Desde 27 de fevereiro codoenses não conseguem resolver bloqueio do Bolsa-família

Edvaldo fazendo explicações
Edvaldo Sousa fazendo explicações

A central do Bolsa-Família em Codó, localizada numas das salas da Secretaria de Assistência Social, na Av. 1º de Maio,  todos os dias tem ficado lotada e o problema da maioria é o mesmo – benefício bloqueado.

Dona Rosemília Rodrigues Melo nos contou que já está sem o dinheiro de dois filhos há 3 meses e busca, incansavelmente, uma solução na Secretaria de Assistência Social.

“Tá bloqueado, primeiramente porque a criança não estudava, eu trouxe as provas que estudam todos dois e aí fui pra receber agora este mês, já vou fazer três meses, aí disseram lá que tá bloqueado – você tem que ir lá…E AQUI NÃO RESOLVE? Aqui não resolve nada”, disse a dona de casa

GASTOS

Para quem é da zona rural como dona Ana Cleide Rodrigues Coelho, de Riacho Seco,  a obrigação de procurar o desbloqueio repetidas vezes sai caro. Ela precisa pagar passagem sem os R$ 102,00 que deixou de receber.

“Tem que pagar pra vim e já tá com duas vezes que eu venho e não é resolvido o meu problema”, reclamou indignada com a espera

 A NOVA GESTÃO EXPLICA

O novo gestor do programa, Edvaldo Alves de Sousa,  precisa passar alguns minutos diários tentando convencer tanta gente de que a culpa não é dele, nem do município. Presenciamos ele fazendo isso na porta do local onde ficam as beneficiárias esperando solução.

Explica que assumiu o cargo dia 27 de fevereiro depois que Lêda Torres deixou o programa sem qualquer explicação emitida pela Secretária Cinthya Rolim, sua ex-chefe imediata, e na troca de gestão até a senha precisa ser mudada pelo Governo Federal.

 “O acesso do gestor anterior para fins de que o novo gestor efetue seu cadastro, envie suas informações via Caixa Econômica, via Governo Federal para que o sistema seja  acessado pela nova gestão, esse processo a gente ainda tá fazendo”, justificou

Sem a conclusão desse processo, segundo ele, não é possível nem mesmo saber qual o motivo do bloqueio do benefício de cada pessoa para então orientá-la.nDiante da situação, Edvaldo, que pediu um pouco mais de paciência,  não soube informar quando os desbloqueios serão iniciados.

  “A gestão tá tentando acessar, tentando procurar informação a respeito, a pendência de cada NIS que tá aqui, de cada bloqueio. É uma pena que o sistema ainda não tá sendo disponibilizado pela questão da mudança de gestão, infelizmente este processo é demorado”, salientou

NÚMEROS

O município de Codó tem cadastradas atualmente 19.530 famílias no programa. O novo gestor não soube informar quantas estão com benefícios bloqueados, segundo ele porque ainda não teve acesso ao SISTEMA DE BENEFÍCIO AO CIDADÃO.

4 comentários sobre “Desde 27 de fevereiro codoenses não conseguem resolver bloqueio do Bolsa-família”

  1. Tem que explicar o motivo da saída “espontânea” da Sra. Leda Torres.
    Mas será que foi “espontânea”???????????
    Sindsserm cadê você???????

  2. APRENDIZ ELA SAIU POQ TAVA SENDO HUMILHADA…………… UMA PESSOA DA SECRETARIA Q ME DISSE Q A SECRETARIA NAO GOSTA DELA…… ESSE TIPO DE GENTE IGUAL LEDA TORRES NO FICA NAO…. POQ ELA TRATAVA TODO MUNDO BEM….. GOSTO MUITOOO DELA E VOU DESCOBRIR ONDE ELA MORA PRAMIM LEVAR UMA GALINHA PRA ELA………….. ACELIO GOSTO DE TU,…………….

Deixe um comentário