Governo do Estado vai fechar três escolas em Codó e pais enfrentam dificuldades para matricular os filhos

Escola Reitor Ribamar Carvalho

A luta por uma vaga nas escolas da rede estadual começou com muitas decepções. Dona Maria Francisca Magalhaes nos mostrou como passou a noite na porta do João Ribeiro, sentada numa cadeira de plástico, para matricular o filho que vai fazer a quinta série do ensino fundamental. Apesar da noite não dormida, não conseguiu ter êxito.

Fui lá fazer a matrícula dele e ela falou que não pega (…)POR QUE PASSOU TODA A NOITE? Porque são poucas vagas e tem que passar a noite esperando, porque se vir seis horas, sete horas você não consegue ”, respondeu

Além da falta de vagas, três escolas da rede estadual que ofereciam ensino médio vão deixar de funcionar este ano: reitor Ribamar Carvalho na Trizidela, João Ribeiro e Raimundo Muniz Bayma, na rua César Brandão. Só onde a professora, Clélia Maria Mota é a gestora, na Trizidela, 400 estudantes terão que se readequar em outras quatro escolas do Estado para não ficarem fora da sala de aula em 2012.

Foi repassado pra gente que esses alunos seriam direcionados pra outras escolas, quatro escolas que irão funcionar com ensino médio…QUAIS SÃO? Matta Roma, Lúcia Bayma, Renè Bayma e Colares Moreira”, disse a gestora

PAIS DESESPERADOS

Pais de todos os bairros atingidos pela mudança estão reclamando, quem conseguir vaga vai ter que estudar mais longe. No São Raimundo, Trizidela, área da reitor Ribamar Carvalho, seu Luís Cardoso não se conforma.

“Na voz do município e da população eu acho que aqui merecia uma escola como o reitor porque tem muita gente merece, esse bairro é um bairro evoluído só de gente carente”, argumentou ele na frente de uma diretora

E AS VAGAS?

Outro problema enfrentado pelos pais é a falta de informação ou informações que não se concretizam quando chegam aos locais que deveriam solucionar de vez a falta de vagas. Escolas para onde os alunos estão sendo encaminhados estão estabelecendo seu próprio método de aceitar a matrícula porque já havia lotação máxima. No Matta Roma, por exemplo, segundo alguns pais, só entra se passar no teste de aceitação.

Por causa deste problema dona Raimunda já sabe que terá dificuldade de matricular a filha na escola para onde foi indicada e ela teme vê-la perder o ano.

Pessoal do Matta Roma não vai sair de lá pr dá vaga pra ninguém e lá diz que tá cheio…A SENHORA ESTÁ COM MEDO? De minha filha perder o ano, sem estudar (…) TÁ SEM SABER O QUE FAZER? Sem saber o que fazer, bando de papel na mão sem saber onde minha filha vai estudar”, respondeu irritada

A gestora regional de Educação, Raimunda Rosa, está viajando, sua substituta, professora Sônia, como a identificaram, quando a encontramos estava ocupada e mandou dizer que só poderia falar conosco noutro horário.

Deixe uma resposta