Reabertas inscrições para curso de formação de oficiais da PM encerram-se nesta sexta-feira

COMUNICADO

A Universidade Estadual do Maranhão, em atenção à decisão interlocutória concessiva de tutela de urgência, proferida nos autos da Ação Civil, informa que as inscrições para Curso de Formação de Oficiais da Polícia Militar do Maranhão e do Corpo de Bombeiro Militar do Maranhão, foram prorrogadas e normas específicas alteradas. As inscrições reabrem nesta quinta, 01 e serão finalizadas no dia 02/09.

Em observação aos termos da liminar, a UEMA retificou o Edital do PAES 2017 (Nº 99/2016). Dentre os requisitos para inscrição, foram alteradas normas que se concernem a: idade; altura; carteira nacional de habilitação; sinais adquiridos e; gestação.

Os interessados nos cursos do CFO Polícia Militar e Bombeiro Militar poderão se inscrever entre os dias 01 e 02 de Setembro, por meio do site: www.paes.uema.br. 

 O pagamento da inscrição poderá ser realizado em qualquer agência do Banco do Brasil ou nos seus correspondentes bancários até a próxima segunda, 05.

                                                                                   Agradece

A Direção CESCD

Um comentário sobre “Reabertas inscrições para curso de formação de oficiais da PM encerram-se nesta sexta-feira”

  1. A declaração universal dos direitos humanos não faz diferença de cidadãos,fica claro que todas as pessoas são iguais em direitos e deveres e veda qualquer forma de distinção.O profissional de segurança,assim como qualquer cidadão possui direitos e obrigações,no entanto,a ele se atribui o solene dever de figurar como agente promotor de direitos humanos.Os agentes de segurança possuem o poder de representar o estado e se tornam por isso talvez,a classe de trabalhadores com mais notoriedade em sua atuação.Dessa forma,é necessário que se invista,vigilantemente,nas ações policiais esperando dos agentes uma atuação pautada sempre no estrito cumprimento da lei,já que atuam para garanti-la.É importante cobrar profissionalismo nas ações.Em sua atuação vigilante,a população deve reconhecer que o policial também é um cidadão com deveres,obrigações e direitos.Já o policial deve sentir-se inserido e participante dessa sociedade na mesma medida do cidadão comum.A partir da revolução francesa cidadania se tornou sinônimo de igualdade,oque significa que independente da profissão exercida,a pessoa não perde seu status de cidadão perante a sociedade.Não há diferença entre sociedade civil e sociedade policial,essa nem mesmo existe.O agente de segurança,detém uma responsabilidade ímpar frente a população,já que a sociedade deposita confiança naquele diante da insegurança que se vive atualmente.A polícia é a representação mais íntima do estado que a nação possui;é a sua frente de atuação,nela se deposita todas as frustações e esperanças no governo.Espera-se muito do agir policial,porquanto a missão é nobre.Entretanto,a sociedade muda o discurso a toda hora.A polícia se vê perdida nos anseios da população,que em determinado momento deseja que o agente de segurança seja polido em suas ações,já em outras situações pede que a polícia seja uma instituição de vingança social,fazendo justiça com as próprias mãos como acontecia nos primórdios da humanidade.As pessoas estão aterrorizadas pela violência que assola o país.Vive-se o clima de guerra urbana que gera insegurança.O policial não se deve levar por anseios ilegítimos que possam desprestigiar seu trabalho.A sociedade que deseja ações desmedidas por parte do agente será a mesma que proporcionará a ele o repúdio quando atender aos seus próprios anseios primitivos.O uso da força é apenas uma das características da atividade policial,ela não pode resumir o agir policial como um todo.Suas atribuições e responsabilidades vão além,nem sempre é a escolha do profissional o uso dessa prerrogativa para executar suas tarefas.O policial é um pedagogo de cidadania,ele deve ser incluído no rol dos profissionais pedagógicos,ao lado das profissões consideradas formadoras de opinião.Dessa forma,o agente de segurança é um educador,o qual educa por meio de suas atitudes ao de lidar com situações cotidianas.O policial educador transmite cidadania,a partir de,exemplos de conduta;de comportamentos baseados em moderação e bom senso.O agente de segurança pública não pode mais ser visto,nos dias de hoje,como agente de repressão a mando do estado.A constituição federal de 1988,em seu artigo 144,declara que a segurança pública é exercida pelas policias e que suas atribuições são,a preservação da ordem pública,a incolumidade das pessoas e do patrimônio.Visto desse modo,a atividade de polícia consiste em desempenhar funções policiais,e ao mesmo tempo proteger direitos humanos,desrespeitar as normas legais como propósito de aplicar a lei não é considerado uma prática policial eficiente-apesar de algumas vezes se atingirem os resultados desejados.Quando a polícia viola a lei com o intuito de aplicá-la,não está reduzindo a criminalidade,está se somando a ela.Espera-se dos agentes de segurança o vigor necessário no desenvolvimento de suas atividades,porém que haja preocupação em agir no estrito cumprimento da lei.É necessária a admiração da sociedade por essa classe de trabalhadores.O policial não é inimigo da população,deve ser visto como agente promotor de direitos humanos,sobretudo,de cidadania.A relação entre polícia e os direitos humanos está centrada nas ações de proteção e respeito,e pode ser uma relação muito positiva.De fato é função da polícia a proteção dos direitos humanos.Tal proteção se faz de maneira genérica,mantendo a ordem social,de modo que todos os direitos humanos de todas as categorias possam ser gozados.Quando há uma quebra na ordem social,a capacidade e habilidade do estado em promover e proteger os direitos humanos são consideravelmente diminuídos ou destruídos.Ainda é parcialmente por meio da atividade policial que o estado atinge suas obrigações legais de proteger alguns direitos humanos específicos-o direito à vida,por exemplo.Dentre as profissões públicas pode-se dizer que a polícia é uma das que possui maior responsabilidade em relação à imagem do estado.É necessário que os agentes públicos de segurança resgatem os anos perdidos de autoritarismo e distanciamento da sociedade brasileira.A história da origem policial no Brasil explica o porquê de seus traços de violência.Tendo em vista esse histórico,cada policial ao entrar na corporação devem estar conscientes de que a polícia não é mais a mesma,agora mais que nunca;deve-se fortalecer o sentido de fazer de sua missão um ato nobre.Policiais devem respeitar os direitos humanos no desenvolvimento de suas atividades profissionais.Em outras palavras,considerando que é função da polícia a proteção dos direitos humanos,o requisito de respeito a esses direitos afeta diretamente o modo como a polícia desempenha todas as suas funções.Diante dos anos que macularam a imagem policial as instituições de segurança pública e as políticas governamentais acenam para mudanças nas diretrizes de policiamento em todo o Brasil,seguindo assim uma tendência mundial.Os cursos de integração das normas de direitos humanos na atividade policial são de extrema importância,pois conscientiza o profissional policial de que o poder a ele atribuído deve ser utilizado sempre em benefício da sociedade.Assim, diante do exposto,conclui-se que a formação dos profissionais da segurança pública é fundamental para a qualificação das polícias brasileiras e o ensino dos direitos humanos no curso de formação de policiais,é uma alternativa que se apresenta adequada,uma vez que propicia a percepção dos policiais como sujeitos e defensores dos direitos humanos garantindo a efetiva aplicabilidade do conhecimento desenvolvido na prática policial.

Deixe uma resposta