Rede Estadual pode ficar sem aulas novamente

Greve

A cidade de Codó tem 9 escolas da rede pública estadual. Encontramos a maioria delas, na manhã de hoje, com aulas em curso, como ocorreu na semana passada, mas os alunos podem voltar a ficar sem elas a qualquer momento.

Esta possibilidade existe porque o Núcleo Regional do Simproesemma reiniciou a paralização esta semana alegando que ainda há recurso para ser julgado no Supremo Tribunal Federal e enquanto não sair a decisão definitiva o movimento tende a se fortalecer novamente.

ALUNOS RECLAMAM

Estudantes

O núcleo fala em 40% de nova adesão. Por isso, encontramos alguns alunos na praça em horário escolar. A ausência dos professores efetivos já mexe no ano letivo 2011, que poderá, como já ocorreu anteriormente, ser encerrado no ano seguinte na opinião da estudante de ensino médio Katrine Sousa.

“Tão dizendo que é até fevereiro…ISSO É RUIM? É, porque o ano letivo termina em dezembro aí vai até fevereiro”, reclamou

Os alunos denunciam que apenas os contratados tem se mantido firme nas salas, o que não é bom.

“Mais ou menos, tem dia que tem, tem dia que não tem. É que tem uns professores que não dão aula, os professores efetivos estão aqui né aí fica só os professores contratados nos dando aula, tem dia que tem, tem dia que não tem”, revelou o estudante Mateus dos Santos Silva

GESTORA NO MP

Gestora regional, Rosa

A gestora regional de educação, professora Raimunda Sousa da Silva, a Rosa, chegou a acionar o núcleo no Ministério Público. Segundo ela, alguns alunos foram impedidos de assistir aula pelo movimento, mas este assunto já foi resolvido com um acordo perante o promotor de Justiça. A preocupação agora é com a reposição das aulas, cujo número de perdidas só aumenta.

“A respeito da reposição nós ainda vamos esperar a reposição de São Luís…MAS É POSSÍVEL? É no sábado, se entrarmos no acordo para darmos aulas no sábado, acredito que dá”, afirmou Rosa

PELO PISO

O coordenador regional do Núcleo do Sindicato, professor Jean Pierry Lopes Siqueira, fala que o movimento é legítimo e reivindica apenas o reajuste no valor do piso salarial ( de R$ 427,49 para R$ 1.187,00). Quanto aos alunos afirma que estes não serão prejudicados.

“Sempre houve aulas iniciando em fevereiro, março abril, maio e iniciou em fevereiro e agora nós que somos culpados, né?…Com certeza, logicamente que a nossa meta não é prejudicar o aluno, está prejudicando sim no sentido oriundo dos professores não dão aula onde depois essas aulas deverão se repostas, então não adianta o professor ir pra sala de aula se o professor não tiver estímulo”, justificou

5 comentários sobre “Rede Estadual pode ficar sem aulas novamente”

  1. Valeu pela iniciativa do núcleo regional do sindicato de CODÓ. Aqui em Imperatriz podemos afirmar que 70% das escolas estão paradas, e o restante funcionando de maneira precária, nesse sentido gostaria de parabenizar a luta e a organização desses “irmãos guerreiros de Codó” por levantar mais uma vez a bandeira de luta por uma educação de qualidade! Não sei se estou equivocado mas se estiver me desculpe, mas a gestora regional da educação daí é um pouco mais complascente. PQ o daqui o senhor Agostinho Noleto é a uma personificação ideal de um ditador barato, com uma forte repressão persegue os educadores com as mais variadas formas de assédio moral.Boa sorte aos bravos educadores dessa região, estamos irmanados no mesmo objetivo.

  2. COMO EU VOU FAZER PRA TERMINAR MEU ENSINO MÉDIO? SERÁ
    QUE OS 40 POR CENTO DOS PROFESSORES TEM FILHOS ESTUDANDO NESTE MESMO PERÍODO QUE EU! ACHO QUE NÃO. A MAIORIA DELES ESTÃO ESTUDANDO NAS ESCOLAS PARTICULARES. MUITOS DOS PROFESSORES QUE ESTÃO EM GREVE TEM FILHOS ESTUDANDO EM ESCOLA PARTICULAR. QUER NOMES? EIM PROFESSORES? ESTUDO NO MATARROMA. UMA IDIA CADÉ OS CONTRATADOS? FAZER GREVE É LEGAL AGORA PREJUDICAR O ANO LETIVO E CRIME.

Deixe uma resposta