DOR NA TV: Cigano chora ao recordar tratamento que recebeu no governo Cuidando de Nossa Gente

Cigano chora de decepção

A entrevista de Edson Cobel, O Cigano, ao jornalista Marcelo Rocha, do programa Confidencial, foi tocada pela emoção. O entrevistado contou sua história de vida, revelando a simplicidade que o acompanha desde muito antes de entrar para a política e acompanhar o prefeito Zito Rolim.

Cigano revelou que já trabalhou de roça, foi mototaxista, pedreiro , funcionário de loja e continua humilde batalhador.

SEM EMPREGO

O ponto alto da conversa com Marcelo foi mesmo a política, especificamente sobre seu relacionamento com o chefe do Executivo. Lembrou que a base de sua campanha para vereador, quando da eleição de Zito, fora abandonada. Cerca de 15 pessoas, que esperavam conseguir um emprego no funcionalismo público, por terem quase se matado para eleger o homem, tiveram que ir embora até para outros Estados. Há quem esteja de Brasília pra frente, sobrevivendo longe da família.

“Excelência, eu quero olhar próximo à você. Se vossa excelência me provar, me dé 5 portarias de emprego, no geral, desde a varredeira de rua, se você me disser, vir à imprensa ou por seus intermediários e provar, me dé a 5 portarias de emprego e o salário de cada, aos nossos voluntários, as pessoas que estão hoje, em São Luís, Brasília, São Paulo, aquelas 15 pessoas que foram a minha base, o meu alicerce, agora só alguns que tão na cidade”, disse

CARGO – CUIDAR DE CEMITÉRIO

Cigano comentou que logo percebera que do governo que ajudou a construir nada ia ter de grande prestígio. Contou à Marcelo Rocha que após acompanhar Rolim, a pé, naquela velha visita ao santo Pardinha, no pagamento de promessa pós-eleição, recebera uma notícia que o surpreendeu.

Em dezembro de 2008, ainda, às vésperas do prefeito assumir, fora lhe revelado o cargo que ocuparia – CUIDADOR DE CEMITÉRIO. O entrevistado lembrou disso aos prantos, mostrando total decepção.

“Quando foi no dia 16 de dezembro, começou minha decepção, o cargo que eu iria ocupar, diante do município…QUAL FOI O CARGO QUE VOCÊ RECEBEU? Cuidar de cemitério, cargo de desconfiança porque cuidar de morto, porque, na verdade, eu procurava de dinheiro…PERAÊ, PERAÊ, A FUNÇÃO ERA DE QUÊ? Cuidar de cemitério, cuidar de cemitério, você vai administrar, você vai cuidar de cemitério”, respondeu à Marcelo chorando

SALÁRIO DE 15º ESCALÃO

Mostrando um contra-cheque com valor de pouco mais de R$ 500,00 que recebia como ‘cuidador’ de cemitério do governo Cuidando de Nossa Gente, Edson Cobel entendeu, a partir dali, que fazia parte não do primeiro escalão, mas do 15º escalão do governo pelo qual quase deu o próprio sangue.

“Você sabe que todo salário é especial, é marcante. Mas, pelo salário, foi 1º escalão? NÃO, 2º escalão? NÃO, 4º escalão também não, acho que eu tava em 15º escalão. Quando vocês vêem o salário aí vocês vão me dizer”, revelou

FORÇA ZERO

Além de ter um subcargo no governo, Cigano reclamou-se do fato de não ter sequer uma reivindicação sua atendida, sobretudo, para o bairro que representa, o Nova Jerusalém.

A estrada do Salobro não foi, a pavimentação do Jerusalém não foi, a nossa iluminação pública não melhorou, por quê? A nossa educação não melhorou, os benefícios da minha comunidade não chegaram, porque, a partir do momento você recebe um cargo de desconfiança, você não vai ter moral nem pra você, você vai ter para os outros?” questionou-se

“PRA ME DESTRUIR”

Chorando, novamente, na mesa do Confidencial, o entrevistado recordou-se de um fato recente, pós saída da base aliada do governo. Por meio de alguém, que ele não quis revelar o nome, soube de uma notícia que lhe cortou o coração.

Disseram à ele que sua excelência ia colocar alguém para atrapalhar os planos de Cigano, por onde ele passasse, principalmente em seu bairro. A frase que ele ouviu teria sido – é para te destruir.

“Chegou a dizer pra mim que o prefeito ia colocar alguém dentro do Jerusalém (bairro) pra me destruir, pra me arrebentar, essa pessoa trabalha na Secretaria de Saúde, essa pessoa eu não tratei mal (…) O PROJETO É COLOCAR UMA? Uma pessoa pra me destruir, no Nova Jerusalém por onde eu passo, que tem uma pessoa paga, ganhando duas ou três vezes a mais do que eu ganhava na Prefeitura para destruir a minha carreira, destruir o meu desejo, destruir o desejo dos meus amigos, destruir a minha família”, contou aos prantos

ÍNTEGRO

Mesmo diante de tudo que viveu, e pode viver se o que ouviu se concretizar, Cigano garantiu que jamais irar usar de meios para denegrir a imagem de Zito, como fizeram com ele na TV do Governo. Encerrou dizendo que se espelha no bem, não no mal.

“Não vou esculhambar ninguém, eu me espelho em coisas boas, no respeito, na cidadania, você pode ter certeza prefeito Zito”, concluiu

Deixe uma resposta