Greve dos bancários já atinge cotidiano dos clientes codoenses

Os efeitos da greve dos bancários já alcançaram os clientes de Codó e bateu à porta de Lindonaldo Ferreira bem cedo. Ele foi à uma agência tentar compensar um cheque, saiu apenas com uma previsão estipulada por ele mesmo do fim de seu problema.

“Daqui uns 20 , 30 dias que a gente não sabe quanto é a previsão dos bancos  terminar a greve, então vai ser complicado se eu depositar porque eu vou perder tempo, enquanto eu posso tá negociando com o cliente, com o dono do cheque…NESTE MOMENTO VOCÊ JÁ TÁ PREJUDICADO? Com certeza”, disse o agente de endemias

Os caixas eletrônicos ainda estão abastecidos, mas o professor João Barroso reclamou porque nem todas as pessoas conseguem resolver outras coisas utilizando estes terminais.

 “Deixa a pessoa mais preocupada, por exemplo, você tem um boleto que vence aí você quer adentar no banco para que possa ser corrigido o juro, você não consegue, isso deixa a gente em situação muito, muito difícil. Pelo menos as pessoas que têm um certo esclarecimento pra utilizar os caixas eletrônicos e quem não tem esse esclarecimento?”

O Itaú, no primeiro dia de greve, era o único que estava atendendo ‘por contingência’, ou seja, entrava um grupo, atendia, e liberava.

Dona  Maria do Carmo de Matos Brito, só queria aproveitar o funcionamento reduzido da agência para receber um novo cartão magnético.

 “Vai demorar demais, oh tanto de povo aí”, disse

Encontramos a lavradora Maria de Jesus  com duas crianças de colo no sol depois de duas horas de espera pela chance de entrar e receber um auxílio-maternidade.

 “E as crianças tão todas duas chorando e nada…TEM ESPERANÇA DE RESOLVER AINDA? Tenho esperança de conseguir receber meu dinheiro”, reclamou ela sendo atendida depois da entrevista

Os bancários estão reivindicando reajuste salarial em todo o país, por aqui a paralisação dos serviços já conseguiu bastante  insatisfação. “Não resolve nada, só resolve o problema do bolso dos gerentes e dos funcionários (…) pra nós não resolve nada, é mais uma coisa nojenta que acontece em Codó”, reclamou o lavrador João Queiroz

5 comentários sobre “Greve dos bancários já atinge cotidiano dos clientes codoenses”

  1. Em dia normal de funcionamento, esse banco do Brasil já é péssimo; e agora essa greve pra terminar de lascar com os cliente dele. Eita povo sofrido. Uma vergonha, considerando o quanto o cliente paga por ter uma conta bancária.

    1. MARIA JESUS A CATEGORIA DOS BANCÁRIOS SÓ ESTÃO REINVINDICANDO UM DIREITO DELES, ISSO PORQUE SÃO ORGANIZADOS E TEM UM SINDICATO FORTE. NÃO OS CRITICO E DESEJO MUITA BOA SORTE PARA ELES, POIS ESTUDARAM PARA OCUPAREM TAIS EMPREGOS.
      SOU SIM, CLIENTE DO BANDO DO BRASIL, POIS RECEBO MEUS PROVENTOS POR ESSE BANCO, NO ENTANTO, RESOLVO TUDO PELO APLICATIVO DO MEU CELULAR SEM PRECISAR ESPERAR EM LONGAS FILAS NOS BANCOS. DETALHE, SOU FUNCIONÁRIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO. ENTÃO MARIA JESUS DEIXA DE SER BURRA E APRENDE A UTILIZAR AS FERRAMENTAS ALTERNATIVAS QUE OS BANCOS OFERECEM, E QUANDO VOCÊ APRENDER VAI RECLAMAR MENOS

Deixe uma resposta