Órgãos de defesa da criança e do adolescente se atrapalham e reunião de carnaval deixa de ocorrer

Estava prevista para ontem, a priori, uma reunião ampliada envolvendo Ministério Público Estadual (promotoria da Infância e Juventude), Conselho Tutelar, Escolas de Samba, Conselho Municipal de Defesa da Criança e do Adolescente -CMDCA – vendedores (donos de barracas no carnaval) e polícia, com a coordenação da Secretaria de Cultura e Igualdade Racial.

MISTURADA

Para ontem (10) não deu porque, segundo ouvimos indo ao MP, à Secretaria e ao CT, o Ministério Público esperava a secretaria marcar, o Conselho Tutelar esperava o Ministério Público determinar dia e hora do encontro e a Secretaria de Cultura esperava que o MP se manifestasse.

Como ninguém tomou a frente, o que era para acontecer ontem às 17h no auditório da Escola Ananias Murad, chegou a ser ventilado para esta quarta-feira (11), no mesmo horário e local, mas para hoje, segundo informou Augusto Serra, não há disponibilidade na agenda da promotora Valéria Chaib que encontra-se ocupada com questões jurídicas locais.

Resultado, não haverá mais qualquer  reunião.

Restou uma portaria do Ministério Público disciplinando a participação de crianças e adolescentes na festa e uma outra elaborada pelos conselheiros tutelares. Ambas serão distribuídas para quem estará envolvido no reinado de momo (barraqueiros, escolas de samba, polícia, donos de bares, clubes e outros).

“Eu vou conversar com o pessoal das escolas de samba, a indústria e Comércio vai conversar com o pessoal das barracas e a questão dos clubes cada um deve receber uma portaria”, explicou Augusto  Serra, secretário de Cultura explicando como fará para que o conteúdo das portarias chegue ao seu destinatário.

Deixe um comentário