Secretaria de Meio Ambiente, GM e pesquisadores realizam expedição em rios codoenses

Expedicionários
Expedicionários

Secretaria de Meio Ambiente, Guarda Municipal e Pesquisadores realizaram importante trabalho científico em dois rios que cortam o município de Codó, que serviu para a identificação inicial dos Impactos provocados pela extração de areia do Rio Itapecuru ao Codozinho. A expedição foi realizada na manhã desta segunda-feira (9) e faz parte do trabalho de pesquisa da aluna Lana Fernanda Borges da Silva.

A Estudante estava acompanhada pelos professores Aciel Tavares (IFMA) e Ferdinando Rocha(SEMMAT), com auxilio da Guarda Municipal de Codó. O trabalho pretende identificar os principais impactos ambientais no rio Itapecuru até o encontro com o rio Codozinho, provocados principalmente pela extração de areia.

A aluna Lana Fernanda, do curso de Licenciatura em Ciências Agrária do 8º período (IFMA /CODÓ) diz que esse trabalho científico irá contribuir não só para o município de Codó, mas servirá de subsídio a futuros projetos de recuperação da mata ciliar do rio como todo.

O projeto tem como principal objetivo identificar os principais impactos no trecho em que rio corta município de Codó e ainda propor medidas mitigadoras para recomposição da mata de galeria. É muito importante e imprescindível que as instituições públicas de ensino que aqui estão desenvolvam projetos de pesquisas voltados para a comunidade, para que possamos ter uma contribuição sustentável das mesmas”.

Itapecuru
Itapecuru

Para o professor Aciel Tavares o rio Itapecuru ainda tem tempo pra ser ajudado no que diz respeito ao melhor aproveitamento econômico: eco turismo, irrigação, extração de areia, mas de forma legalizada e racional. “O rio Itapecuru ainda apresenta cenários belíssimos, mesmo com todas as mazelas, que pode ser aproveitados de maneira mais responsável. Mas infelizmente também encontramos pontos críticos que imediatamente precisam ser trabalhados, como uma formação de um banco de areia Em que se encontra num rápido processo de crescimento por conta também do deposito de sedimento do antigo riacho Água fria”.

Para o Secretário Municipal de Meio Ambiente, Ferdinado Rocha, os trabalhos pela preservação do principal recurso natural de Codó é uma questão de sobrevivência da cidade.

Nossa responsabilidade sempre foi compartilhada com a comunidade. Temos buscado a todo custo dar soluções responsáveis e sustentáveis aos vários problemas ambientais de Codó, e claro, na condição de Secretario e também professor, somos cobrados diuturnamente. Temos nos dedicado a essas soluções, não só estamos envolvidos com o trabalho de pesquisa da Lana, como estamos dando suporte técnico em parceria com a nossa Guarda Municipal e ainda mapeando os principais pontos de impactos do rio. Nossa intenção será promover uma discussão ampliada com os outros municípios do alto, médio e baixo Itapecuru, para que possamos apresentar soluções técnicas de recuperação e Codó será o município que irá orientar essas discussões”. Explicou.

Ascom/Prefeitura Municipal de Codó 

15 comentários sobre “Secretaria de Meio Ambiente, GM e pesquisadores realizam expedição em rios codoenses”

  1. NÃO é Somente a Retirada de Areia que Prejudica o Rio Itapecuru em Codó,são Esgotos Jogados sem Tratamentos,as Vazantes,que já Provocaram o Assoreamento do mesmo na Bacia de Codó,quanto a Estudos muitos já Foram Feitos,Por Secretaria de Meio Ambiente Estadual,UFMA,UEMA,CAEMA,Assembleia Legislativa do Maranhão,e de NADA RESOLVEM,o Rio Esta Morrendo sem que ajá medidas ou Solução por parte dos Governantes,Municipal,Estadual,e Federal,em Breve vamos ter Somente as Imagens deste Rio em Fotos e Historias em Livros,de Recordação.

  2. é muito triste olhar o rio tão importante para o estado e principalmente para a nossa cidade que vive em torno desse rio que está agonizando e pedindo socorro. e nada é feito pelas autoridades que deveriam fiscalizar e orientar as pessoas que vivem em torno do rio, é lei as margens de rio devem ser preservadas e reflorestadas, porque esta lei ainda não chegou aqui?

    1. Infeliz comentário (Primo do Zé Matraca),gente que não tem respeito para com o trabalho de pesquisa de estudantes que tem a visão de tentar melhorar os problemas causados no rio que serve para nossa sustentabilidade…além de que o trabalho só tem a contribuir para o desenvolvimento e melhorias dos impactos causados no trecho do rio dentro de nossa cidade, que percebemos e que muitos contribuem para essa degradação. Respeito é bom e todos gostam… conheço a equipe e garanto que não tinha “pinga para melar o bico”.

  3. Assunção, seja você quem for, deve tá ……….. tal secretaria, que de fato não faz …. nenhuma. É inoperante e tem um secretário ……. que só …. o salário e as diárias das viagens que ele tanto adora! Lembrando que o referido cargo é político, e portanto não existem técnicos qualificados. Não discuto a importância das pesquisas para a preservação e recuperação do velho Itapecuru, que está quase morto, só questiono a incapacidade e a falta de qualificação de tal “equipe” capitaneada por quem não é do ramo. Duvido que a referida secretaria tenha em seus quadros biólogos, engenheiros ambientais, etc…e se tiver é só no papel pra receber a grana, pois efetivamente nada é feito na área. Querer defender…………. é uma coisa, agora achar que os outros são bestas aí não dá! Só isso e nada mais.

    1. Srº ” Primo do Zé Matraca” vivemos em um país laico, portanto não vou me ater nos seus comentários relacionados a questões politicas, ate porque você tem TOTAL liberdade pra expressar qualquer comentário sobre isso. Porem fiquei profundamente ofendida quando você afirma sem ter qualquer conhecimento que a equipe da expedição NÃO é qualificada, reconheço que NO que se refere as questões ambientais NÃO sou nem uma DOUTORA, porem sou uma Insaciável pesquisadora sempre na busca incessante do conhecimento, e já desenvolvo alguns trabalhos de pesquisa nesse ramo,O PROFESSOR Aciel é um catedrático em questões ambientais, pessoa de boa índole é também se fez presente nessa referida expedição, por tando você cometeu uma série de INVERDADES no seu comentário.A expedição que você caracterizou como uma “balbúrdia” é uma das etapas do meu trabalho monográfico, que tem como principal objetivo servir de guia para a população codoense saber das reais condições do Rio, bem como as formas de tentar salvar esse gigante que está agonizando por socorro, ele esta gritando NÃO apenas para os órgãos públicos, mais para TODA população todos nos somos responsáveis por tentar minimizar os problemas ambientais de Codó, por meio desse trabalho estou dando apenas a minha parcela de contribuição, e assim como o Srº secretário esteve presente dando a parcela de contribuição para a execução do trabalho, deixo aqui um convite para TODOS os interessados em participarem de projeto, sintam-se carinhosamente convidados a fazerem parte da equipe.

      1. mim entenrecei muito pelo seu trabalho pós é muito bom saber que ter alguem que se entenreça pelo nosso rio. pós gostaria muito de saber um pouco sobre a retirada de areia do rio. eu e minha equipe estamos trabalhando em cima disso.

    2. Senhor desinformado Zé Matraca aposto que o senhor não sabe nem o significado do termo “meio ambiente”considerando que o senhor deve ser um total desinformado é melhor não discutirmos pois você nos ganhará por causa de sua longa experiência em idiotia.

  4. Politicagem a parte, parabéns a Lana por esse trabalho, importantíssimo para o reconhecimento dos problemas dessa parte do Rio. Louvável a boa vontade e disponibilidade do Professor Aciel, sempre disposto a fazer sua parte pelo meio ambiente.Ressalto algo que me incomodou, quem era o capitão incapaz desse referido barco que citou nesse infeliz comentário o dito ” primo do zé matraca?Um trabalho de pesquisa deve ser respeitado, não tem capitão,tem estudiosos.

  5. Quanta inveja hein primo do zé matraca, indivíduo desprezível e covarde, incapaz de se identificar, sua força está nas ofensas…pobre infeliz!

  6. Vixe, a carapuça serviu! O diabo é que esse povinho rastaquera se acostumou a viver das migalhas dos poderosos da vez. Tem que puxar o saco, senão vai puxar carroça!

  7. Lana Borges,estou fazendo um trabalho escolar sobre questões ambientais relacionadas a água.Gostaria de entrar em contato com você para entender melhor o trabalho realizado e se possível entrevista-la.

Deixe um comentário