Secretário revela que dejetos do presídio de CODÓ as vezes ‘vazam’ mesmo pra rua

Mesmo a Secretaria Estadual de Administração Penitenciária afirmando, por meio de nota, que já resolveu o problema os moradores do entorno do presídio regional de Codó continuam reclamando de mau cheiro vindo da galeria que traz o esgoto que tem hoje mais de 90 presos.

”Eu queria saber quem foi que criou essa água pra vir pra água fria, quem foi esse engenheiro, essa ideia dele (…) acabando a natureza, a água tá indo toda pro rio e ninguém faz nada rapaz”, disse o mototaxista Reginaldo da Luz Queiroz

Cícera Maria Viana da Silva, vendedora de frutas e verduras na área, completa, “Tem dia que doi minha cabeça, prejudica até a saúde das  crianças… NEM COMER SE PODE MAIS? Nem comer em paz, come com aquele fedor..SENTAR NA PORTA DE CASA? Sentar com a mão no nariz, se quiser sentar”

ENTREVISTA DAS AUTORIDADES

Insistimos em ouvir as autoridades locais. Desta vez conseguimos entrevistar o fiscal sanitário que, depois da primeira visita em 09 de outubro,  voltou esta semana ao local (terça-feira,20).

Paulo Freire – Fiscal Sanitário

Paulo Freire sustentou novamente que nada encontrou e disse que poderá refazer a fiscalização se as reclamações persistirem.

 “Como nós não vimos nada que, realmente, constatasse como se fosse deles julgamos improcedente a reclamação (…) A gente pode, né, afinal é nossa obrigação, é o nosso serviço, a gente pode retornar e ver, colocar algum parecer com o Estado, ver se o Estado vem também  técnicos deles pra examinar, né”

CONFIRMAÇÃO

 Na Secretaria Municipal do Meio Ambiente, da Prefeitura de Codó obtivemos a confirmação do problema. O secretário Ivaldo José da Silva relatou que as fossas sépticas enchem demais e quando transbordam fazem com que os dejetos cheguem ao riacho.

Secretário Ivaldo José da Silva

 “Só há o vazamento de fezes quando ela superlota, é tanto que  você só percebe esta reclamação mais consistente da população quando ela não tem a capacidade de acumular, isso faz um transbordo, vai até a rua, quando o volume é muito forte além da rua deve atingir o córrego do água Fria e aí a população reclamando, reclamando com toda razão”, afirmou

A respeito de solução o secretário disse que o SAAE, autarquia municipal subordinada à prefeitura, já se comprometeu em ajudar num projeto que traga o esgoto do presídio para a estação de tratamento, mas isso tem custo alto e não dinheiro ainda disponível.

Nesta quinta-feira haverá uma nova reunião sobre este assunto.

 “Diante de toda essa discussão diante de todo esse manifesto, esteve ontem na Secretaria a empresa responsável por esse projeto e amanhã teremos uma reunião com o Saae, a secretaria de Estado da Segurança, a empresa e nossa equipe do Meio Ambiente na perspectiva de encontrarmos a melhor solução”

Deixe uma resposta