Veja como ficará o cenário no primeiro escalão de Roseana por causa das eleições

Com a chegada de 2014 começaram as movimentações que definirão os cenários das eleições de outubro no Maranhão. Neste início do ano, devem ser iniciadas as desincompatibilizações de cerca de 10 secretários de Estado e pelo menos três da Prefeitura de São Luís, além da saída de Gastão Vieira (PMDB) do Ministério do Turismo. O período para que os auxiliares de primeiro escalão do Estado, Município e União deixem o cargo até abril.

Roseana Sarney
Roseana Sarney

No governo estadual, o esperado é que até o próximo mês pelo menos 10 dos 15 secretários pré-candidatos a cargos majoritários e proporcionais deixem a administração.

Segundo a governadora Roseana Sarney (PMDB) revelou a O Estado, o esperado era que a saída dos pré-candidatos ocorre até dia 15 deste mês. No entanto, por compromissos pessoais dos seus auxiliares e o recesso de fim de ano, nesse prazo não haverá desincompatibilizações, até mesmo porque ainda não foi feita uma reunião com os membros do primeiro escalão do governo para tratar do assunto.

“Eu quero que eles se afastem até o dia 15 de janeiro, mas talvez isso não ocorra agora. Talvez não dê tempo. Além de problemas de ordem pessoal no fim de ano, todo mundo tira um pouco o pé do acelerador. Então, eu estou esperando todos chegarem para que a gente possa conversar e entrar num entendimento”, afirmou Roseana em entrevista exclusiva dada a O Estado em dezembro.

Após reunião com o secretário-chefe da Casa Civil, João Abreu, Roseana Sarney já estima quantos secretários deverão sair. “Fizemos um levantamento com o João Abreu [secretário-chefe da Casa Civil], e acho que ficará naquela média entre 10 e 12 secretários que deverão se afastar. Então já diminuiu um pouco, não serão mais 15 como prevíamos”, disse a governadora.

Para disputar o Governo do Estado, deixará a Secretário de Infraestrutura, Luis Fernando Silva (PMDB).

Para a Câmara Federal, deixará a pasta de Educação Pedro Fernandes (PTB). Para a Assembleia Legislativa, retornarão Ricardo Murad (PMDB) da Saúde e Victor Mendes (PV) do Meio Ambiente.

Outros secretários que também deverão entrar na disputa eleitoral são Joaquim Haickel (PMDB), de Esporte e Lazer; Cláudio Trinchão (PSD), da Fazenda; Hildo Rocha (PMDB), das Cidades e Desenvolvimento Urbano; Ricardo Antônio Archer (PSL), de Assuntos Políticos; Aluísio Mendes (PSDC), de Segurança Pública; Fábio Gondim (PT), de Gestão e Previdência; José Antônio Heluy (PT), de Trabalho e Economia Solidária; Rodrigo Comerciário (PT), de Articulação Institucional; José Costa (PT), de Ciência, Tecnologia, Ensino Superior e Desenvolvimento Tecnológico; Ricardo Guterres (DEM), de Minas e Energia, e Alberto Franco (PMDB), da Secretaria de Assuntos Estratégicos.

Maranhenses deixarão cargos federais este ano

Também deixarão cargos no Poder Executivo, na estrutura do Governo Federal, o ministro do Turismo, Gastão Vieira (PMDB), e o presidente da Embratur, Flávio Dino (PCdoB). Vieira retornará à Câmara Federal para disputar a reeleição e Dino anunciou saída do instituto de turismo para se dedicar a campanha para o governo estadual.

A O Estado, Gastão Vieira disse que deverá deixar o cargo até o início de fevereiro. Ele espera uma reunião com a presidente Dilma Rousseff (PT) para comunicar sua pretensão. “A gente já comunicou que vai sair e agora está esperando ela [Dilma Rousseff] dar o comando”, declarou.

Em dezembro, Flávio Dino anunciou que deixaria em janeiro a Embratur para se dedicar ao seu projeto de alcançar o comando do Palácio dos Leões. Até o momento, no entanto, o comunista ainda não deixou o cargo.

A intenção da presidente Dilma, segundo informou a Agência Brasil é antecipar as mudanças para que elas sejam concluídas “até o Carnaval” e evitar maiores problemas para a condução do governo no ano eleitoral.

Apesar deste posicionamento da presidente, Gastão acredita que as mudanças não foram todas confirmadas porque há “muita pressão” sobre a presidente. “A gente está esperando ela [Dilma] determinar o dia. Eu creio que isso deve acontecer na segunda quinzena de fevereiro”, disse.

 Mais

A governadora Roseana Sarney (PMDB) assegurou que a recomposição de cargos na estrutura de Governo ocorrerá por personagens com perfis predominantemente técnico. Ela afirmou que não aceitará indicação política por parte dos secretários que se afastarão de suas respectivas pastas e disse que o objetivo com a medida, é evitar desequilíbrio entre os membros da base que disputarão a eleição em outubro. “Vou colocar apenas técnicos para nos ajudar a tocar o Governo no restante do ano. Não aceitarei indicações políticas”, afirmou.

Leia mais na edição deste domingo do Jornal O Estado do MA

Deixe uma resposta