Vereadores vão ter que rasgar e tocar fogo na própria lei que criaram se quiserem dar título de Cidadão Codoense em 2015

Ao apresentar ontem (13) a nova lista de futuros cidadãos codoenses, os vereadores se viram numa sinuca de bico criada por eles mesmos em maio de 2012 (data de apresentação do projeto de lei) quando, após pressão da imprensa, viram-se obrigados a estabelecerem critérios para que alguém fosse agraciado com o mais nobre dos nossos títulos – O DE CIDADÃO CODOENSE.

A coisa tava tão solta que bastava ser amigo de um vereador e não ter nascido neste torrão para vestir uma beca legal e ir à Câmara no 16 de abril para receber a honraria.

O projeto apresentado e aprovado acochou o nó com as seguintes exigências:

  • Empresa com registro no município de Codó Maranhão. Empregadora de, no mínimo, três pessoas com registro em carteira ou mantido, atualmente, parceria com algum órgão da gestão pública municipal, estadual ou federal no que diz respeito ao programa Primeiro Emprego ou concessão de estágio, treinamento, capacitação dos jovens codoenses
  • Caso seja funcionário de empresa privada tenha, no mínimo, 3 anos de registro em Carteira e já tenha recebido da empresa em que trabalha ou que já tenha trabalhado algumas condecorações em reconhecimento o bom desempenho de suas funções e que a empresa empregadora atual atenda aos critérios do artigo terceiro (anterior)
  • Caso seja Servidor Público Municipal, Estadual ou Federal tenha, no mínimo, 10 anos de serviços prestados aos órgãos públicos, devidamente instalado em Codó caso seja estadual ou federal e que o servidor não possua nenhum registro de desvio de conduta
  • Caso seja profissional liberal tenha no mínimo 10 anos de serviço prestado de algum modo à administração pública municipal, estadual ou federal devidamente instalada no município de Codó
  • Caso seja político que tenha , no mínimo, 10 anos de mandato eletivo nos cargos do poder Executivo ou Legislativo municipal, estadual ou federal sendo que tenha ocupado cargos diferentes nos anos, os mesmos poderão ser somados.
  • Caso seja atleta¸ tenha conquistado individualmente ou em equipe condecorações de destaque nacional
  • Caso seja um cidadão ou cidadã que não se enquadre nos incisos III, IV, V, VI e VII
  • ter ocupado cargo da mesa diretora por, no mínimo, 10 anos em entidade reconhecida como de utilidade pública

Após a aprovação de uma lista, via votação, com nome de médicos, secretário de governo, autoridades policiais e até do Ministério Público (nomes mais conhecidos), um sinal vermelho soou na cabeça do presidente Chiquinho do SAAE.

Segundo o próprio, ano passado, após um acordo por debaixo dos panos para dar uma relaxada nos critérios (leia-se passar por cima do que criaram, para conceder o título), a mídia bater forte na Augusta Casa, coisa que não gostaria de ver repetida agora em 2015.

“É o que eu tô colocando, o que aconteceu ano passado, o estrago que foi feito com esta Casa na mídia, eu pedi a atenção dos vereadores, porque nós que fazemos a lei nós temos que fiscalizarmos ela, pedir o cumprimento dela, então eu pedi a compreensão de todos (…) é complicado se ter uma lei nesta Casa pra gente sem ter numa emenda nela e a gente fazer acordo a mídia vir pra cima, é complicado, mas volto a dizer o plenário é soberano, a maioria é quem decide”, alertou Chiquinho

Rasgar ou não rasgar a lei criada por eles mesmos?

Por causa do alerta do presidente Maria Paz (PV) disse logo que nem fez sua lista títulos de Cidadão Codoense este ano.

“Eu nem apresentei, porque ano passado a questão do bom senso ano passado teve, mas aí ele disse que esse ano ele disse que não ia ter e aí eu deixe de apresentar, realmente, pessoas de grande relevância, de grande importância pro nosso município”

GRACINALDO SE ENTREGOU LOGO

Gracinaldo Ferreira (PSL) se entregou logo dizendo que pelos critérios da lei teria que desistir de todos os seus indicados ao Oscar.

“Nós vereadores aqui, diante do que vossa excelência está dizendo, expondo, muito claro que nós temos uma lei que reza por ela, eu me adianto até em dizer que o vereador Gracinaldo retira todos os títulos porque não cabe nesse contexto e apelo mais uma vez para a questão do bom senso entre os vereadores, se não houver”, disse

ATESTADO DE BOA CONDUTA

Pastor Max entrou defendendo o fim da exigência de moradia em Codó (residência fixa e ininterrupta) para ser agraciado e criticando o fato da lei exigir que o candidato a maior honraria local apresente atestado de boa conduta na delegacia.

“Agora estamos com o mesmo problema, na mesma situação e até alguns critérios que foram criados é constrangedor para alguns pessoas que a gente convida, por exemplo tendo que ir à delegacia pra pegar um atestado de conduta, isso é triste, é constrangedor, a pessoa se já está sendo homenageada é porque ela tem serviço prestado, tem boa índole e um trabalho prestado na comunidade”, disse

E AGORA, RASGA OU NÃO RASGA?

O presidente foi o único que manteve a firmeza, embora tenha jogado a decisão para a maioria.

Todos os demais apelaram para o que chamaram de ‘bom senso”, que em inglês e francês codoense significa “rasga isso aí rapaz, quem manda aqui é nós e tamo conversado”.

4 comentários sobre “Vereadores vão ter que rasgar e tocar fogo na própria lei que criaram se quiserem dar título de Cidadão Codoense em 2015”

  1. Duvido alguém da igreja catolica receber…da umbanda ou candomble…da oab …. Blogueiro…. Duvido alguém representante dessas classes receber alguma coisa… De honraria
    Duvido alguém da imprensa receber alguma coisa de honraria
    Se não cumprem uma lei há 20 anos. Lei 990/94, lei da transparência, lei de prestação de contas que o povo n tem acesso etc vão cumprir essa agora?
    Amigos e apadrinhados e quem realmente é merece nunca é lembrado.
    Nada contra… Mas evangelico duvido é ficar de fora… Membros do governo ficarem de fora… Gente que passa em codo menos de 1 ano e n volta mais ja virou cidadao codoense e depois recebeu comenda.
    Enfim. Parabens Codo

Deixe uma resposta