Delegado de Coroatá registra tentativa de suborno de R$ 4.000,00 e dá exemplo ao Brasil

Reno Cavalcante, exemplo para o Brasil
Reno Cavalcante, exemplo para o Brasil

Diogo Vinícius dos Santos, tem apenas de 21 anos, é de Teresina, mas é considerado, pelos policiais,  um contumaz agente do estelionato em cidades do Maranhão e do Piauí.

Foi preso em Coroatá, no fim da semana passada,  aplicando golpes contra idosos. Contou o delegado, Reno Cavalcante,  que ele oferecia ajuda em agências bancárias, pegava o cartão, sacava a aposentadoria da pessoa, entregava o dinheiro certinho, mas  o cartão magnético  devolvido nunca era o mesmo.

 “Ao passar o cartão ele trocava os cartões, dava o cartão vencido e ficava com o cartão da vítima, posteriormente ele fazia empréstimos nesse cartão causando graves prejuízos financeiros à vítima (…) Foi apreendido com vários cartões bancários e uma certa quantia em dinheiro, para a polícia civil está configurado o crime de estelionato”, explicou o delegado

O SUBORNO

Ele foi detido por populares depois que a vítima alarmou. Ao ficar detido na delegacia, começou a perguntar sobre o comportamento do delegado e disse que queria uma conversa particular. Reno Cavalcante já sabendo das intenções do preso, gravou tudo.

Rapidamente Diogo, achando que o delegado de Coroatá iria aceitar o suborno de nada menos que R$ 4.000,00, liga para vários comparsas pedindo dinheiro, e consegue.

Ao conseguir o dinheiro prometido pediu o número da conta da autoridade policial para que a transferência fosse feita. Reno Cavalcante disponibilizou o número bancário de uma funcionária da delegacia. Quando houve a confirmação do depósito, o delegado foi avisado pelos investigadores da delegacia e deu voz de prisão à Diogo pelo crime de corrupção ativa.

 “E a gente disponibilizou uma conta do Banco do Brasil de uma funcionário da delegacia e ele fez essa transferência, nesse momento, conforme gravações, eu o autuei, dei a voz de prisão pelo crime de corrupção ativa, é um crime de natureza em grave (…) cuja pena é de 2 a 12 anos de reclusão”, disse

O dinheiro agora servirá de prova no inquérito de estelionato e corrupção ativa contra Diogo dos Santos. Para a imprensa, o delegado, Reno Cavalcante, que mostrou grande caráter e um exemplar comportamento dentro do já combalido serviço público brasileiro,  falou das motivações do seu ato.

 “A gente acredita que a maioria são policiais, bons policiais que trabalham no dia-a-dia para sustentar suas famílias e não precisam entrar na corrupção para usufruir de dinheiro”, concluiu

4 comentários sobre “Delegado de Coroatá registra tentativa de suborno de R$ 4.000,00 e dá exemplo ao Brasil”

  1. Neste caso o delegado e a funcionária que concordou em receber o dinheiro em conta, também deveria ser presos. Esse flagrante foi preparado. Além de restar provada a corrupção passiva pelo delegado e a funcionária. Por serem agentes públicos devem responder com mais rigor.

  2. Na frente das câmeras todo mundo é honesto queria ver se o delegado não soubesse que estava sendo filmado.O Delegado não fez mais do que sua obrigação isso não é mérito ou agora é devido os vários policiais corruptos que aceitam ser subornados então quando tem algum que nega o suborno pela pouca quantidade oferecida vira herói, paciência isso se chama BRASIL

Deixe um comentário