Alunos de Direito do UniFacema são selecionados para Defensoria Pública de Codó

O resultado do seletivo para estágio da Defensoria Pública do Estado do Maranhão, núcleo de Codó, foi positivo para o curso de Direto do UniFacema. Dos 10 classificados no seletivo, 03 foram selecionados, todos são do UniFacema, acadêmicos do 6º. O seletivo foi desenvolvido em duas etapas: análise de currículo e entrevista. A duração do estágio será de um ano prorrogável por mais um ano.

Os alunos de Direito do UniFacema já vêm alcançando resultados positivos em seletivos importantes do Poder Judiciário promovidos pela esfera Estadual e Federal, como Ministério Público Federal, Justiça Federal, Procuradoria Federal. Para o Coordenador do curso de Direito, Profº Espc. Tiago Leal Catunda Martins, esses resultados comprovam o fruto do conhecimento adquirido pelos alunos, confirmando a nota 5 de excelência, reconhecida pelo MEC.

Assessoria de Imprensa UNIFACEMA

3 comentários sobre “Alunos de Direito do UniFacema são selecionados para Defensoria Pública de Codó”

  1. Parabéns aos acadêmicos e futuros advogados!!!

    Parabéns a FACEMA pela qualidade do ensino e oportunidade oferecida aos jovens de Codó e outros tantos municípios.

    Prof. Ivaldo

  2. Acélio, você poderia complementar a matéria, o nome dos alunos é Nickollas Beckman Oliveira Lopes Silva; Dâmaris da Silva Cariman e Lana Valéria da Conceição Rodrigues.

  3. Matéria carente de informação!
    Contribuindo:
    É perceptível que a instituição quer fazer tal fato soar positivo a sua imagem, todas as vagas ocupadas por seus discente, como sendo uma conquista eminentemente meritória, que de fato não o foi.
    A única etapa objetiva e dotada, parcialmente, de credibilidade foi a seleção para a entrevista usando da análise curricular (coeficiente de rendimento). Por que parcialmente? Porque não foi utilizado uma premissa básica de todo e qualquer processo seletivo: publicidade. Os selecionados tomaram ciência da convocação de forma individualizada, por e-mail ou ligação, ou seja, os não selecionados ficaram a se indagar: será se a minha nota não seria suficiente? A fim de dirimir qualquer dúvida ou sentimento de injustiça, deveria ter sido publicado os nomes dos candidatos e os respectivos coeficientes de rendimento.
    Pois bem, a entrevista…
    Vários bons candidatos, todos os selecionados tinham condições de ficar a vaga (palavras de um dos Defensores da instituição). Ora, todos tinham condições? Então adotar a entrevista pessoal como meio de selecionar candidatos se mostrou inconveniente, tendo em vista que é a subjetividade é própria desse processo. Aqui não cabe criticar o método escolhido pela Defensoria, mas do seu próprio desenvolvimento:
    1: Discrepância de entrevistas, isto é, para alguns perguntas específicas, outras gerais, e para outros nenhuma;
    2: Conforme o edital, seria atribuída uma nota de 0 a 10, e que a classificação final seria pelo ordenamento das notas de cada candidato, em ordem decrescente. Ok até aqui, mas o que seria observado para fixar a pontuação do candidato? Até hoje não sabemos, procurei explicações na instituição e me deram somente evasivas. Como considerar tal resultado crível?
    3: Não sendo suficiente, estamparam somente os nomes dos “selecionados” no mural da Defensoria, sem as respectivas notas, tornando público o resultado geral com as respectivas notas, consoante ao edital (que vincula o processo), somente dias depois.
    Ainda tentei contato com a unidade de São Luís, buscando a inserção de um aceitável ao resultado, mas sem resultados eficientes, visto que me foi dada a orientação de buscar novamente a Defensoria, coisa que já havia feito e sem retorno satisfatório.
    Lamentável o desdobramento do dito processo, principalmente em relação aos ideais apregoados pela Defensoria Pública.
    No mais, espero que os demais processos seletivos tomem como exemplo as outras instituições mencionadas (MPF, Justiça Federal), que utilizaram critérios objetivos, promovendo aquilo que vemos teoricamente no curso de DIREITO.
    Por fim, desejo um ótimo estágio para os escolhidos, em especial aos meus nobres colegas pessoais e futuros de profissão, Nickollas Beckman e Lana Valéria.

Deixe um comentário