“Eu sou grato ao povo codoense”, diz Waldir Maranhão

Waldir, Paulinho e amigos
Waldir, Paulinho e amigos

O deputado federal reeleito Waldir Maranhão esteve na tarde do último sábado (6) numa descontraída reunião com amigos  codoenses, reunião esta organizada por aquele à quem chamou de ‘filho político’, Paulinho Baião.

Debaixo de árvores, um almoço foi preparado, na sede social da Associação Atlética Banco do Brasil, para recepcioná-lo. O deputado, em discurso rápido, falou de sua gratidão aos codoenses por ajudá-lo em sua  recondução ao Congresso Nacional.

“Gratidão é algo que todos nós, seres humanos, devemos guardar em nossos corações. Eu sou grato ao povo do Maranhão, eu sou grato ao povo codoense que mais uma vez me deu a oportunidade de ser o seu representante no Congresso Nacional”, frisou

SOBRE O MARANHÃO

Em entrevista ao blog, tratou das condições sociais do Estado do Maranhão, lembrando de desafios como o analfabetismo e a miséria extrema que ainda atingem milhares de maranhenses.

“É impossível convivermos com 21% de analfabetos neste Estado, 21% de analfabetos significa dizer que estas pessoas não podem acompanharem, dentro de um mundo globalizado, o ritmo de um progresso de desenvolvimento. Nós não podemos, de forma confortável, aceitarmos que temos mais de  1 milhão de pessoas que vivem abaixo da linha de miséria (…) como é que uma família pode ter qualidade de vida, como é que uma família pode educar os seus filhos, tratar da saúde, ter lazer, ter sonhos? portanto neste Estado nós temos que fazer uma grande movimentação social e fazermos um compromisso que passa também pelo engajamento das lideranças e, com toda certeza”

NOVAS PROPOSTAS

Também destacou o novo quadro político que se instalará a partir de 1º de janeiro com o governador eleito Flávio Dino (PCdoB). Disse que o caminho é priorizar a educação e mudar a prática política desenvolvida ao longo de meio século.

“Nós devemos priorizar a Educação como âncora, como sustentação de um projeto de sociedade. Fui reitor e tive a oportunidade de colocar a UEMA no sentimento popular e assim que eu venho exercendo o meu mandato”

“Mudando a prática política olhando para os excluídos, para as famílias e dizer que é possível, sim, fazer as pessoas felizes e como faremos as pessoas felizes? primeiro é ter segurança, ter paz e eliminar o sentimento de corrupção que existe hoje na página nacional”, concluiu

“MEU FILHO”

Ao fechar seu raciocínio reportou-se aos codoenses novamente e fez uma saudação, pra lá de especial, àquele que o acolheu por aqui.

“Movido por isso que eu venho à Codó dar um abraço nos codoenses e, em particular, em meu amigo, irmão e eu posso até dizer, no melhor dos sentidos,  o meu filho político, companheiro Paulinho Baião”

2 comentários sobre ““Eu sou grato ao povo codoense”, diz Waldir Maranhão”

  1. ESPERO QUE VC REALMENTE AJUDE CODÓ WALDIR COMO ESTA PROMETENDO!!!
    MAIS AJUDE MESMO.. NÃO SEJA APENAS UM PERIQUITO DE PROVEITOS POLÍTICOS PARA BENEFICIAR O PAULIM!!

Deixe uma resposta