61 milhões não trabalham no Brasil nem procuram ocupação

Arte: Folha de São Paulo
Arte: Folha de São Paulo

Um contingente de 61,3 milhões de brasileiros de 14 anos ou mais não trabalha nem procura ocupação -e, portanto, não entra nas estatísticas do desemprego.

Trata-se de 38,5% da população considerada em idade de trabalhar pelo IBGE, ou o equivalente à soma do total de habitantes dos Estados de São Paulo e do Rio. Nos EUA, ainda se recuperando da crise, a taxa é similar, 37,4% -as metodologias, porém, não são as mesmas.

Referente ao segundo trimestre de 2013, o dado brasileiro ajuda a ilustrar como, apesar das taxas historicamente baixas de desemprego, o mercado de trabalho mostra sinais de precariedade. Mesmo tirando da conta os menores de 18 e os maiores de 60 anos, são 29,8 milhões de pessoas fora da força de trabalho, seja porque desistiram de procurar emprego, seja porque nem tentaram, seja porque são amparados por benefícios sociais.

Esse número supera o quádruplo dos 7,3 milhões de brasileiros oficialmente tidos como desempregados nas tabelas do IBGE -o que dá uma ideia de quanto o desemprego poderia crescer se mais pessoas decidissem ingressar no mercado e disputar vagas.

Os dados sugerem que grande parte dos que estão fora da força de trabalho é dona de casa: 40,9 milhões são mulheres. Entre os desempregados, a proporção de mulheres é bem menor, de pouco mais da metade.

O grau de instrução da maioria dos que não trabalham nem procuram emprego, previsivelmente, é baixo: 55,4% não chegaram a concluir o ensino fundamental. Mas uma parcela considerável, de quase um quarto do total, inclui os que contam com ensino médio completo ou mais escolaridade.

Considerando toda a população em idade de trabalhar, de 159,1 milhões, as proporções dos grupos menos e mais escolarizados são semelhantes, na casa dos 40%.

 A nova pesquisa ainda não permite análise da evolução dos dados nos últimos anos, mas outros trabalhos apontam melhoras na participação feminina e na escolaridade do mercado de trabalho. Estudo de 2012 do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) apontou que mais da metade das mulheres participa atualmente da força de trabalho, ante menos de um terço no início da década de 1980.

O ministro do Trabalho, Manoel Dias, disse que a pasta ainda está avaliando os resultados da nova pesquisa. Ele ressaltou que não é possível dizer que houve alta do desemprego, já que se trata de nova metodologia.

Por Gustavo Patu

Folha de São Paulo

6 comentários sobre “61 milhões não trabalham no Brasil nem procuram ocupação”

  1. Grave acidente na BR-226 deixa uma criança morta
    Do Blog Barra do Corda News

    Uma colisão entre um ônibus de turismo e uma carreta provocou a morte de uma bebê de apenas 4 meses de vida, na BR-226, a 6 km da entrada de Barra do Corda.

    Duas pessoas feridas foram encaminhadas para o Hospital Acrisio Figueira, por equipes do Samu.
    O ônibus da empresa Marinho Turismo seguia de Codó-MA para Brasília-DF. A carreta que provocou o acidente não parou e seguiu no sentido Presidente Dutra.
    O impacto foi tão violento que pedaços da carroceria da carreta adentrou as janelas do ônibus, matando uma criança e ferindo o motorista e uma mulher que teve fratura em um dos braços, outros tiveram ferimentos leves.
    A polícia Militar esteve no local ajudar no atendimento as vítimas e controlar o trânsito.

  2. aCELIO,TEM UM sUPLENTE DE DEPUTADO FEDERAL DO MARANHÃO SENDO PROCURADO PELA POLCIA FEDERAL,POR DESVIO DE 70 MILHOES EM mEGA SENA FALSA. nOTICIAS VIA 180 GRAUS(PORTAL DO piaui) VEJA QUEM É O INTELIGENTE

  3. PF faz operação para prender grupo suspeito de fraude milionária na Caixa
    sábado, 18 de janeiro de 2014 • 15:18

    Notícia

    Imprimir
    Reduzir tamanho do texto Tamanho normal do texto Aumentar tamanho do texto
    Delegado da Polícia Federal em Araguaína (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)A Polícia Federal realiza neste sábado (18) a Operação Éskhara com o objetivo de desarticular uma organização que teria realizado uma fraude de R$ 73 milhões contra a Caixa Econômica Federal (CEF) por meio de um falso prêmio da Mega-Sena no fim do ano passado.

    Segundo a PF, são cumpridos cinco mandados de prisão preventiva, dez de busca e apreensão e um de condução coercitiva nos estados de Goiás, Maranhão e São Paulo. De acordo com a PF, trata-se da maior fraude já sofrida pela Caixa.

    De acordo com o delegado da PF em Araguaína (TO), Omar Pepow, as investigações mostram que o grupo criou uma conta falsa para receber um prêmio da Mega-Sena, também falso. Os suspeitos procuraram o gerente de uma agência da Caixa em Tocantinópolis, que aceitou participar da fraude, informou a Polícia Federal em entrevista coletiva na manhã deste sábado (18), em Araguaína.

    Ainda conforme o delegado, os gerentes têm a senha nacional, por meio da qual é possível acessar a conta para retirada do prêmio da Mega-Sena. O prêmio foi “pago” no dia 5 de dezembro de 2013. Segundo a PF, no mesmo dia teria ocorrido uma “queda” no sistema da Caixa, o que facilitou a operação.

    O gerente envolvido está preso desde o dia 22 de dezembro, depois que as investigações identificaram a abertura da conta corrente na cidade. O dinheiro desviado foi redistribuído em contas espalhadas em vários estados como Ceará, Maranhão, Goiás e São Paulo, mas podem existir mais contas, segundo o órgão.

    De acordo com a PF, no procedimento padrão da Caixa para a premiação da Mega-Sena, o gerente recolhe a documentação do premiado e fica responsável por enviar o bilhete e todos os documentos para a Caixa em São Paulo para validação. Só depois disso é que o gerente sacaria o dinheiro. Segundo a PF, gerente de Tocantinópolis diz que enviou tudo por malote, mas nada chegou à sede da Caixa.

    A Polícia Federal informou que um suplente de deputado federal de Estreito (MA), também suspeito, está foragido. Há pelo menos 6 pessoas investigadas, mas outros nomes ainda podem surgir, segundo a PF.

    Se denunciados pelo Ministério Público, os suspeitos podem responder pelos crimes de peculato, receptação majorada, formação de quadrilha e de lavagem de dinheiro. Caso sejam condenados, as penas somadas podem chegar a 29 anos de prisão.

    A Caixa Econômica Federal informou por meio de nota que acionou a polícia logo que constatou a fraude. O também informou que continua acompanhando o caso e está à disposição da PF para colaborar com as investigações.

    Fonte: Globo

  4. Estes são os vagabundos sustentados pelo Bolsa Família e que o PT mentiroso não usa esse contigente para calcular a taxa de desemprego. É por isso que taxa de desemprego do IBGE é em torno de apenas 5%, o que é uma tremenda mentira!

Deixe um comentário