70 ANOS DE IDADE – Uma vida de experiência

O tempo é inexorável e precisamos deter o desgaste que ele produz e não há nada mais angustiante do que considerar que cada segundo que passa corresponde a um segundo que não volta mais. Já pensou quantos são em uma hora, num mês, em dez anos? Assim, vai-se ficando velho. O interessante, salvo alguns problemas de saúde, é que nós que estamos nessa idade não sentimos realmente que temos já esta idade toda. Achamos que a nossa idade física é um pouco menos. Digo isso, porque o nosso sentimento fisico é que podemos subir uma escada, praticar alguns serviços e até mesmo carregar peso sem nos darmos conta de que nosso orgnismo não suporta alguns excessos, podendo nos trazer sérias consequencias à saúde.

Escritor Carlos Magno fará 70 anos neste 26 de junho/2015
Escritor Carlos Magno fará 70 anos neste 26 de junho/2015

No início da história do ser humano não havia a preocupação estética no envelhecimento, pois a vida média do homem era muito pequena, devido a sua fragilidade diante das doenças e principalmente dos predadores mais fortes, tomei conhecimento desses relatos através de leitura de compêndios específicos sobre a idade humana.

Nesta semana, estarei completando 70 anos de idade pela vontade de Deus. Uma vitória e tanto na vida, considerando os percalços atravessados ao longo de todos esses anos. É um aprendizado proficuo, um amadurecimento nos meandros da vida. Considero essa vivencia um curso sobre todos os outros pois é a escola da vida a que mais nos ensina. Sobretudo o respeito, a experiencia, o conhecimento, e a tolerancia. Sabe-se, pelas inúmeras reportagens e matérias, tanto da midia popular como da midia cientifica, que o ser humano está vivendo mais, graças aos avanços da ciencia nas pesquisas pertinentes a longevidade.

Com o passar dos tempos o ser humano iniciou seu grande desafio contra a morte, ou seja, viver eternamente ou o máximo possível e com o melhor aspecto estético. Em toda a história da humanidade vemos relatos, em diversas culturas e civilizações o uso de banhos, ervas e até mesmo sacrifícios rituais para manter a beleza do corpo. Alguns escritores relatam que Cleópatra tomava banhos de leite para manter sua pele sempre jovem, bela e suave. De seu tempo, entre os egípcios, temos o uso de tinturas para os cabelos, maquiagem para o rosto, olhos, etc. No mesmo antigo Egito a cirurgia plástica, mesmo que rudimentar, já era praticada para corrigir defeitos, e quem sabe, para manter o ser humano mais jovem. A preocupação com a “beleza” do corpo naquela época era tão evidente que todos os corpos de faraós e nobres foram cuidadosamente preparados para quando chegassem em sua “nova vida”, estivessem perfeitos e acompanhados de todas as suas jóias e objetos pessoais, demonstrando uma inequívoca preocupação pela estética do indivíduo.

Na idade média, encontra-se relatos de filtros, poções mágicas e diversos expedientes para manter a beleza física mesmo com o envelhecimento cronológico. Surgem os alquimistas em sua busca pela imortalidade, o ser humano perfeito, eterno e sempre jovem. Há poucos séculos atrás Ponce de León acabou enlouquecendo na busca da “Fonte da Juventude“. Entretanto, toda essa busca sempre foi inútil da maneira que queriam, ou seja, a vida eterna em um corpo jovem.

Graças a evolução da Medicina e principalmente nas últimas décadas com as pesquisas feitas em Medicina Ortomolecular, os estudos genéticos, bioquímicos e a Biologia Molecular, a vida média do ser humano teve um aumento significativo, mas mesmo assim nós ainda temos diversas barreiras a ultrapassar e ainda buscamos o corpo, a pele, os cabelos perfeitos de um jovem no corpo cronológico que não é aquele que nossa mente deseja.

Antes de qualquer coisa, e qualquer um que estudou biologia e lê artigos científicos sabe, temos de lembrar que o corpo humano está sempre em mutação. Nos desenvolvemos a partir de uma única célula, no momento da concepção até transformarmos, na idade adulta, em um organismo composto por milhões de células. A puberdade transforma as crianças em adultos e pessoas com mais equilíbrio e mais curiosas. Na idade adulta ocorre uma fase de estabilidade, com poucas transformações. Mesmo assim a todo instante os tecidos estão sendo reparados e regenerados, os níveis de diversos hormônios se alteram, alguns se mantendo, outros a partir de determinadas idades vão se reduzindo e conforme o indivíduo envelhece ocorrem alterações físicas e mentais, sem implicar contudo na perda de saúde ou vitalidade. Manter-se saudável na velhice já é uma preocupação mundial, conforme o Centro de Informações de Saúde das Nações Unidas, que demonstra que entre 1960 e 1980 a expectativa de vida aumentou em todo o mundo e, no Brasil esse aumento foi de 8 anos, o que é bem grande considerando-se os baixos níveis de vida até a década de 1940.

Lendo uma pesquisa na Revista Science, uma publicação da Associação Americana para o Avanço da Ciência (inglês: American Association for the Advancement of Science — AAAS), onde escreve os maiores cientistas pesquisadores do mundo, ali contém um texto que diz que “Até o momento, não se tem ainda uma apropriada definição sobre velhice, senectude ou ancianidade, nem mesmo sabemos se estes termos são semelhantes ou a relação apropriada que existe entre eles.”

Podemos, por definição, entender que o envelhecimento são as modificações físicas (corporais), fisiológicas (do funcionamento orgânico) e psicológicas resultantes da ação do tempo sobre os seres vivos. A velhice, portanto, seria a culminação de um processo que se inicia com a concepção. A Organização Mundial de Saúde (OMS) dá como início da velhice a idade de 60 anos, o ancião seria o indivíduo de mais de 80 anos e, o decrépito aquele já na nona década. Vários fatores concorrem para o envelhecimento, como a herança genética, raça, sexo condições ambientais e circunstâncias inerentes ao estilo de vida. Hoje em dia são inúmeras as teorias que procuram explicar o envelhecimento, mas todas as teorias, apesar de chegarem a um final comum, nenhuma delas é ainda totalmente satisfatória.

Nessa corrida contra o tempo, os homens, apesar de morrerem mais cedo que as mulheres, eles demoram a dar sinais de envelhecimento mais que do as mulheres, já que contra as mulheres existem os fatores hormonais mais que nos homens e, principalmente a menopausa.

Ao longo desses anos, li algumas públicações médicas e aprendi com especialistas no assunto que também tem-se que lembrar que os nossos órgãos e tecidos não sofrem o envelhecimento ao mesmo tempo nem com a mesma intensidade: há tecidos frágeis como a pele e a medula óssea, que se deterioram. Outros se mantém mais estáveis, como o fígado e o sistema endócrino (glandular), e por fim alguns são considerados como “perenes”, que é o caso do sistema nervoso, um dos últimos a se deteriorarA definição de início da velhice, como dito anteriormente, segundo a OMS é aos 60 anos, mas na verdade e na prática médica do dia-a-dia, vemos que os primeiros sinais do envelhecimento começam o surgir por volta dos 40 anos de idade.

O stress envelhece e a prova disso foi encontrada dentro das células por um estudo americano. Todos já ouviram histórias como “Fulano envelheceu depois da morte do filho” ou “Sicrano ficou de cabelo branco quando cuidou do pai no hospital”. Uma pesquisa da Universidade da Califórnia, em São Francisco, nos Estados Unidos, acaba de demonstrar que há verdade por trás desses clichês. O estudo comprova pela primeira vez que o stress acelera o envelhecimento. Além disso, a pesquisa indica a influência direta do estado psicológico sobre a longevidade das células do organismo. Pessoas que têm uma percepção elevada do próprio stress envelhecem mais rapidamente pois existem certas formas de pensar que contribuem para o stress – a idéia, por exemplo, de que os problemas com que lidamos são insolúveis.

Portanto, meus caros leitores, baseado na minha experiencia de vida, manda a sabedoria popular e hoje adotada por grandes estudiosos que as maiores dentre outras atividades, para se tentar manter uma longevidade é não se preocupar com tolices e praticar o bem que você estará bem consigo mesmo e proporcionará boas reações ao organismo e, ainda, praticar atividade física.

Viver muito mais que os avós já é uma realidade para a geração atual de jovens e adultos. A promessa da ciência agora é a de uma velhice mais saudável e prazerosa

Quero aqui agradecer a todas as pessoas que souberam me compreender e entender, principalmente minha familia quem a que mais convive perto de mim. A minha esposa a quem agradeço a tolerancia e aos meus filhos.

Carlos Magno da Veiga Gonçalves – notário

8 comentários sobre “70 ANOS DE IDADE – Uma vida de experiência”

  1. CARLOS MAGNO DA VEIGA GONÇALVES, UM IRMÃO, MERECEDOR DOS MEUS PARABÉNS E QUE “”DEUS”” O FAVOREÇA COM MUITA SAÚDE E UMA PROFÍCUA LONGEVIDADE.

  2. PARABENS AO SR CARLOS DO CARTORIO, COMO E CONHECIDO.
    VEM A IDADE E JUNTO AS EXPERIENCIA DA VIDA, MAS O QUE MAIS ADMIRO NO AMIGO
    DE FAMILIA DE LONGAS DATAS E A SIMPLINCIDADE, HUMILDADE E O ESPIRITO DE VIDA
    DESTE CIDADAO.
    UM EXEMPLO DE VIDA PUBLICA E FAMILIAR.

    PARABENS SR. CARLOS.

    RONY MENESES E FAMILIA.

  3. PARABENS! SENHOR CARLOS MAGNO É DE UM PESSOA COM O SEU POTENCIAL CULTURAL QUE ESTE INSTITUTO NECESSITA PARA SER O PRESIDENTE.EXPERIENCIA E SABEDORIA VOCÊ TEM.

  4. Pai,Feliz Aniversário!

    Um momento especial de renovação para sua alma e espiríto.Porque Deus na sua sabedoria,deu á natureza,a capacidade de desabrochar a cada nova estação,e a nós a capacidade de recomeçar a cada ano.
    Parabéns!que o senhor possa ter muitos Anos de Vida,saudavéis,abençoados e Felizes.

    Te Amo Pai!!

  5. Carlos,
    Nesse dia tão especial, gostaríamos de dizer o valor inestimável que representas para nós. Uma das grandes bênçãos da vida é a experiência que os anos vividos nos concedem.
    Aniversariar é uma amostra das oportunidades que temos de aprender a contar nossos dias.
    Feliz aniversário!!!
    Parabéns pelos 70 anos, e que venham mais aniversários.
    Grande abraço.

Deixe um comentário