Alunos da UFMA saem de mochila cheia de promessas prometendo protesto em frente a Prefeitura

Os alunos da Universidade Federal do Maranhão conseguiram imprensar na parede vermelha, preto e branco da Câmara, na noite de ontem (3) 10 vereadores (faltou Expedito)  e dois secretários municipais – Márcio Esmero (da Infraestrutura) e Graça Ximenes (do Patrimônio Público).

Eles chegaram fazendo barulho na última segunda de maio e só silenciaram quando conseguiram marcar a audiência pública de ontem.

Na oportunidade, última, não brincaram em serviço. Escalaram professora Ilca e o universitário Antonio Carlos para irem direto ao ponto – falta de iluminação pública na porta e rua  da UFMA e  pavimentação asfáltica para acabar com o lamaçal no inverno e com a poeira na longa estiagem.

No discurso da professora, outros assuntos pertinentes também acabaram sendo destacados – cultura, esporte.

“Aí foram tratadas questões como segurança pública, a questão do asfaltamento, vimos aí algumas conquistas e surgiram ai tantas outras que assolam o município. A questão de acesso à cultura, a questão de mais acesso à mais esporte,  não é só futebol,  tem vôlei, tem basquete, tem tantas outras modalidades para o município trabalhar, que não são caras, que são possíveis, não to falando de coisas impossíveis de serem realizadas, eu to falando de coisa completamente possíveis”, afirmou professora Ilca.

O QUE OUVIRAM?

Saíram com promessas no bolso e algumas estórias pra contar. O secretário Márcio Esmero falou de muitos projetos para a área, mas ao final deu um banho de água gelada nos estudantes na questão prazo.

Disse que o asfalto e outras melhorias virão, mas “muito em breve”  ou “nos próximos meses”.

Já o secretário Ximenes, foi mais prático, disse que a extensão da energia elétrica próximo à UFMA é de responsabilidade da CEMAR, mas, ainda assim, ele resolverá o problema pedindo apenas 20 dias de paciência aos solicitantes.

PÉ ATRÁS

Como trata-se de gente com um nível de inteligência mais elevado, logo apareceu alguém para dar sinal de que promessa é promessa e documento é documento.

Antonio Carlos deixou evidente que se dentro do prazo sugerido pelos secretários nada acontecer haverá uma manifestação em frente a Prefeitura de Codó. De lá, dessa vez, só sairão quando Zito Rolim garantir ‘ no papel passado” o fim dos problemas.

“Mas não com violência, mas sim numa manifestação pacífica para que ele nos prometa e nos de um documento lá porque tudo que nós recebemos tanto da Câmara, como de qualquer outra instituição pública vira um documento que nós podemos utilizar em benefício da população de Codó”, disse o universitário em suas palavras finais.

2 comentários sobre “Alunos da UFMA saem de mochila cheia de promessas prometendo protesto em frente a Prefeitura”

Deixe um comentário