Rodrigo Figueiredo critica redução de cirurgias e demissão de médicos em Codó

O discurso do vereador Rodrigo Figueiredo (PDT) na sessão de segunda-feira (11) foi voltado para dois temas que envolvem a saúde do município de Codó. São questões que afetam diretamente os serviços que deveriam estar sendo prestados à população, mas por causa da falta de investimento da prefeitura está prejudicando muitos pacientes.

Rodrigo
Rodrigo

A primeira, trata-se da redução no número de procedimentos cirúrgicos devido a um problema no autoclave do Hospital Geral Municipal. O equipamento utilizado para esterilização de material hospitalar apresentou defeito e parou de funcionar deixando o unidade de saúde defasada com apenas dois aparelhos para atender toda a demanda.

Rodrigo disse que o problema foi confirmado pelo diretor do HGM, Raimundo Lisboa. “Nos últimos dias houve uma denúncia, denúncia essa confirmada pelo diretor do HGM, Sr. Raimundo Lisboa, de um aparelho, um esterilizador que estava quebrado há vários dias e impossibilitando a realização de cirurgias. Fica aqui, portanto, o meu completo repúdio à falta de organização do governo de Codó, a falta de compromisso e a falta de competência da administração pública municipal, porque é inadmissível que um município no porte de Codó que recebe muito dinheiro para saúde deixe de realizar cirurgias e isso foi confirmado pelo próprio diretor do Hospital” disse o vereador.

Rodrigo disse ainda que a população está sendo maltratada e humilhada pelo poder público que reduz cada vez mais a assistência aos codoenses no setor de saúde. Segundo o vereador, o diretor poderia ter explicado que critérios estão sendo usados pelo Hospital para classificar as cirurgias na seleção das que podem ser feitas e as que devem ficar pra depois.

O segundo caso abordado pelo parlamentar foi sobre a denúncia apresentada ao Conselho Regional de Medicina, onde o presidente do CRM, Abdon Murad informou que irá denunciar ao Ministério da Saúde, as prefeituras de Codó e Santa Rita pelo descumprimento de regras impostas na Medida Provisória que instituiu o Programa Mais Médicos.

De acordo com a denúncia, as duas prefeituras teriam feito demissões de médicos contratados para atender pacientes do Programa Saúde da Família (PSF). A ação é contrária ao objetivo do Programa criado para ampliar a rede de atendimentos no setor de Atenção Básica.

Os médicos teriam sido demitidos, após os municípios receberem os profissionais estrangeiros enviados pelo Programa Mais Médicos do Governo Federal. Em entrevista à TV Mirante, Dr. Abdon Murad, presidente do CRM, revelou que denúncia dá conta de que as prefeituras teriam demitidos os médicos que recebiam salário pela folha municipal do Programa saúde da Família para não ter que arcar com as despesas, com os vencimentos desses profissionais. O município recebeu recentemente 6 médicos cubanos… mas se esse fato estiver mesmo acontecendo isso é vergonhoso e inadmissível“, lamentou o vereador.

Rodrigo ratificou o compromisso da prefeitura de Codó de receber os novos profissionais, mas não demitir nenhum dos que já estão atuando na Atenção Básica, uma vez que o município precisa aumentar o número de médicos e a secretaria de saúde demite os poucos que existem para cuidar da população. O vereador disse que falta iniciativa do governo municipal no sentido de estender a assistência aos codoenses e que o Parlamento ficará atento a esses acontecimentos.

ASSCOM – Vereador Rodrigo Figueiredo

Deixe uma resposta