Veja o que o governo Flávio Dino disse sobre falta de vigias e professores em Codó

Veja como o governo do Estado se manifestou sobre a falta de vigias nas escolas da rede estadual em Codó e também sobre a falta de professores para os alunos.

Só na escola Lúcia Bayma os estudantes denunciaram que faltam 9 professores pela manhã e 4 à tarde. A NOTA ABAIXO:


A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) informa que a equipe da Unidade Regional de Educação (URE) reuniu com os estudantes nesta terça-feira (9) e reforçou que todas as medidas estão sendo tomadas para suprir a carência de professores nas escolas.

A Seduc informa, ainda, que está realizando processo seletivo, reordenamento do quadro docente da rede estadual e o remanejamento de professores às unidades escolares citadas no município de Codó.

Com relação à falta de vigilantes na escola, a secretaria esclarece que iniciou o processo de readequação dos serviços de vigilância e de portaria nas unidades da rede estadual de ensino, no intuito de tornar mais eficiente a prestação de serviços e recursos públicos e, fortalecer, dessa forma, a boa gestão das escolas.

Fonte: Seduc

09/04/19

5 comentários sobre “Veja o que o governo Flávio Dino disse sobre falta de vigias e professores em Codó”

  1. Já penso ao contrário, sede o governo da Roseana ela implantou essas gerências e que hoje é chamada de regionais pra melhorar o atendimento dos municipios, só que na verdade virou cabide de empregos porque não consegue resolver nada.

  2. Já penso ao contrário, desde o governo da Roseana ela implantou essas gerências e que hoje é chamada de regionais pra melhorar o atendimento dos municipios, só que na verdade virou cabide de empregos porque não consegue resolver nada.

  3. É isso mesmo Verdade só cabide de emprego, não se consegue resolver nada às vezes tem que ir a São Luís ou ficar ligando pra um telefone que é a maior dificuldade pra atenderem.Já passou da hora de acabarem com essa história de reeleição é só motivo pra encher bolso de uma minoria.

Deixe uma resposta