HPV – Vigilância Epidemiológica já começou a vacinação de 4.013 meninas em Codó

A equipe da Vigilância Epidemiológica preenche uma ficha com todos os dados da menina vacinada e até da família dela. O Ministério da Saúde quer saber tudo dentro de cada município, segundo a técnica de enfermagem Arlete Trindade de Sousa

O nome do aluno, o nome da mãe, o endereço, lote da vacina, nome do laboratório, a data em que estamos administrando a vacina, esse cuidado é o nosso respaldo e também a gente tem que informar para o Ministério”, explicou

NAS ESCOLAS

Em Codó, as vacinadoras estão indo às escolas públicas e particulares, o que tem agradado à todos. Na opinião da diretora, Sônia Pinheiro, onde 18 meninas entre 11 e 13 anos foram imunizadas,  isso estimula a participação.

Muitos dos pais trabalham, não têm tempo de levar o filho até o posto de saúde e até porque também juntas com as outras colegas é um incentivo para elas estarem tomando esta vacina, então, assim é muito importante que a saúde venha até a escola”, justificou a diretora da Santa Filomena

 A META

A Vigilância Epidemiológica terá que vacinar 4.013 meninas até o fim da campanha contra o HPV, vírus que pode causa câncer do colo do útero no futuro, e, pelo menos até agora, tem até se surpreendido com a vontade de participar daquelas que estão dentro da faixa etária de vacinação.

Na que escola que visitamos ontem (12) isso decorreu da conscientização que meninas como Ana Carolina Duailibe, de 12 anos,  receberam em casa, da própria mãe.

Foi minha mãe  que me alertou da prevenção do Câncer do colo do útero que é muito importante para pessoas da nossa idade, primeiro ela falou que no tempo dela não havia isso, que era muito importante a gente se prevenir”

A coordenadora de Vigilância Epidemiológica, enfermeira Karen Cruz, explicou que a campanha vai continuar de escola em escola até o fim do mês de março.

Já na segunda dose, prevista para setembro,  as meninas não serão mais visitadas nos colégios, terão que se dirigir, exclusivamente, aos postos.

 “Elas terão que procurar o posto, vai ser logo na primeira semana de setembro, a segunda dose da vacina”, frisou

Karen explicou também que a partir desta quinta-feira (13) vai disponibilizar algumas doses da vacina nos postos de saúde da cidade para aquelas meninas que não forem, por alguma razão, encontradas em suas escolas.

Deixe uma resposta