Fale com Acélio

Na sessão de ontem (18) da câmara municipal de Codó, o vereador Domingos Reis teceu duras críticas ao gestor municipal, Zito Rolim, por não estar cumprindo a lei que institui a obrigatoriedade de os logradouros públicos de Codó a estarem pintadas com as cores da bandeira do município. O parlamentar relatou indignado ao programa Cidade Notícia, que era inadmissível testemunhar o desrespeito de Zito Rolim e seus comandados a uma lei municipal sancionada e promulgada pelo próprio poder executivo.

“Estamos praticamente no quarto mês de vigor dessa lei, mas o prefeito não está dando a atenção. Ele está atropelando o poder legislativo, desconsiderando a autoridade e legalidade do parlamento. Então eu falei ao presidente da casa legislativa que fechássemos a câmara e jogássemos a chave no mato”. Desabafou o vereador. Dominguinhos ainda falou que uma cidade do porte de Codó precisava ter suas instituições democráticas bem alicerçadas, respeitadas e colocadas a sérvio de seu povo. “Uma das funções desta casa é legislar. Nós fizemos essa lei e o prefeito sancionou e promulgou a lei, e agora ele a está descumprindo.

O vereador fazia referência a algumas obras do governo municipal, como o portal de entrada da cidade, que ainda estariam levando as cores especificas de sua gestão, ao invés do vermelho, branco e preto do pavilhão da cidade de Codó. Domingos Reis denunciou que no portal estariam sendo colocadas pastilhas ou pinturas nas cores amarela, branca e verde, referentes ao “Governo da Nossa Gente”.

O parlamentar continuou seu pronunciamento dizendo que a teimosia em pintar logradouros públicos do município com as cores do governo era uma triste herança deixada por outras gestões, além de ser inconstitucional. Na opinião do vereador, a atitude era uma forma de promoção pessoal e um desperdício de recursos públicos.

Comissão processante.

Pelo desrespeito e a afronta considerada por Domingos Reis, verbalizada com veemência na tribuna do parlamento, a atitude do governo poderá sofrer medidas contrárias do poder legislativo. “O nosso presidente (Figueiredo Junior) vai fazer uma denúncia à justiça comum. Como sabemos que a justiça às vezes pode ser um pouco morosa, nós temos outro caminho: o decreto 201 de 1967, que dispõe sobre cassação de vereadores e prefeitos, está em pleno vigor, e a câmara municipal de Codó poderá abrir uma comissão processante e cassar o prefeito por desobediência a lei municipal” finalizou o edil.

Por Raphael Fernandes/PORTALFC

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

PUBLICIDADES

A CONVERSA É COM ACÉLIO TRINDADE

APP RAD MAIS

Dra. Nábia, PEDIATRA

QUINCAS BORBA – VESTIBULARES

Medicina Integrada – Pedro Augusto

REGIONAL TELECOM

Marque Consulta

FC MOTOS

LOJA PARAISO

FARMÁCIA DO TRABALHADOR

PANIFICADORA ALFA

OPTICA AGAPE

SUPERLAR

PHARMAJOY

BRILHO DO SOL

 

CAWEB FIBRA

PARAÍBA A MODA DA SUA VIDA

 

Venda de Imóveis Codó-MA

HOSPITAL SÃO PEDRO (HSP)

Óticas HP

CARTÃO NOROESTE

 

 

SEMANA RAD+

 

 

GABRIELA CONSTRUÇÕES

Imprima

Lojas Tropical

Mundo do Real

Reginaldo

Baronesa Janaína

RÁDIOS NET

EAD – Grátis

Categorias