Presidente destaca crise dos servidores na época de Biné e o início da ascensão do Sindicato

Entre os anos de 2006 e 2007 uma série problemas desencadeavam numa insatisfação por parte da  classe de educadores tais como:

  • atrasos nos vencimentos, haja visto, os mesmos por cerca de dez anos à época costumavam receber seus salários até no máximo o dia 28 dentro do mês trabalhado;
  • Defasagem salarial;
  • Ausência de um PCCS e tentativa de aprovação na câmara de um por parte do governo que não atendia os anseios da categoria, o que foi barrado diante da luta organizada dos professores no dia da votação, embora o governo à época tivesse maioria folgada no Legislativo;
  • Falta de estrutura e sucateamento das escolas;
  • O não pagamento de abonos salariais o que ocorria costumeiramente nos quase dez anos anteriores;
  • Atrasos no início do ano letivo;
  • Falta de concursos públicos entre diversas outras questões…

Surgindo à partir dali um movimento organizado de luta e resistência, culminando com a inserção dos líderes do movimento ao apático e despercebido sindicato à época, fazendo com que o mesmo criado em 2003 mas que praticamente não funcionava fosse então reativado em 2008 com a chegada desses guerreiros e consequentemente de demais outros servidores, o que fez com que o sindicato da categoria pudesse à partir de então ter visibilidade e atuação efetiva em defesa dos direitos dos trabalhadores públicos municipais em geral.

Um dos fatos que marcou o início de tudo isto foi exatamente a intransigência do governo à época que optou por não atender as principais reivindicações da classe, resolveu bater de frente e como recompensa não conseguiu sua reeleição!

Que sirva como reflexão.

      Prof. Marcos

Presidente do SINTSERM-CODÓ

Um comentário sobre “Presidente destaca crise dos servidores na época de Biné e o início da ascensão do Sindicato”

  1. Pois é Presidente, os governos que vcs criticam: ZITO E NAGIB deu tofas as condições reinvidicadas: PCCS e SALÁRIO DIGNOS, um dos maiores do BRASIL.

Deixe uma resposta