Começa na antiga Fábrica processo de construção do quartel do futuro Batalhão da PM de Codó

Ten. Campos, major Xavier e Ten. Moura
Ten. Campos, major Xavier e Ten. Moura

Uma das principais frentes de batalha do comandante da Nona Companhia Independente, major Jairo Xavier da Rocha, junto à alta cúpula da Segurança Pública do Maranhão –um quartel da PM para Codó, começa a virar realidade.

Ontem (03) Xavier, acompanhado dos oficiais tenentes Campos e Moura, esteve presenciando a abertura dos trabalhos de limpeza e terraplanagem da área destinada pelo Governo do Estado e pelo município,  cessionário por 20 anos,  dentro da antiga Fábrica Manufatureira e Agrícola do Maranhão.

O comandante disse que a construção será moderna e abrigará o futuro Batalhão da PM em Codó.

Limpeza já começou
Limpeza já começou

“Nós estamos aqui acompanhando o início dos trabalhos, a primeira etapa de construção das futuras instalações do Quartel da Polícia Militar em Codó. O serviço de terraplanagem foi iniciado nesta data, para, posteriormente, construção de uma unidade moderna denominada USP – Unidade de Segurança Pública – mas de já com o formato e a capacidade para abrigar ao futuro Batalhão aqui na cidade de Codó”, explicou o comandante

Xaiver também revelou que há planos da Secretaria de Segurança Pública transformar a cidade de Coroatá numa Companhia Independente, enquanto Codó  ganhará status de Batalhão ficando também responsável pela cidade de Timbiras.

Sobre o início da obra a previsão é que esta primeira etapa termina dentro de no máximo 25 dias.

9 comentários sobre “Começa na antiga Fábrica processo de construção do quartel do futuro Batalhão da PM de Codó”

  1. CARO ACÉLIO.

    Pelas informações que se tem não existe nenhum processo junto ao Governo do Estado do Maranhão, seja de Doação ou Cessão de Uso desse Terreno, para a construção do Batalhão de Policia Militar.

    Para que a Policia Militar possa pleitear essa area, seria necessário a abertura de um Processo de Cessão da Area para a Construção, fato este que segundo informações, ainda não existe junto ao Governo do Estado.

    Segundo informações, todas as áreas da antiga Fábrica Manufatureira e Agrícola do Maranhão, sequer foram destinadas pelo Governo do Estado e pelo município, cessionário por 20 anos que até agora nada fez, para as partes interessadas que já possuem processos em andamento(Tribunal Regional Eleitoral-TRE, Ministério Público estadual-MPE, Ordem dos Advogados do Brasil -Codó-MA e Universidade Federal do Maranhão-UFMA).

    Ademais esse assunto(os trabalhos de limpeza e terraplanagem da área destinada pelo Governo do Estado e pelo município)dentro da antiga Fábrica Manufatureira e Agrícola do Maranhão foi bastante discutido hoje em Reunião na Sede da OAB-CODÓ-MA, onde advogados denunciaram a forma como o processo está se desenrolando, onde o Município de Codó-MA(na pessoa do Prefeito do Município) de modo ilegal e sem qualquer processo formalizado, ou consultar as partes interessadas, está destinando para a Policia Militar do Maranhão, a mesma área onde já existe um outro Processo de doação ou cessão de Uso de terreno para a costrução da Sede da OAB de Codo-MA de nº 376/2008-PGE, o qual se arrasta a mais de 05(cinco) anos, junto ao Governo do Estado, inclusive com parecer favorável da Prefeitura e ainda sem solução.

    Peço a Vossa Senhoria que verifique as informações na OAB-Codó-MA sobre este assunto.

  2. À distância é difícil concluir se houve “derribada” do prédio da antiga fábrica de tecidos de Codó, embora a história narrada e as fotografias (2)mostradas na reportagem levem a tal conclusão.

    2. Referido prédio transcendia aos interesses comunitários codoenses – era de todo o povo do Maranhão -; compunha o cenário de um passado de orgulho majestoso, de prosperidade – era a identidade da pólis.

    3. Se procedente tal conjetura de derrubada, está caracterizado o “rasgar” da Certidão de Nascimento da cidade. É lamentável que esteja acontecendo fato tão deplorável.

    4. Registrem-se os protestos por uma cidade digna de uma Certidão de Nascimento sem adulterações!

  3. Eita que o EX-PRESIDENTE da OAB deve está numa raiva do tamanho do mundo, por ver seu projeto de construção da sede da Ordem não ter o mesmo prestígio das outras instituições.

  4. Pelo que se observa essa Turma da Prefeitura realmente parece não ter limites. O Prefeito Zito e o Secretário Ricardo Torres não respeitam ninguem, muito menos os advogados e a OAB que sequer foram convidados para discutir sobre a distribuição de partes das areas do Terreno do Estado do Maranhão.

    Ao que se observa, são apenas jogadas politicas feitas pelo prefeito em favor de alguns orgãos públicos e seus aliados em detrimento de outros órgãos, utilizando-se da distribuição de partes das areas do Terreno do Estado do Maranhão, que a Prefeitura nada fez como cesionária em 20(vinte) longos anos de ocupação.

    1. ISSO É INVASÃO ILEGAL.
      NÃO SE É CONTRA O BATALHÃO.
      CADÊ O DINHEIRO? CADÊ O EDITAL DE LICITAÇÃO DESTA OBRA?
      VAMOS LÁ MINISTÉRIO PÚBLICO PROPOR A AÇÃO CONTRA A ILEGAL INVASÃO DE UM CENTRO HISTÓRICO

  5. Acredito que com o prestígio que o EX-PRESIDENTE e SUPLENTE DE CONSELHEIRO tem e juntando com o jeito comandado pelo EX do atual presidente da ordem também tem, a OAB vai terminar como sempre esteve e parece que continuará sem ter sua sede.

Deixe uma resposta