Saúde é Vida dobra a quantidade de leitos existentes no Maranhão

Saúde é prioridade
Saúde é prioridade

Um dos maiores avanços que o programa Saúde é Vida, desenvolvido pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria Estadual de Saúde (SES), proporcionou foi a expansão da rede de leitos para atender a população de São Luís e do interior do estado. Conforme levantamento feito pela Secretaria Estadual de Saúde (SES) em 2009, quando o programa foi colocado em prática, havia 958 leitos hospitalares disponíveis na rede de saúde e, até dezembro de 2013, esse quantitativo passou para 2.118, o que representa um aumento de mais de 120%.

O programa também contribuiu para aumentar a quantidade de leitos de UTI no estado: em 2009, eram 98 que estavam ativos e, até dezembro de 2013, esse quantitativo subiu para 309. Já com relação aos leitos de UCI, o Maranhão não tinha leitos dessa natureza e, com o auxílio do programa, foram ativados 104 até dezembro do ano passado.

Ao fazer uma comparação entre os leitos hospitalares das redes municipal, estadual, federal e privada de saúde no Maranhão – de abril de 2009 a dezembro de 2013 – , os dados da SES mostram que a maior evolução foi registrada na rede estadual. Enquanto a quantidade de leitos hospitalares sob a responsabilidade do estado passou de 958 para 2.118, na rede municipal, o total de leitos passou de 7.312 para 7.347; na federal, houve uma diminuição, passando de 573 para 488; e na rede privada de saúde também houve uma diminuição, passando de 5.183 para 2.465 leitos.

Tecnologia – Uma das últimas ações do programa nesse sentido foi a ativação, na segunda-feira (17), de 50 leitos de retaguarda clínica no Hospital Estadual Nina Rodrigues. O anexo funcionará como uma extensão do Hospital Carlos Macieira para receber pacientes que necessitem de tratamento de longa permanência em clínica médica, encaminhados de outras unidades de saúde da rede estadual em São Luís.

São 42 de clínica médica e oito de cuidados intermediários. A unidade conta com laboratório 24 horas e médicos especializados para apoio e diagnóstico. Todo o corpo clínico é formado por profissionais que trabalham no Hospital de Alta Complexidade Carlos Macieira e a equipe administrativa será a mesma do Hospital Nina Rodrigues.

Por Leandro Santos / Jornal O Estado do MA

Deixe um comentário