Retirada de panela do Axixá por Instituto Histórico vira caso de polícia

O ato de membros do Instituto Histórico e Geográfico do Codó terem ido à comunidade de Axixá, no último sábado (2/maio) para trazer para a cidade a panela gigante, possivelmente usada por escravos codoenses, virou, ontem, 4, caso de polícia.

É que um grupo de pessoas, capitaneado pela senhora Maria Emília Cruz, mãe de santo do povoado, e seu filho Luis Alves Ferreira, o Luizinho, atual presidente da Associação de Moradores do lugarejo, foi à delegacia registrar um Boletim de Ocorrência denunciando a ação do Instituto.

Na ocasião, dona Emília, chorava copiosamente a perda e lamentava a forma como a panela foi levada, panela esta que, como havia avisado o diretor do departamento de Igualdade Racial, Francialdo Oliveira, tinha um valor religioso para Axixá. Nós a entrevistamos:

Blog – POR QUE A SENHORA CHORA, QUAL É O MOTIVO DE SUAS LÁGRIMAS?

Maria Emília – é emoção demais, tiraram um pedacinho de mim, eu não suporto sem ver ela (panela) lá não, meu prazer é ver ela lá de novo.

Blog – A SENHORA FICOU CHOCADA COM A SITUAÇÃO?

Maria Emília – Fiquei bastante mesmo, basta ser que meu filho não tava em casa, levaram.

Blog – E POR QUE ELA É TÃO IMPORTANTE ASSIM PRA VOCÊS, POR QUE A SENHORA CHORA TANTO ASSIM?

Maria Emília – é porque ela é vigia dos matos, achamos ela na mata então foi o vigia dos matos que botou ela pra nossa casa.

Blog – NÃO ESTAVA ENTERRADA COMO ELES ESTÃO DIZENDO?

Maria Emília – Tava não, não senhor, ela tava cheia de folha quando eles foram buscar.

Blog – QUAL É O DESEJO DA SENHORA AGORA?

Maria Emília – ela de volta.

Blog – VOCÊS VIERAM REGISTRAR O CASO NA DELEGACIA?

Maria Emília – Foi, pra voltar com ela (…) Eles podia não ter feito isso, podia não ter feito uma coisa dessas não.

O Boletim de Ocorrência foi registrado e nesta terça-feira (5) a imprensa vai ouvir o delegado responsável por abrir a investigação sobre que providências serão tomadas a respeito.

EXPLICAÇÃO DA PM

Quem também ainda não emitiu nota de esclarecimento foi o comando do 17º Batalhão uma vez que dois policiais militares acompanharam a ação do Instituto, contestada pelos moradores, sem motivo justificável.

Não se tratava de uma reintegração de posse do Instituto, ou qualquer outra coisa do tipo, para a qual estava sendo cumprida ordem judicial, que, quando necessária, justifica a presença ostensiva da PM para fazer valer  a ordem do meritíssimo juiz.

Além do mais os policiais do 17º BMP chegaram de carona num carro oficial da Universidade Federal do Maranhão que teve a placa anotada pelos moradores e seus números entregues ao diretor do departamento de Igualdade Racial, Francialdo de Oliveira.

A rádio Eldorado AM, por meio do programa A Hora da Verdade, de César Santos, cobrou, veementemente, explicações do tenente-coronel, Jurandir Braga, a respeito da presença de seus comandados no local. O programa Pânico, com JJP, também destacou o caso que vem mexendo com a sociedade local.

A imprensa ainda aguarda resposta da Polícia.

9 comentários sobre “Retirada de panela do Axixá por Instituto Histórico vira caso de polícia”

  1. Acelio Venho através desta Denunciar que nós professores do eja não recebemos nosso salario retroativo trabalhamos dois meses e só pagaram 1 (um mes) e tem professores que nem receberam por falta de competência da secretaria… estamos revoltadas porque timos compromissos com esse dinheiro por favor ajude nós com seu blog… a unica saída é você… é a voz dos professores

    1. Pelo visto a panela é mais importante que a safadeza politica, professor sem receber salário é caso de Policia! Mas esse blog não dar importância a isso.

  2. Gostaria de saber o motivo dos comentarios está sendo excluido? Porque você não usa esse blog para falar de coisa que tem importancia e impacto na vida do povo, tipo salário atrazado dos professores, a saúde que é uma bosta, ou a panela é mais importante que a safadeza da poilitica? Com certesa a comunidade de Axixa, Santo Antonio dos pretos, Saco etc… está acompanhando via internet nos notibook de sua casa esse fato.
    Em 2013 você fez comentario que essa panela tinha que está no IHG. Tá querendo chegar onde?

  3. Acélio,o conhecimento antropológico se mostra indispensável na importante tarefa de facilitar a convivência entre as diferentes culturas.Assim como a ecologia revelou importância do conhecimento e respeito às leis dos sistemas do meio natural,a antropologia nos desvela conhecimento e respeito ao sistemas culturais humanos.Não é possível a sobrevivência sem adequação e preservação do “meio”,não é possível a convivência sem o respeito pelos “outros”:os outros povos,as outras mentalidades,as outras culturas.Na atualidade já se reconhece que a humanidade não caminha para uma uniformização radical de suas maneiras de viver,ideais ou costumes,e que é melhor defender e respeitar as diferentes identidades dos povos,já que,do contrário,se podem gerar movimentos e reações muito destrutivas.É imprescindível a inclusão da disciplina antropologia nas ciências humanas em geral,pois evidencia o seu interesse e sublinha o caráter intensamente interdisciplinar e integrador do saber antropológico.Se a espécie homo sapiens realiza todas as suas atividades,incluídas as relacionadas com a satisfação de suas necessidades biológicas,com uma enorme variabilidade e flexibilidade desconhecida nas demais espécies animais,isto é devido a que a influência do automotismo instintivo tem menor importância no homem que a que possui em seus parentes do reino animado.Esta menor influência é devida a um desenvolvimento neuronal mais prolongado,a um período de criação maior e a uma elevada percentagem de condutas aprendidas.Todos estes aspectos estão imbricados entre si e é dificíl ressaltar um que seja o desencandeador de um processo que se chama hominização.(aprendizagem e cultura)ou seja o animal racional tem a capacidade de armazenar e transmitir com grande rapidez e eficácia a outros indivíduos.Os animais ditos irracionais aprendem por tentativa-erro ou por imitação e,com estas modalidades,não podem acumular muitas experiências nem as compartilhar maciçamente com os seus companheiros ou os seus descendentes.o homem pelo contrário,conta com a capacidade de simbolização,que permite,pois,acumular saberes,experiências,normas etc,precisamente tudo aquilo que forma os acervos culturais de um povo.Ter um olhar antropológico para as relações humanas-dentre elas a religião-é mergulhar nestas relações como elas se dão nas suas diferenças culturais,históricas,econômicas,políticas e psicológicas.Para que isto seja possível é preciso um esvaziamento dos valores pré-concebidos,valores construídos,na sua própria formação cultural;neste sentido o saber antropológico,antes de ser um conjunto de conceitos(axiomas)deve ser entendido como um exercício de buscar uma compreensão do novo.É nesse sentido que devemos buscar espaços “reguladores” das certezas instituídas,”janelas”do conhecimento,ou seja,lugares onde o conhecimento nasce espontaneamente do inusitado.Isto não significa dizer que o pensar sobre a religião é uma atitude vazia;há uma finalidade clara neste exercício racional de atender a uma necessidade do próprio ser humano de desvelar o mistério da existência em que o mesmo se insere.Estamos longe de desvendar os mistérios que perspassam esta existência humana,mas procuramos,com esta busca incansável,ficar mais próximos de uma verdade que está para além de nossa compreensão total.acélio,na sua matéria se conclui tão quanto é forte a questão cultural e religiosa,quando a senhora maria Emília que é IALÔRIXÁ chega as lágrimas.Do ponto de vista jurídico você analisou,nada ilícito,entendo sim que se foi de encontro a normas culturais,e nós sabemos que todo cientista social e profissional do direito deve perquirir isso.A panela tem dono,e seria de bom alvitre que a mesma retorne a seu lugar de origem.

    1. O dono do TACHO de fazer mel de cana de açucar é o povo de Codó, e não uma comunidade que quando foram traze-la do local onde estava para o Axixá, quebraram em vários pedaços.

  4. TEMOS QUE RESPEITAR A CULTURA E AS TRADIÇÕES DE NOSSO POVO. ESSA PANELA TEM QUE FICAR NO POVOADO COM SEUS DESCENDENTES DE ESCRAVOS…

  5. Cuidado Acélio porque acho que vão colocar já a culpa em você por conta da busca irregular desta famosa panela. E que foi feita por uma …….. que não tem contribuído muito para o desenvolvimento de Codó.

  6. Quando o povo não tem cultura se reclama. Quando é tentado inserir a cultura o povo também fica insatisfeito. Agora eu pergunto. O IHGCodo foi criado pra que? Pelo meu conhecimento foi justamente para isso levar a cultura a todos. O modo como a panela foi retirada pode até não ter sido da melhor forma, agora se vocês Codoenses querem ficar pobres de cultura sem saber a origem das coisas, tudo bem palmas a vocês que não se importam com tudo isso. O lugar de todo artefato doado, por que se tem a doação e isso foi provado, agora o leigo é facilmente iludibriado por aqueles que o “sem cultura”. Se em Codó não tivesse nada para regatar a história todos iram ficar querendo e tudo. E uma pessoa que foi deu a cara,SEM PRECISAR DE POLÍTICA e conseguiu o povo fica falando o que não sabe.

Deixe um comentário