HISTÓRIA: União Artística e Operária Codoense comemora 80 anos de fundação

Missa dos 80 anos da União Artística Operária Codó

Hoje pela manhã a União Artística e Operária Codoense comemorou 80 anos de fundação com uma missa celebrada pelo padre José Pelegrinni. Participaram sócios e demais religiosos, entre estes o escritor codoense João Bastista Machado.

O blogdoacelio conversou com o atual presidente, Hildelano José de Sousa Lima, há 12 anos a frente da sociedade que foi criada em 1932 pelo pedreiro Abdias Antonio dos Santos e pelo barbeiro Luiz Gonzaga de Sousa, tio de seu Hildelano.

A HISTÓRIA

Contou o presidente que seu Abdias Antonio foi à uma festa realizada na União Artística de Caxias, voltou encantado com a receptividade e com a organização do clube que agregava a classe operária daquela município.

“Seu Abdias, que era pedreiro, foi à Caxias numa festa grande, e lá vendo a recepção que foi feita não só pra ele, mas para os demais que lá estavam, pedreiro, carpinteiro, barbeiro e outros operários, ele chegou aqui empolgado do que viu”, contou

Ao chegar à Codó, procurou o barbeiro Luiz Gonzaga.

Hildelano José de Sousa Lima

“Ele chamou meu tio que era barbeiro, Luiz Gonzaga de Sousa, e deu a ideia pra ele. Ele se empolgou com a ideia e, imediatamente, começaram a cogitar a ideia de fundar a sociedade, fizeram arrecadações e fundaram a sociedade, daí o surgimento da União, em 1932. Não aqui nesse local, aqui já foi em 1935”, lembrou

CAIXÃO DE BURITI

Mas também existe a versão de que a União teria sido criada para atender á uma necessidade da classe que era enterrada em caixões de Buriti.

“Naquela época um operário ser enterrado em caixão de buriti, eles acharam que era muito ridículo, então a sociedade foi criada por ele, primeiro pelo que aconteceu em Caxias, e até pra dar um enterro mais digno pro sócio”, explicou Hildelano

ATUALIDADE

Atualmente a União Artística e Operária Codoense tem cerca de 500 sócios aposentados, espalhado por todo o Brasil, 70 efetivos apenas. Hildelano reclamou-se da falta de renovação do quadro de sócios e disse que gostaria de ver a União, literalmente, rejuvenecida.

“Só complementando, você não ver o ingresso de nenhum jovem na sociedade, ninguém quer ser sócio…O SENHOR GOSTARIA DE VER ESTA RENOVAÇÃO? eu gostaria de ver, gostaria de ir pro rádio ou televisão pra falar sobre a União, se não voltasse no caráter como ela começou, mas que voltasse com outra roupagem, ou seja o sócio família, como estas sociedades modernas já fazem”, frisou

Deixe uma resposta