Projovem Urbano de Codó encontra dificuldades para fechar 200 matrículas em cursos que pagam para estudar

O formador de professores do PROJOVEM URBANO, Cícero Barros,  nos lembrou que os problemas com interessados e com a evasão não são recentes. Na edição anterior, depois de algumas prorrogações o município conseguiu matricular os 400 alunos necessários, porém menos de 100 concluíram os cursos oferecidos à época.

 “A educação pública no Brasil, ela passa por  um problema muito sério, o descrédito. O professor por mais que se planeje, que esteja em sala de aula com uma metodologia que tente colaborar com a aprendizagem do aluno, ainda assim esse aluno não se sente parte do processo ensino-aprendizagem, se eu não me sinto parte do processo, eu não participo, se eu não participo, eu sinto vontade de não estar ali, acredito que esta seja uma das causas da evasão”, justificou o sábio e gentil  educador

Na atualidade a luta continua para que sejam formadas 5 novas turmas.

As matrículas foram abertas em setembro do ano passado, encerradas em novembro e, por causa da baixa procura, prorrogadas até o próximo dia 23 de fevereiro. Desta vez o município só precisa de 200 matrículas, mas até agora só conseguiu fechar uma turma, com 40 alunos.

CRITÉRIOS

Os critérios não exigem muito do futuro aluno:

·         Basta ter entre 18 e 29 anos de idade;

·         E não ter concluído o Ensino Fundamental;

·         Uma vez matriculado e frequentando recebe R$ 100,00 por mês até o fim do curso

·         E as alunas  que são mães ainda contam com uma sala de acolhimento que cuida dos filhos enquanto elas estudam.

A coordenadora do programa, professora Maria de Lourdes Sousa Palhano,  mantém a esperança de que as cinco turmas serão formadas até 23 de fevereiro e apelou para a sensibilidade de quem pode, neste caso, aproveitar a oportunidade.

 “Estou aqui apelando é para  a sensibilidade, porque esta sensibilidade nos diz também a necessidade que nós temos que estudar (…) O Maranhão, o nosso país só melhora quando a gente começa a mudar nossa postura e essa mudança de postura a gente tem que começar querendo aprender, querendo saber, sendo curioso, então é um chamamento pra vocês, façam a matrícula de vocês, chame mais um”, afirmou

ONDE SE MATRICULAR

Matrículas estão sendo feitas nos CRAS de cada bairro, na sede da Secretaria de Educação (centro) e na escola Senador Archer (onde funcionarão as salas de aula, caso venham a ser formadas).

Quem se matricular vai participar de todos os cinco cursos disponíveis que são Manicure, Pedicure, Maquiador, Depilador e Cabeleireiro.

8 comentários sobre “Projovem Urbano de Codó encontra dificuldades para fechar 200 matrículas em cursos que pagam para estudar”

  1. Caro leitores, é bem mais fácil pedir algo alguém pois a grande maioria da populaçõs foi treinada ao longo de vários anos a depender diretamente de favores, ou seja, deixaram a população burra (sem conhecimento) para ter uma aliança forte na questão EU TE AJUDO E VOCÊ VOTA EM MIM…é simples assim, ainda veremos por muitos anos esse tipo de resistencia no maranhão…ESTUDAR NEM PAGO…quem diria eu ao escutar uma cigarra cantando às 14:00 na quebrada de um morro trabalhando de roça, a se os tempos fosse os de hoje, jamais eu passaria por isso novamente, seria bem mais prático estudar e ganhar uma grana.
    ATT ENKI

  2. ENKI, falou pouco e falou tudo, o jovem codoense não gosta de estudar e nem se preocupa com seu futuro, o negocio é gela guela, Smartphone na mão pra passa mensagem, e um pouco de curtição no buteco tirando onda de figurão,só isso.

  3. MAIS ESSES CURSOS AI É MUITO BARELA….TEM QUE COLOCAR CURSO QUE INCETIVA MAIS E DE MAIOR CONCORENCIA….ESSES AI OFERECIDO É MUITO SIMPLES E A MAIORIA NÃO QUER….

    CURSOS MAIS AVANÇADOS AI SIM VAI CHOVER DE GENTE

    1. O ProJovem Urbano é um programa do Governo Federal, vinculado ao Ministério da Educação e realizado em parceria com as secretarias estaduais de Educação, que oferecem o programa de acordo com a realidade da região. O Programa Nacional de Inclusão de Jovens (ProJovem) na modalidade urbana visa à formação integral do jovem entre 18 e 29 anos que não concluiu o ensino fundamental, para inseri-lo no mercado de trabalho e possibilitar a ele o exercício da cidadania. Oferece um curso de duração de 18 meses, que é realizado presencialmente e a distância. Ao participar do programa, os alunos recebem uma bolsa mensal de R$100,00.

Deixe uma resposta