Advogados reclamam de tratamento na APS, no Fórum e na delegacia de Codó

Erivelton, Macieira, Mendes, Machado

Num encontro recente da subseção da Ordem dos Advogados do Brasil, de Codó, os profissionais do direito reclamaram do tratamento recebido no Fórum, na Agência da Previdência Social e na delegacia de polícia. O nome do delegado regional, Rômulo Vasconcelos, chegou a ser citado algumas vezes.

Na delegacia, um dos problemas apontados seria registro de queixas, sobretudo, em dias de plantão. O presidente local, advogado Francisco Mendes, explicou que pretende tomar providências.

“Chegou reclamação em relativo ao próprio INSS de Codó, em relação à gerência regional da delegacia de Codó, algumas reclamações referentes ao Fórum, mas são questões que nós vamos conversar com os delegados, com os magistrados para que isso não aconteça (…) a OAB está sempre atenta e vai tomar as providências necessárias”, afirmou

PRERROGATIVAS ATINGIDAS

Quando isso ocorre, ou seja, quando de alguma forma o advogado tem seu trabalho prejudicado, são as chamadas ‘prerrogativas’ do exercício livre da profissão que são atingidas e é contra tais problemas que está sendo lançada em todo o Maranhão a campanha SEM ADVOGADO NÃO HÁ JUSTIÇA.

“Ele tem que obter todos os meios necessários para a defesa de seu cliente, isso é uma exigência dele como advogado, mas mais ainda da sociedade porque o advogado precisa que tenha as suas prerrogativas para a defesa dessas causas”, explicou o advogado Francisco Machado, que faz parte da atual presidência da subseção Codó, ao blogdoacelio

CONHECER A LEI

Advogados e estudantes

Na palestra que passará por 11 subseções, eles são encorajados a bater de frente contra qualquer tentativa neste sentido. Mas para que o advogado obtenha sucesso neste enfrentamento, na opinião do conselheiro da OAB/Maranhão, Erivelton Lago, é preciso que ele esteja preparado, que, no mínimo, seja conhecedor de seus próprios direitos.

“Se ele não conhecer a lei, a legislação até pra ele brigar pela prerrogativa fica difícil, imagine pelo direito do cliente”, orientou o advogado

IGUALDADE DE TRATAMENTO

Um dos destaques da campanha, segundo o presidente da OAB no Estado, Mário de Andrade Macieira, é a conscientização de todos de que entre juiz, promotor de Justiça e advogado não há hierarquia e o que se busca nada mais é do que uma convivência mais harmoniosa.

“Justamente reafirmando para a sociedade que o advogado é indispensável para o Direito, que sem advogado os pratos da balança da Justiça estão desequilibrados e as prerrogativas profissionais são, antes de qualquer coisa, garantias de que o advogado pode bem exercer o direito de defesa de seu constituinte sem qualquer embaraço, ou sem qualquer temor de sobre qualquer tipo de retaliação de autoridades”, concluiu Macieira

Um comentário sobre “Advogados reclamam de tratamento na APS, no Fórum e na delegacia de Codó”

  1. Jesus cura dois homens dominados por demônios

    MATEUS 8.28-34
    Quando Jesus chegou à região de Gadara, no lado leste do lago da Galileia, foram se encontrar com ele dois homens que estavam dominados por demônios. Eles vinham do cemitério, onde estavam morando. Eram tão violentos e perigosos, que ninguém se arriscava a passar por aquele caminho. Eles começaram a gritar: — Filho de Deus, o que o senhor quer de nós? O senhor veio aqui para nos castigar antes do tempo? Acontece que perto dali estavam muitos porcos comendo. E os demônios pediram a Jesus com insistência: — Se o senhor vai nos expulsar, nos mande entrar naqueles porcos! — Pois vão! — disse Jesus. Os demônios foram e entraram nos porcos, e estes se atiraram morro abaixo, para dentro do lago, e se afogaram. Os homens que tomavam conta dos porcos fugiram e chegaram até a cidade. Lá contaram tudo isso e também o que havia acontecido com os dois homens que estavam dominados por demônios. Então todos os moradores daquela cidade saíram para se encontrar com Jesus; e, quando o encontraram, pediram com insistência que fosse embora da terra deles.

    Obs: vem daí o famoso adágio popular atribuído a pessoa má: Espírito de porco

Deixe uma resposta