Conheça a história de MARADONA: O Carneiro de 1 milhão de sortes

Maradona

visite o site www.carneiromaradona.com e participe do leilão agora.

São muitos os mistérios dessa vida. Desde que nascemos tentamos entender de onde viemos, onde estamos e para onde vamos. Ninguém realmente sabe as razões de estarmos nessa terra. O que sabemos é que cada criatura tem sua razão de existir e seu destino a cumprir. Tanto os seres humanos quanto os animais têm o seu tempo e a sua história para deixar nos anais em nossa terra.

O relato a seguir conta a trajetória, as aventuras e desventuras de um animal predestinado ou iluminado: um CARNEIRO, de nome MARADONA. Em teoria, o seu mais provável fim seriam as grelhas de um churrasco numa fazenda. No entanto, por capricho do destino o CARNEIRO MARADONA se tornou uma lenda, e sua vida, sinônimo de sorte diante das três provações que o destino lhe reservou. Vejamos por quê!

Carneiros da raça Santa Inês, Maradona e seu irmão, Zidane, nasceram no dia 16 de janeiro de 2009, na fazenda Nova Era, de propriedade do senhor Ataliba Santana, localizada a quarenta quilômetros da cidade de Codó, na região maranhense dos Cocais. O destino reservava duas histórias bem diferentes para cada um deles, como veremos mais adiante. Inicialmente, antes da narração da separação eterna entre os irmãos, narremos o primeiro mistério ocorrido na vida de Maradona, um carneiro considerado “encantado”, “encabojado” etc.

1° Provação : Castração – Em abril de 2009, juntamente com outros animais, Maradona foi castrado por um cuidador com mais de 35 anos de experiência. Apesar da castração, no início da fase adulta de sua vida, Maradona passou a apresentar postura atípica aos outros carneiros castrados, ou melhor, a qualquer carneiro castrado: o interesse em “cobrir” ovelhas no pasto. O comportamento estranho fez com que todos ficassem admirados.

No entanto o maior espanto estava por vir, e realmente logo veio: um dos testículos de Maradona começou a aparecer, a “descer”, como se diz na linguagem de criadores. Ficou evidente, então, que (inexplicavelmente, dado o conhecimento prático do castrador!) apenas um dos testículos de Maradona havia sido ceifado durante a castração. Essa, como anunciamos, foi a primeira história de mistério que envolve a vida do negro (veja imagem) carneiro Maradona.

Maradona não o abandona

2° Provação: Morte de seu irmão – Em julho de 2009, Carneiro Maradona e seu irmão carneiro Zidane foram vendidos; deixando, assim, a fazenda Nova Era. Esse fato é muito importante por estar extremamente relacionado ao segundo mistério da vida do carneiro Maradona. Foi na nova terra para onde os dois foram levados que as semelhanças entre os percursos de vida de Maradona e seu irmão o carneiro Zidane definitivamente se acabaram. Lá, Zidane se encontrou com a morte muito cedo, infelizmente ainda com sete meses de vida, em agosto do mesmo ano do seu nascimento.

Ao contrário do que se poderia antecipar, seu fim não foi tornar-se churrasco. Sua morte foi uma fatalidade, e ocorreu enquanto pastava (juntamente com carneiro Maradona!) numa área perigosa, já que no pasto em que foram colocados havia muitas cascavéis, bem como outras cobras venenosas. Talvez por estar predestinado, uma letal cobra cascavel veio a atacar o carneiro Zidane, e a morte o atingiu rapidamente.

Por instinto animal ou amor – sabe-se lá se os animais não têm realmente o poder de ter sentimentos –, após a morte de seu irmão, o carneiro Maradona permaneceu ao lado do corpo por três dias, sem comer nem beber, e só saiu de lá porque foi retirado por um dos cuidadores daquela fazenda.

Quando encontrado, Maradona, faminto e desidratado, estava muito magro, mas continuava ao lado do corpo de Zidane, no mesmo local em que o animal fora abatido pela serpente. Maradona, inexplicavelmente, não foi atacado também: fosse pela mesma cascavel, fosse por qualquer outra cobra peçonhenta das que tanto havia no local. Realimentado e reidratado, Maradona sobreviveu. Esse é, então, o segundo mistério que envolve a vida do carneiro Maradona, da cidade mística de Codó.

O terceiro mistério foi o seguinte. Bem distante das cascavéis e bem próximo das ovelhas se encontrava o carneiro Maradona, quando, no ano de 2010, ocorre a décima nona edição da Copa do Mundo, na África do Sul. Logicamente os brasileiros não desconhecem as “urucubacas” de todos os tipos que o jogador argentino Maradona costuma jogar na seleção brasileira de futebol. Isso faz parte da histórica, e até divertida, rivalidade entre Brasil e Argentina quando o quesito em discussão é futebol.

Sabendo disso, mas ainda sem dar muita importância às “coincidências” que envolviam a vida (e possivelmente o nome!) do carneiro Maradona, seu novo dono resolve prometer que, caso a seleção brasileira chegasse à fase final do Mundial de Futebol daquele ano, seria feito um churrasco do carneiro Maradona. Talvez até uma afronta ao jogador argentino do mesmo nome MARADONA.

Maradona escapa

Parecia realmente que a saga do carneiro Maradona estava próxima de chegar a seu fim. O Brasil havia se classificado em primeiro lugar no Grupo G com duas vitórias (sobre a Coreia do Norte e sobre a Costa do Marfim) e um empate com Portugal. Além disso, o acesso do Brasil às quartas-de-final se deu quando, nas oitavas, o Brasil eliminou o Chile. Contudo a seleção brasileira foi E-LI-MI-NA-DA pela Holanda nas quartas-de-final, e até hoje o sortudo carneiro com nome de jogador argentino… Resumindo: pois é!, o Maradona continua vivinho da silva, são e salvo.

Todos esses fatos e provações por que passou o carneiro Maradona levaram seu dono a crer que o animal é abençoado; que por algum motivo vem a ter uma proteção superior ao nosso entendimento, uma “SORTE” diferente, como se diz em Codó. Outros até dizem que o carneiro Maradona, tal e qual o jogador argentino, é um azarado, até mesmo por conta de seu nome de berço…

Cada um tem uma maneira de pensar. Mas o Maradona pode ser um grande sucesso, quem sabe o novo mascote da seleção argentina ou brasileira ou de outro pais que queira adotado sabendo que este os trará muita sorte.

Obs: O Atual proprietário por acreditar que o carneiro por nome Maradona seja um animal de sorte, faz apenas alguns pedidos ao seu futuro dono após ser leiloado: que ele tenha um bom lar pra viver e não vire churrasco!

Texto: assessoria do projeto Maradona

Breve o SITE DO LEILÃO DE MARADONA

4 comentários sobre “Conheça a história de MARADONA: O Carneiro de 1 milhão de sortes”

  1. …caro acelio, tem coisas de mais proveito a ser noticiado, admiro suas noticias, mas tem oras que vc sai da linha…essas informações do carneiro maradona, não levam a nada, sai do seis e chega ao meia duzia……não entendí nada….

  2. Acélio desta vez voce se superou…essa materia é tão importante que com certeza ela contribuirá para história da humanidade.
    Será falta de assunto? Acredito que não.

    Vou aproveitar e te uma dica:
    O prefeito anda antirando com a pólvora alheia, o nosso dinheiro, digo, ele tem andado pelos interiores e tem distribuído desde ficha para cerveja até liberação total de porta de festa. A última aconteceu na Santa Rita do aureliano, onde existe uma gravação de celular onde o Sr. Prefeito pergunta ao Sr. L quanto foi a festa e prontamente ele disse que foi R$ 6.500,00 e e prefeito mete a mão no bolso e paga a quantia ao L(fique claro que não foi o Lobão ministro, mas o cunhado do Darlan ).

  3. Dr. Acélio Trindade o que o Cardosinho falou aí não é mentira, um dia desse eu estva no Boqueirão dos Vieiras, Zito estava um zezeu com o nosso dinheiro. Gostaria que o grande reporter investigasse – muito embora você não é reporter investigativo – de quem é aquele helicóptero amarelo, que o Zito e sua família estava passeando à semana passada.
    Há comentários que a máquina é dele que está em nome de laranjas, não sei se procede.

    Aproveite Prefeito, está bem pertinho do Sr. desocupar a cadeira, pode até derramar ouro em Codó, o povo não vai se dixar enganar novamente.

  4. Cara fala sério, esse papo de carneiro da sorte.. sei não! Mas tenho três feijoes da sorte. Tambem vou leiloar.kkkkkkkkkkkkkkk. FALTA DO QUE FAZER MESMO.

Deixe uma resposta