População pede a parlamentar a volta das rondas ostensivas da PM

Pastor Max
Pastor Max

O Vereador Max Tony (PT do B) falou em nome de toda a sociedade codoense que ficou chocada com o último crime bárbaro ocorrido na cidade. “Quero manifestar meu inconformismo e indignação diante de fatos lastimáveis, como o que aconteceu com a professora Cristiane no último final de semana, morta por uma bala de um marginal na porta de sua casa e diante de seus familiares”, lamentou.

Violência na cidade e no campo

O parlamentar lamentou a tolerância de todos ao nível crescente de violência que ignora o direito à civilidade do povo de Codó, sob o pretexto de que a cidade está crescendo. “Muitas vezes fechamos os olhos para a realidade de que a violência aqui é desproporcional à dimensão de nosso Município e de nossa população. E diga-se de passagem que esta situação não é apenas privilégio da zona urbana, a zona rural também está sofrendo deste mal”.

Código Penal ultrapassado

O edil argumentou que a segurança pública não é prioridade no Brasil, onde a impunidade atende aos caprichos de “gente safada” no Congresso Nacional. Max disse que os políticos nada fazem em relação a uma legislação arcaica e que protege mais os marginais do que o cidadão de bem. “Hoje os nossos bravos policiais prendem e essa lei cheia de brechas vai e solta. Nós somos regidos por um código penal de 1940, que não consegue manter nenhum bandido na cadeia”.

Menores que matam

Assim como todas as famílias indignadas com o acontecido e o alto índice de crimes cometidos por menores de idade, o vereador também foi porta voz do grande questionamento da atualidade, sobre a maioridade penal. “E o que dizer do marginal de 14 anos que mata, rouba, estupra, e temos que aguentar que esses marginais devem ser tratados como adolescentes indefesos?”.

População clama pelas rondas policiais

 

O vereador Max Tony esteve no Parque Vitória, onde a população clamou por uma ronda policial ou da Guarda Municipal, por motivos dos assaltos são frequentes. O vereador já elaborou inúmeros requerimentos e indicações cobrando providências como:

  • A elaboração do Plano Municipal de Segurança Pública, unindo todos os setores responsáveis para se pensar na política de segurança do município.
  • Ação de desarmamento, principalmente nas áreas periféricas do município, tirando essas armas de fogo e branca das mãos de jovens e adolescentes.
  • Blitz periódicas nas entradas da cidade, principalmente do Km 17.
  • Ampliação do efetivo das policias Civil e Militar de Codó, dotando as corporações de estrutura suficiente para que desempenhem seu papel Custódia totalmente improvisada para abrigar presos, que na verdade, não reabilita ninguém.
  • Pedido para que a dependência química de drogas fosse tratada como problema de saúde pública, e realizar um amplo e permanente trabalho de conscientização.
  • O reforço do policiamento ostensivo em áreas de maior incidência de homicídios, especialmente em comunidades carentes;

O parlamentar encerrou seu discurso parabenizando todos os irmãos da Igreja Adventista do Sétimo Dia, que no sábado comemorou 29 anos de trabalhos para o Reino de Deus, e a todos os servidores públicos do município de Codó, de todas as esferas, em especial aos da Câmara Municipal e da Educação pelo trabalho belíssimo realizado.

Ascom/Vereador Max Tony

3 comentários sobre “População pede a parlamentar a volta das rondas ostensivas da PM”

  1. Vereador Pasto MAX Cobre do Nosso Prefeito a Implantação do Corpo de Bombeiro Militar em Codó,o Nosso Municipio Requer um Grupamento,Prova do que já Houve Vários Incêndios a Residências, Lojas no Centro Comercial de Codó.e vamos a Luta.

  2. Há muito tempo vemos a criminalidade e a insegurança aumentar na cidade de Codó quando algo de mais grave acontece, que mobiliza de forma mais intensa a opinião pública, surgem os comentários as cobranças, esse e aquele outro se manifestam e, não dá em nada. Estão esperando o quê? Andamos na rua com medo, não podemos mais ficar na porta de casa, muitas vezes nem conhecemos o vizinho do lado, se vacilarmos um segundo nos roubam e espancam ou fazem o que fizeram com a professora no dia 25/10, vivemos aterrorizados pela bandidagem que está dominando a cidade tocada pelo vício ou pelo querer ter sem fazer esforço nenhum para adquirir e se acham no direito de se apossarem de tudo até do nosso bem pais precioso, a vida. No ponto que estamos e que ainda pode piorar e muito, só o trabalho conjunto do poder público, polícia, população pode trazer mudança pra melhor. É preciso mais policiais, a volta da ronda, o desarmamento dos criminosos, fiscalização ferrenha dos menores que circulam de moto quase sempre em duplas aterrorizando, postos com policiais nas principais entradas da cidade, iluminação pública e por que não câmeras, a princípio nas ruas mais visadas pelos marginais. A cidade de Codó que já foi considerada a terra da umbanda está se tornando a cidade do terror, é preciso que algo seja feito e com urgência, não somente para fazer o marginal que ceifou a vida da professora pagar pelo que fez, mas para evitar que outros cidadãos passem por situação semelhante. Bom mesmo era diminuir a idade para que esses criminosos pagassem por seus crimes, eles sabem o que estão fazendo e agem livremente por que têm a proteção da lei, quem está desprotegido mesmo é o cidadão.

  3. Caro edil, não só você mais todos os vereadores tem que se levantar de seu gabinete (principalmente a vereadora que não faz nada) e cobrar ações da prefeitura, já basta de tanta criminalidade e insegurança. Será que vai ser preciso morrer algum parente de prefeito ou vereador para agir? e tenho dito.

Deixe uma resposta