Vice-diretor diz que o único percentual capaz de salvar o Saae é o de 45%

O vice-diretor do SAAE, Sérgio Moreira, foi quem respondeu às perguntas dos vereadores na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, na semana passada, sobre os motivos da autarquia desejar um aumento na tarifa de água da ordem de 45%.

Depois de fazer exposição citando apenas alguns números do setor financeiro, afirmou, categoricamente, que o único percentual capaz de salvar o Saae é o proposto no projeto de lei que será votado nesta segunda-feira, 9, ou seja, só se for 45%.

VEJA O VÍDEO

“Então um reajuste real seria mesmo os 45%, menos que isso não tem condição, fica inviável o Saae continuar, diante do que foi exposto”, afirmou

Continuando sua explanação apelou para a sensibilidade dos parlamentares.

“A gente expôs a situação do SAAE, mostrou pra vocês a verdade do SAAE hoje, mostrou o projeto Água Para Todos, o que ele tira dos cofres do SAAE todo mês, os órgãos públicos, quanto é retirado dos cofres do SAAE pra manter e a situação do SAAE é essa, tudo que foi exposto nessa mesa”, conclui

3 comentários sobre “Vice-diretor diz que o único percentual capaz de salvar o Saae é o de 45%”

  1. A maioria dos internautas, como da população estão reclamando contra o aumento de água, quero aqui, dizer que sou contra o aumento de 45%, e até aceitaria esse aumento, desde que fosse em três vezes. Por que sou a favor de reajuste? É simples, primeiro: por os aumentos já praticados: Luz, combustível, Gás, alimentos, etc… praticados de cima para baixo, força a autarquia acompanhar os reajustes. Segundo: Se o SAAE vier a falir e o município vier se desfazer da autarquia a população vai sim sofrer bem mais. Exemplo, cito Timbiras, que é abastecida pela CAEMA. Pergunte para um timbirense se eles estão satisfeito?? E as vezes em que a água de Timbiras chega nas torneiras amarela de tanta impureza, e olha que a água de lá já ruim de natureza, para quem a população recorre?? Agência da Caema na cidade não resolve nada, tudo tem que ser autorizado por São Luís. Eu não quero isso para Codó.

Deixe uma resposta