Atendimento do VIVA Cidadão termina hoje no Neyde Magalhães

O programa ‘Rota da Cidadania’, executado pelo Viva Cidadão, órgão vinculado à Secretaria de Estado de Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop), iniciou nesta semana a oferta de serviços públicos no município de Codó, no leste maranhense.

O atendimento ao público vem acontecendo, desde então, no laboratório de informática da Unidade Escolar Municipal Neide Magalhães, localizada na Praça José Bayma Serra, no bairro Novo Codó, e termina  hoje, domingo,  23 de agosto.

O objetivo do programa é oportunizar o acesso aos serviços públicos, atendendo à grande demanda dos municípios do interior do estado, com vistas ao exercício da cidadania dos maranhenses. Para esta atividade, foram deslocados nove profissionais, que realizam os atendimentos das 8h às 18h.

Na oportunidade, a população está podendo solicitar emissão da carteira de identidade (RG) e do Cadastro de Pessoa Física (CPF). Para solicitar o RG é necessário apresentar a original da certidão de nascimento ou certidão de casamento. A primeira via é gratuita e a segunda via custa R$ 29,50.

No caso do CPF, o solicitante deve apresentar certidão de nascimento ou de casamento. A inscrição é gratuita, bem como a segunda via. Vale lembrar que para menores de idade, é indispensável o acompanhamento dos pais ou responsáveis, e para maiores de 18 anos é exigida a apresentação de título de eleitor ou comprovante de votação

Viva Cidadão na Caravana da Liberdade

O Viva Cidadão também participou em Codó da Caravana da Liberdade, projeto que combate a exploração do trabalho escravo e infantil. O evento foi realizado no dia 18 em Peritoró, e nos dias 19 e 20 em Codó. Além do atendimento para emissão de documentos, o Viva participou de roda de conversa sobre o tema “Cidadania e documentação básica contra o trabalho escravo”.

“O momento foi de conversa com os trabalhadores sobre temas essenciais como democracia, identidade social e cidadã, organização social e documentação básica como instrumento de acesso à cidadania. O nosso objetivo foi orientá-los sobre os cuidados que devem ser adotados para evitar que seus documentos pessoais fiquem retidos por pessoas que queiram utilizar sua força de trabalho em sistema análogo à escravidão”, explicou Mari-Silva Maia, diretora do Viva Cidadão.

Por Daniela Moreira

Deixe um comentário