SINTSERM volta a cobrar gratificação prometida em 2018 por Francisco Nagib

PREFEITO NAGIB, CADÊ A GRATIFICAÇÃO AOS PROFESSORES PROMETIDA EM 2018?

Nos últimos dias, numa tentativa de fugir do desafio e promessa firmado com os profissionais da educação caso houvesse uma elevação do IDEB, o prefeito vem falando muito em “valorização” dos educadores em seu governo, pois bem, vamos aqui relembrar um pouco do tratamento dado aos mesmos pelo atual gestor:

● Congelamento nos proventos dos professores contratados;

● Início do ano letivo no mês março nos últimos anos justamente pra não pagar janeiro e fevereiro dos contratados;

● Além disso, professores contratados e/ou seletivados amargaram mais 35 dias entre maio/junho de 2020 em plena pandemia sem seus vencimentos;

● Não criou um calendário de pagamento digno para os educadores, mesmo com os recursos do fundeb chegando no município rigorosamente em dias;

● Veto ao projeto de rateio dos precatórios do fundef com os profissionais do magistério criado e aprovado na Câmara de vereadores;

● A exemplo dos ex-gestores negou o direito dos professores ao recebimento do terço de férias baseado nos 45 dias;

● Adiou o máximo o concurso público em seu governo, inclusive descumprindo alguns TACs junto ao MP e quando resolveu o fazer em plena pandemia disponibiliza uma quantidade de vagas bem inferior à demanda;

● Entre outros, …

SINTSERM-CODÓ

Em: 01/10/2020.

7 comentários sobre “SINTSERM volta a cobrar gratificação prometida em 2018 por Francisco Nagib”

  1. “turma”!!..…o homem já SAIU negada, seus ingênuos vão caçar o que fazer. Os homens destocar e queimar as roças para o plantio. As mulheres tem uma TROUXA de roupas no tanque pra VCS lavarem. Isso enquanto a PANDEMIA não acaba.

  2. Caro Acélio, sinceramente não entendo esse sindicato, demonstra ser totalmente apático. Se tivesse um corpo jurídico decente e atuante resolveria muitas coisa, mas prefere ficar esperniando, levantando faixa. O terço de férias sobre os 45 dias, bastava um MS coletivo, fico espantado que nunca fizeram isso. As outras demandas, judicializava.

Deixe uma resposta