Dizendo-se representante do Governo Federal homem leva dinheiro de 3 povoados de Codó e some do mapa

Um homem falante com crachá no peito o identificando como sendo Paulo Sousa, representante de uma empresa chamada SID –  Sigla que significava num timbre do papel que usava Sistema de Inclusão Digital – apareceu nos povoados Bom Jesus, Monte Cristo e Centro do Expedito no último dia 8 de janeiro, quarta-feira, com uma estória para lá de espantosa, na opinião daqueles que presenciaram seu espetáculo verbal.

Paulo Sousa
Paulo Sousa

Apresentou-se como coordenador do programa MAIS EDUCAÇÃO, segundo três pessoas que procuraram o blogdoacelio para denunciá-lo, inclusive com fotografias. Tinha, a mando do Governo Federal, uma missão que incluia a implantação de 10 computadores e TVs de última geração em cada sala, além de uma internet da OI que pegaria, gratuitamente,  num raio de 10 kms a partir da sede de cada escola.

“Ele se apresentou como representante do Governo Federal, coordenador do programa MAIS EDUCAÇÃO e que ele estava nas comunidades para implantar nas escolas de alvenaria que tinham acima de duas salas, implantar 10 computadores, inclusive com antena da OI (operadora) e também  deixar TVs de LED de 29 polegadas”, explicou um dos denunciantes

EMPOLGANDO – LÁBIA E MUITO SORTEIO

Nas três comunidades foi direto para a sede das escolas. Em Bom Jesus, região do Barracão/Sentada, chegou a sortear um computador portátil e uma filmadora para os funcionários.

Os dois ‘brindes”, dizia ele, seriam um presente do Governo Federal para os diretores das escolas contempladas, mas, como não estavam presentes e moravam na cidade, Paulo Sousa bradava que eles não mereciam, daí a razão de sortear os brindes entre os funcionários.

Mas nenhum notebook ou filmadora foi entregue. A conversa nos três povoados era sempre a mesma – que os presentes do Governo Federal viriam num caminhão dos Correios cheio de técnicos e equipamentos do MAIS EDUCAÇÃO para serem implantados nas escolas.

Quando o caminhão chegasse quem foi sorteado pegaria seu prêmio.

O OBJETIVO MAIOR

Depois os incautos moradores descobriram que tudo isso fazia parte apenas do início de sua intenção que era, tão somente, vender notebooks, TVs e filmadoras para qualquer um da comunidade visitada que tivesse R$ 300,00 para dar de entrada e a disposição para esperar o tal caminhão dos Correios que apareceria até o final da tarde para entregar o que fora comprado por preço bem abaixo do praticado no mercado.

 “Depois ele falava que como trabalhava ganhando R$ 2.000 para representar a empresa ele tinha alguns equipamentos pra venda como filmadoras, TVs. Ele tava vendendo TVs de 29 polegadas por R$ 800,00 à vista e notebooks à R$ 600,00”,

“É o caminhão do Correio, com uma equipe técnica, que veio para implantar esses computadores”, completava o homem, segundo o denunciante ao blog

BÔNUS FALSO

Quem comprasse o notebook ganharia ainda, de graça, uma filmadora digital.

“Para animar as pessoas pra comprar à vista, ele dividia em duas prestações e ainda dava de gratificação uma filmadora para quem comprasse um notebook, só tinha que dá a entrada de R$ 300,00”, explicou uma das vítimas

O homem deixou até número de conta no Banco do Brasil para que suas vítimas depositassem o resto do pagamento. Com muita lábia, Paulo Sousa ainda conseguiu vender dois notebooks em Bom Jesus, recebendo de entrada R$ 600,00.

Este dinheiro ele devolveu depois que viu moradores fotografando ele e o carro em que viajava, um Fiat Pálio cor Prata, placa NMS 5706 – São Luís MA.

Mas de Monte Cristo, com a mesma conversa,  Paulo levou R$ 400,00, e de Centro do Expedito levou R$ 600,00 (equivalente a entrada de dois notebooks) desaparecendo sem deixar pistas de seu paradeiro, nem os objetos que prometera aos moradores. O caminhão, como já era previsível,  nunca apareceu.

PROVIDÊNCIAS

Três moradores destas comunidades visitaram a Secretaria Municipal de Educação de Codó e descobriram ontem (13) que nenhum representante do Governo Federal, principalmente coordenador do Mais Educação, pisou em Codó na semana passada.

Cientes de estarem sendo vítimas de um estelionato, as vítimas já registraram queixa na delegacia e entregaram a fotografia do sujeito ao delegado Rômulo Vasconcelos que vai tentar encontra-lo para tomar as providências previstas na lei penal.

3 comentários sobre “Dizendo-se representante do Governo Federal homem leva dinheiro de 3 povoados de Codó e some do mapa”

  1. Essa prática é comum nesses povoados. ……se aproveitam das pessoas carentes para darem golpes. Em 2011, foi dado golpe parecido nos Povoados Boi Não Berra, Flores, Penha com história de livros, por sorte a direção da Escola foi mais rápida e conseguiu evitar maiores prejuízos. As pessoas só assistem novelas, desligam a tv na hora do jornal.

Deixe uma resposta