De Chiquinho para Saruê: “Se ontem eu era um fantasma eu não posso falar de fantasma hoje”

Saruê é a bola da vez no quesito ‘espanque-o”. É peça chave de parte do programa Cidade da Gente, na TV Codó, e ontem, 19, foi alvo do discurso do vereador, Chiquinho do Saae, que foi ao fundo do baú e trouxe à tona uma do tempo do governo Codó Para Todos.

Assegurando que ainda possui cópias de contra-cheques de Saruê e demais pessoas que recebiam, mas não tinham locais de trabalho em nenhuma secretaria do governo de Biné Figueiredo, entre os quais alguns ex-vereadores, Chiquinho bateu forte.

Primeiro falou de quanto Saruê ganhava. Segundo o próprio, era o equivalente à um salário de secretário.

“Nesta casa eu fui vereador 4 anos onde você exerceu um cargo na Prefeitura que eu nunca lhe achei no seu local de trabalho e você recebia como nível superior 2, com salário de um secretário 3 mil e quinhentos e poucos reais. Eu tenho um contra cheque guardado como eu tenho de outros vereadores que eu fiscalizei as secretarias em que eles eram lotados na gestão passada, do prefeito Biné Figueiredo, e não encontrei”, afirmou

CAMPO MINADO

Antes de dá a tacada final, passeou por uma seara um tanto quanto espinhosa para Chiquinho quando criticou o colega por dizer uma coisa hoje contrária a que já tenha dito anteriormente, numa outra situação política.

“Então eu acho que nós devemos ser sinceros quando vir a esta tribuna, hoje você diz que o governo Zito é um governo perseguidor, mas eu já vi você dizer que o prefeito Zito é o melhor prefeito do Maranhão aqui nesta casa”, repreendeu Chiquinho que, convenhamos, também já fez a mesma coisa

CHIQUINHO É DIFERENTE

Mas ele se acha diferente, e tratou de explicar por que:

“Eu ando em qualquer lugar do Codó com minha cabeça erguida. Fui o único que no dia que deixei o governo disse porque tava deixando e no dia que eu voltei pro governo vim a esta tribuna e disse porque estava voltando”, justificou

DE FANTASMA PARA FANTASMA

Finalizando, puxou a célebre frase ‘ um fantasma não pode falar de outro fantasma”.

“Mas eu não posso esquecer do que eu disse ontem, do que eu disse hoje e nem do que eu pratiquei ontem. Se ontem eu era um fantasma eu não posso falar de fantasma hoje, esse é o recado que eu quero deixar pra população hoje”, concluiu

Deixe uma resposta