Secretário explica como foram usados R$ 104 milhões da Educação em 2019

Abaixo está a explicação dada pelo secretário Ricardo Torres sobre a postagem do professor Jacinto Júnior que questiona a utilização de 104 milhões de reais que Codó recebeu ano passado para a Educação.


“Até novembro de 2019, no total, 104,47% do FUNDEB foram aplicados em despesas com pessoal da Educação.

Na remuneração dos profissionais do Magistério, especificamente, foram aplicados 71,16% de toda a receita do FUNDEB até Novembro.

A lei obriga que o Município aplique no mínimo 60% desse recurso.

A Constituição da República obriga o Município a investir, no mínimo, 25% de suas receitas com impostos na educação. Pois até Novembro, o governo municipal aplicou 35,06% na educação de Codó.

Estão em pleno andamento reformas e ampliações de algumas de nossas maiores escolas: Ananias Murad (antigo Codoense), Remy Archer (Modelo), Senador Alexandre Costa, Ângela Moura, Filomena Catarina Moreira, além da restauração da antiga Fábrica de Tecidos, que está sendo transformada em em escola.

Essa é apenas uma mostra, traduzida em números e fatos, que provam o quanto vem sendo investido na educação codoense.

No entanto, o mais importante é o aprendizado de nossos alunos. Esse é o verdadeiro serviço de todos na educação, cada um na sua função”

Ricardo Torres

11 comentários sobre “Secretário explica como foram usados R$ 104 milhões da Educação em 2019”

  1. Fechando escola deslocando os alunos da zona rural pra urbana, invés de melhorar o apoio aos educadores da zona rural, agora procurei vagas em escolas públicas e ainda nem começaram as matrículas a informação é que não tem vagas para alunos de 5 ao 7 anos, e as que têm nos informam que são poucas as vagas e que temos que dormir na porta das escolas. Isso é um absurdo eu trabalho e pago meus impostos desde 16 anos e quando preciso do poder público e dessa forma que somos recompensados.

  2. Não devemos da explicação ao um débil mental como o Jacinto Jr. Ele foi secretario de educação e sabe como funciona o dinheiro. Não fez nada pela educação.

  3. Caro Secretário de Educação Ricardo Torres,
    O principal motivo que nos levou e nos levará sempre, é fornecer informações específicas de forma objetiva e clara, para que, não apenas a categoria, mas, sobretudo, a comunidade codoense saiba, o aporte financeiro que demanda de vossa Secretaria e sua devida aplicação conforme determina a Carta Magna/88, a Lei do FUNDEB/2007 e correlatas. Para além disso, é primordial o exercício pleno da transparência – em todos os sentidos – no que tange a gestão pública (sustentada na Lei de Acesso à Informação – nº 12.527/2011; especialmente, o que trata o Art. 6º, inciso VI -, coisa que, a princípio não deveria existir, pelo fato de ser pública, qualquer cidadão poderia solicitar a informação desejada sem recorrer a esse instrumento suplementar para obter tal informação), portanto, nossa intenção não é desqualifica-lo, nem desrespeitá-lo, e, sim, demonstrar coerentemente que temos responsabilidades para com a coletividade não apenas enquanto profissional da educação, mas, sobremodo, como cidadão em pleno exercício de seu direito. Que bom que o senhor percebeu com vossa sensibilidade a importância de explicitar, apesar de, superficialmente, a destinação dos recursos financeiros designados à educação.

    1. Convido todos a acompanharem as prestações de contas que acontecem na Câmara de Vereadores 3 vezes por ano, além do acompanhamento das contas da Educação no Portal de Transparência da Prefeitura.
      No mais, estamos à disposição para outros esclarecimentos, quando necessários.
      Sendo certo que informações seguras são fundamentais para todos que precisam de recursos públicos, seja como servidores, seja como cidadãos, destinatários finais dos serviços de educação.

  4. Sou conselheiro do FUNDEB, e os documentos de gastos da prefeitura com educação apontam que pelo menos 80% das reformas das escolas de Codó, foram realizadas com recursos do precatório. Inclusive o próprio Nagib fala constantemente que os recursos do precatório do FUNDEF, estão aplicados nas reformas e estruturas das instituições de ensino.
    Sendo assim, ou prefeito ou secretário de educação está faltando com a verdade. Isso demonstra claramente o despreparo deste governo Torre de Babel.
    Portanto, este atual governo deve explicações sim à população, de como este volumoso dinheiro foi gasto, porque esta argumentação do Ricardo Torres não convenceu.

  5. O prefeito vai aos meios de comunicação dizer que as reformas estão sendo feitas com o recurso do FUNDEF (precatórios), agora vem o secretário falando que as reformas das escolas são feitas com o dinheiro do FUNDEB.

    Quem estar com a verdade?

  6. Prof. Jacinto, o Sr. Não tem moral para cobrar nada de ninguém! Sabe porquê? Por que quando vc foi exonerado como Sec de Educaçao, mexeu os pauzinhos e ficou como Assessor da Sec de Cultura. Foi ou nao foi? E não dava expediente por lá! Só fazia receber a grana no final do mês, além do salário de professor! Me desminta?

  7. Onde está dito que as reformas de escolas estão sendo realizadas com recursos do FUNDEB?
    Eu não disse isso!
    Aliás os recursos do FUNDEB são suficientes apenas para o pagamento de pessoal e encargos.
    Em 2019, o governo municipal já investiu mais de 7 milhões de reais na educação a mais do que a Constituição obriga.
    Os investimentos com obras de reformas hoje em andamento estão sendo feitos com outros recursos da Educação. Mas não do FUNDEB.
    Isso é importante para toda a sociedade ficar atenta às discussões nacionais sobre o Novo FUNDEB, a ser definido este ano para valer a partir de 2021.
    Pois o FUNDEB precisa contar com mais recursos, para voltar a financiar outras despesas da educação o ano inteiro, a exemplo do transporte escolar, material didático, reformas e manutenções das escolas, energia elétrica etc.
    Afinal, o FUNDEB é o único recurso seguro e relevante para o financiamento da Educação.
    Precisamos lutar por um financiamento que garanta conquistas como o piso salarial e o plano de cargos, salários e carreiras dos profissionais do magistério, valores indispensaveis para continuarmos avançando rumo a uma educação publica e gtatuita cada dia melhor.

Deixe um comentário