Luis Fernando recebe apoio de prefeitos do PCdoB – dois já até deixaram a legenda

O pré-candidato do PMDB ao Governo do Estado, Luis Fernando Silva, fe-chará o ano de 2013 com apoio público de pelo menos quatro dos cinco prefeitos eleitos em 2012 pelo PCdoB – partido do seu provável adversário Flávio Dino. Dois destes prefeitos – Bruno do Breado, de Igarapé Grande, e Nonato Silva, de Cajapió – decidiram deixar a legenda para se dedicar à ali-ança com o peemedebista. O secretário mantém intensa articulação também com lideranças de outros partidos da oposição, como PSB, PSDB, PPS e PDT e espera tê-los em seu palanque no ano que vem.

Luís Fernando e novos aliados
Luís Fernando e novos aliados

A aproximação entre Luis Fernando e os prefeitos comunistas tem relação com o histórico político de cada um. E tem se fortalecido mesmo diante da pressão dos membros do partido de Flávio Dino pelo afastamento dos gestores.

Em 2012, os comunistas elege-ram prefeitos em cinco municípios maranhenses – Lajeado Novo, Gonçalves Dias, Cajapió, Igarapé Grande e Dom Pedro. Chegaram a comemorar vitória do partido nas urnas. Mas todos os prefeitos eleitos – inclusive Hernando Macêdo, de Dom Pedro, único a ainda se manter alinhado ao projeto de Flávio Dino – tinham ligações políticas históricas com os partidos da base do governo Roseana Sarney (PMDB), o que os levou a se aproximar de Luis Fernando.

Edison Santos, de Lajeado Novo, tem participado de todos os eventos do pré-candidato peemedebista na região tocantina. Em pelo menos duas oportunidades fez questão de aparecer na foto ao lado do candidato ao governo. Vilson Andrade, de Gonçalves Dias, também participa dos eventos de Luis Fernando, embora se mantenha filiado à legenda do chefe comunista no maranhão.

Defecções – O primeiro a decidir deixar o PCdoB – após patrulhamento dos correligionários comunistas – foi Bruno Costa Galvão, o Bruno do Breado, prefeito de Igarapé Grande. No início de outubro, ele e seu pai, Edvaldo Lopes Galvão, o Breado, uma das principais lideranças da região do Médio-Mearim, anunciaram a saída das hostes comunistas por incompatibilidade com os ideias de seus líderes no Maranhão.

Dias antes, em evento do chefe comunista na região, a ausência dos dois foi comentada, até que eles informaram que não acreditavam no projeto comunista para o Governo do Estado. Desde então, os dois se mantêm alinhado ao projeto do candidato Luis Fernando Silva.

Na semana que passou, foi a vez do prefeito de Cajapió, Nonato Silva. Ele veio a São Luís para comunicar aos aliados de Luis Fernando Silva que também estava deixando o PCdoB para apoiar oficialmente a campanha do candidato do PMDB.

Cajapió é uma espécie de feudo eleitoral da família do ex-governador José Reinaldo Tavares (PSB) – principal tutor da vida política de Flávio Dino. A irmã de Tavares, Ana Sílvia, mãe do deputado estadual Marcelo Tavares (PSB), é a vice de Nonato Silva. Por conta disso, os Tavares tentavam controlar a Prefeitura para direcioná-la ao projeto eleiotoral do afilhado comunista do ex-governador, que nenhuma relação pessoal mantinha com o prefeito. Nonato Silva decidiu, então, se afastar deles e buscar apoio no grupo do peemedebista. Vai se filiar ao DEM e apoiar os candidatos a deputado César Pires (DEM) e Júnior Marreca (PV).

Único remanescente dos prefeitos eleitos em 2012 pelo PCdoB, Hernando Macedo deixa claro que mantém relação amigável e próxima com seus ex-aliados de PMDB. Deverá permane-cer com Flávio Dino até a campanha, mas sem quebrar lanças que impeçam a relação cordial com o Governo do Estado e principalmente com os peemedebistas.

Relação com oposicionistas é de respeito

A relação do secretário Luis Fernando Silva é de respeito com todas as lideranças de oposição em todo o estado. Com o tratamento dado a prefeitos, deputados e outras lideranças de PSDB, PSB, PDT, PPS e PCdoB, o pré-candidato do PMDB tem colhido admiração dos adversários.

Do PSDB ele já tem o apoio público do prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira, que tenta convencer a legenda a formar aliança com o PMDB no Maranhão. A maioria dos tucanos torce o nariz para a possibilidade de aliança com Flávio Dino, defendida pelo presidente da legenda, deputado Carlos Brandão, que sofre ascendência do ex-governador JR Tavares.

Entre os prefeitos do PSB, a relação também é muito próxima com todos. Na condição de secretário de estado, Luis Fernando já firmou parceria com os gestores socialistas de Timon, Luciano Leitoa; de Caxias, Leonardo Coutinho; de Santa Inês, Ribamar Alves, e de Balsas, Luiz Rocha Filho, o Rochinha. E todos retribuem com agradecimentos públicos, apesar da patrulha oposicionista.

A proximidade de Luis Fernando Silva dos pedetistas se dá no âmbito da Assembleia Legislativa. Os deputados Carlinhos Amorim e Valéria Macêdo votam sistematicamente com o governo Roseana Sarney (PMDB), e acompanham eventos de Luis Fernando na região tocantina.

Outra deputada eleita pela legenda, Graça Paz optou por transferir-se para o PSL, ao lado do marido, Clodomir Paz, uma das principais lideranças do PDT no Mara-nhão. O casal tem sido responsável pela aproximação do prefeito de Barreirinhas, Léo Costa, que já firmou parceria com o governo para obras em seu município.

Mais

O PPS é o único partido de oposição no Maranhão que não se alinha nem com o projeto de Flá-vio Dino, nem com o de Luis Fernando. A legenda tem pré-can-didata ao governo a deputada estadual Eliziane Gama, que disputa com os dois o apoio das demais legendas.

Marco Aurélio D´Eça
Editor de Política Jornal O Estado do Maranhão

Um comentário sobre “Luis Fernando recebe apoio de prefeitos do PCdoB – dois já até deixaram a legenda”

Deixe uma resposta