Por Arlindo Salazar – Sem Marina 40, sou Dilma 13

Desde a concepção do Partido dos Trabalhadores em fins dos anos 70 e início dos anos 80 coincidindo com o meu desperta adolescente para a importância da política no cotidiano da vida, apoiei os ideais daquele jovem partido. Na frente um trabalhador barbudo imigrante do nordeste brasileiro ladeado por figuras expressivas como Apolônio de Carvalho, Mário Pedrosa, Antonio Candido e Sérgio Buarque de Holanda.

Os sonhos daqueles homens se coadunavam com o sonho de minha geração: um Brasil livre da ditadura militar; a luta pelas eleições diretas para presidente; um Brasil que reconhecesse o seu trabalhador, que valorizasse os negros e os índios; um Brasil que preservasse o meio ambiente, que fizesse a reforma agrária; um Brasil de brasilidade brasileira onde eu pudesse me sentir parte dele.

O PT cresceu e com ele os nossos sonhos. Finalmente chegamos ao poder com o homem nordestino barbudo, eu me senti parte daquele sonho. O Lula na Presidência era a certeza de que cada trabalhador estava lá com ele.

O PT se afastou de seus princípios e não fez as reformas que o Brasil precisa: reforma agrária, reforma política e reforma tributária. Acredito que o PT precisa se reinventar outra vez.

Apesar das falhas que o governo cometeu e ainda comete e vai continuar a cometer, como diria o próprio Lula, nunca na história desde país o homem mais simples teve e continua a ter tanta atenção de um Governo.

Quero assim justificar e conclamar o voto a DILMA 13, não pelos erros cometidos, mas pelos acertos desde governo. Aumentou o investimento na educação, criou o REUNI, O PROUNI, O PRONATEC, distribui renda através de programas sociais como o PROJOVEM TRABALHADOR,    BOLSA FAMILIA, MINHA CASA MINHA VIDA, LUZ PARA TODOS, SEGURO SAFRA. Criou as UNIVERSIDADE ABERTAS DO BRASIL, AMPLIOU OS INSTITUTOS FEDERAIS DE EDUCAÇÃO, Criou O PROGRAMA CIENCIAS SEM FRONTEIRAS, AS UPAS, PRONAF, PROGRAMA JOVEM APRENDIZ, PROGRAMA CRAK É POSSÍVEL VENCER, EDUCA MAIS BRASIL, MAIS EDUCAÇÃO e tantos outros programas sociais que auxiliam a população a se desenvolver e a ter uma melhor condição de vida.

No primeiro turno das eleições votei Marina 40, por entender que o país precisa de uma mudança, por não concordar com os desvios de conduta de figuras ilustres do PT, mas em nenhum momento deixei de reconhecer os avanços do Brasil com o Governo dos Trabalhadores.

No segundo turno voto DILMA 13 porque entendo que AÉCIO não é a mudança que o Brasil necessita. O PSDB esteve durante 10 anos à frente do Governo e, apesar de reconhecer que a sua participação foi importante para o País, não consigo, nestes dias que se avizinham à eleição, ver no PSDB alternativa de mudança segura que tanto necessitamos.

Sem Marina 40 sou DILMA 13. Sou Dilma pelos 56 milhões de pessoas que deixaram a extrema pobreza, sou DILMA 13 porque acredito que dentro do Partido dos Trabalhadores ainda há um quadro valoroso de pessoas que realmente se importam com este país. Sou Dilma 13 porque acredito que o Brasil continuará acertando. Sou Dilma 13, apesar dos Sarney, dos Lobos, do Genuíno, do José Dirceu, Sou Dilma 13.

Sou Dilma 13, não por oportunismo, por modismo ou conveniência. Sou Dilma 13 conscientemente de que sem Marina 40 o melhor caminho ainda é Dilma 13.

Por  Arlindo Salazar, Contador-UFMA, Especialista em Gestão Pública Municipal-UEMA, Especialista em Didática Universitária -FAMA e Analista Tributário da Receita Federal do Brasil.

11 comentários sobre “Por Arlindo Salazar – Sem Marina 40, sou Dilma 13”

  1. Parabéns Arlindo. Chegou a hora de mostrar a cara mesmo.
    Concordo que, se o país não passou pelas transformações que gostaríamos, ou sonhamos, pelo menos reconheçamos aquilo de bom que foi realizado, sobretudo, para as classes sociais menos favorecidas. Além disso, o candidato da oposição (PSDB)nada tem a acrescentar de novo,a não seus discursos vazios e que nada representa em termos de mudanças efetivas para o país e os brasileiros.

Deixe uma resposta