Estudantes do IFMA/Codó recebem premiação nacional por pesquisa com junça e vinagreira

A equipe reunida no Campus de Codó para contar bons resultados  à imprensa de uma  pesquisa premiada começou há dois anos levando a Junça, um tubérculo de plantio e manejo simples, para três comunidades rurais – Santo Antonio dos Pretos, Barra do Saco e Monte Cristo.

Os alunos ensinaram lavradores a plantar e passaram a comprar a colheita com a finalidade de  transformá-la usando tecnologia de produção de alimentos. Já somam 25 subprodutos industrializados, segundo explicou, dando exemplos, a estudante-pesquisadora Magda Daniele Rocha.

 “Nós temos o biscoito e o pão de farinhas mista que vai além da farinha de junca, vai a farinha da semente de abóbora (…) temos também iogurte de junca, temos a geleia da vinagreira tanto da folha quanto do cálice, fazemos também o bombom enriquecido com a farinha da junca e temos outros produtos também”, disse

Também criaram a geleia de vinagreira e, de acordo com Maria Elenilde Soares,  fizeram questão de ensinar o processo de transformação.

“A gente conseguindo passar pra eles de uma forma que eles possam aprender, também a produzir a geleia é uma forma de entrar mais uma renda também pra eles”, frisou

GANHOU DE 40

A experiência foi levada ao II Seminário Nacional de Inovação Tecnológica no fim do mês passado, concorreu com 40 projetos de pesquisa de todo o Brasil  e voltou de São Luís com o primeiro lugar.

Karlene Fernandes Almeida sintetizou a conquista – explicou quê  o que chamou a atenção dos julgadores foi o fato dos estudantes terem envolvido lavradores na pesquisa, criando resultados para eles.

“Nós implantamos uma tecnologia social, então isso chamou a atenção das pessoas e foi um dos motivos de nós termos sido contemplados com o primeiro lugar”, justificou

Por conta da premiação em São Luís, o diretor do Campus, professor José Cardoso, informou que a turma vai á Brasília a convite do MEC apresentar o mesmo projeto de expansão.

“Esse prêmio já viabilizou a participação da equipe, coordenada pelo professor Mariano, A participarem da semana de ciência e tecnologia realizada em Brasília a convite do secretário de educação tecnológica  da rede Federal”, ressaltou Cardoso

O TRABALHO CONTINUA

Além de participarem de outro evento em Brasília, de 21 a 25 de outubro, a equipe pretende continuar trabalhando. No retorno vai usar os atributos da Junça para enriquecer o macarrão, por exemplo.

“Que é uma graminha poderosa, riquíssima em proteínas, sais minerais, fibras, aminoácidos e aí a gente vai tornar um produto antes pobres, agora rico nutricionalmente e barato”, garantiu Karlene

Bárbara Macêdo – pesquisadora IFMA/Codó, completou

O que a gente quer agora é aperfeiçoar mais ainda esses produtos, elaborar esses produtos cada vez melhor como a gente tem ainda o creme de amendoim, o sorvete, elaborar mais ainda esse macarrão, aumentar esses teores de junça”

Não houve dinheiro na premiação, apenas o reconhecimento de um trabalho que está dando certo dentro e fora do Instituto Federal do Maranhão Campus Codó, por isso, destacou o coordenador do projeto,  professor Mariano Rojas, todos vão dobrar a dedicação.

 “Ele representa, basicamente, tudo aquilo que todos os institutos deveriam fazer que seria levar o ensino, a pesquisa e a extensão para as comunidades e fazer com que a formação dos nossos alunos seja integral, completa”, concluiu com alegria

Um comentário sobre “Estudantes do IFMA/Codó recebem premiação nacional por pesquisa com junça e vinagreira”

  1. Olá sou de São Luis e atualmente moro em Natal,gostaria de saber como fazer a geleia da folha da vinagreira,faço gastronomia e não to conseguindo ,na matéria eles dizem q vão ensinar,mas não vi

Deixe um comentário