedagogia há cinco anos atrás pela UEMA, na época fui totalmente contra, a profissão mais digna é a de professor, infelizmente é muito desvadesvalorizada e pouco remunerado, Queria que ela se formasse em Ciências Contábeis que é sua área de atuação, mas como era isso que ela queria na época tive que aceitar. Hoje ela viu a besteira que fez, perdeu longos cinco anos, já está fazendo o curso de Ciências Contábeis que é muito mais valorizado e muito mais remunerado, ser professor no Brasil corre se até risco de vida, fui casado com uma professora do município e por inúmeras vezes tive que ir buscá-la no serviço, sobre ameaças de pais e alunos, os marmanjos não estudavam e queriam passar de ano a força. É triste, mais ser educador no Brasil é perda de tempo, corre se risco de vida e perde-se a saúde com o tempo, que o diga minha ex-esposa. Já prevendo isso, preveni minha esposa atual a tempo.

  7. O Sr. Secretário falou o óbvio, claro que servidores contratados, é fácilde ser manipulados, humilhados, subordinados, lógico que pra vocês, é mais conveniente trabalhar com os contratados, por ex: o que dizer do atraso do ano letivo por incompetência desse governo e agora estão obrigando os servidores, principalmente os contratados a irem trabalhar aos sábados, sendo que não irão receber um centavo por isso, ai os contratados tem que obedecer.

  8. Agora é bom vcs ai do governo explicarem, já que não abrem mais vagas pq o município não tem recursos, pq que a secretária do ilustríssimo Paulo Buzar, recebe como cargo comissionado e é professora contratada? Pq tem uma supervisora efetiva dentro da secretaria de Administração enchendo balao? Pq que tem muitos professores efetivos com gratificação e ainda recebem um contrato? senhor Secretário de Educacao e Senhora Secretaria de Administracao, respondam pra população codoense?

  9. Essas conversas dos Secretários de Educacão e Adiministração, tudo balela, falácia, estão só encobrindo os desvios desse governo, infelizmente, quem esperou o tão sonhado concurso pra se tornar estável, terá que esperar entrar um prefeito de respeito pra puder concretizar esse sonho, como pode uma cidade com quase 3 mil contratados, um governo irresponsável e incompetente desse, abrir 124 vagas, palhaçada dessa administração, ano que vem os contratados irão dar a resposta, só assim, o próximo prefeito fará um concurso justo e satisfatório pra população!

  10. Cheio de gente enrolada, posam e discursam de honestos, corretos, mas as secretarias estão cheias de gente na base do jeitinho o que a Joana falou é a pura vdd, e tem muito mais,aos poucos a podridão tá aparecendo.

Deixe um comentário