Trabalhadores são resgatados de fazenda em Codó mas imprensa tem acesso negado às informações

A imprensa teve seu trabalho dificultado ontem, 13, ao tentar saber na Agência do Trabalho de Codó de onde eram os trabalhadores resgatados por fiscais do Ministério do Trabalho e Emprego, acompanhados de vários policiais federais que desde sábado, 10, vistoriam fazendas do interior do município em busca de irregularidades.

O repórter, Francisco Oliveira (do Correio Codoense) contou à redação do blogdoacelio que tentou conversar com os responsáveis pelo trabalho, mas ouviu apenas que “nenhum informação seria dada aos comunicadores da cidade’, fato lamentável.

Fotos foram tiradas, na agência, de trabalhadores que estariam em uma fazenda do município, pertencente à um grande político, trabalhando debaixo de regras que vão de encontro à legislação trabalhista brasileira. Pelas preliminares informações, trata-se de trabalho sem carteira assinada e de outras irregularidades que estamos tentando descobrir pra ver se tem a ver com condições análogas a de escravo.

TRABALHADORES DENUNCIARAM

O blogdoacelio ficou sabendo que existiam dois grupos dentro da fazenda. Quando o dono teve conhecimento da fiscalização pediu para que todos se retirassem, mas um grupo, justamente o que fez a denúncia ao Ministério do Trabalho e à Polícia Federal, resistiu e não saiu até a chegada dos fiscalizadores.

Quanto as penalidades, o que inclui indenizações trabalhistas pesadas pelo desrespeito a lei, quantos foram resgatados e outros detalhes só saberemos quando os fiscalizadores resolverem colaborar.

Deixe um comentário