Leitor divulga valores de convênios para esgoto e poço artesiano em Timbiras

A título de informação a postagem de um leitor de Timbiras, em matéria sobre alagamento do centro da cidade, foi bastante interessante. Veja as finalidades de cada repasse (chamado OBJETO) e quanto foi repassado ao município de 2009 à 2013.  Fabrízio, por exemplo, ainda recebeu no primeiro mês de seu mandado R$ 250.000,0 do Ministério da Saúde para concluir um Sistema de Esgotamento Sanitário. Leia abaixo na íntegra:

“Este é um dos recursos para esgotamento sanitário em residências rurais. Nada para desaguar esse problema no centro.

Detalhes do Convênio
Número do Convênio SIAFI: 669527
Situação: Adimplente
Nº Original: TC/PAC 0534/11
Objeto do Convênio: SISTEMA DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO – MSD.
Orgão Superior: MINISTERIO DA SAUDE
Concedente: FUNDACAO NACIONAL DE SAUDE – DF
Convenente: MUNICIPIO DE TIMBIRAS
Valor Convênio: 500.000,00
Valor Liberado: 500.000,00
Publicação: 29/12/2011
Início da Vigência: 21/12/2011
Fim da Vigência: 21/12/2013
Valor Contrapartida: 0,00
Data Última Liberação: 24/01/2013
Valor Última Liberação: 250.000,00

Este outro é para um poço no Povoado Marajá que o ex-prefeito não quis executar e foi anulado. No entanto, ele ainda posa de bom moço pra comunidade.

Número do Convênio SIAFI: 717286
Situação: Anulado
Nº Original: 00120/2009
Objeto do Convênio: Construcao de um sistema simplificado de abastecimento de agua na localidade Maraja, contemplado com recurso destinado pelo Dep. Federal Domingos Dutra.
Orgão Superior: MINISTERIO DA SAUDE
Concedente: MS-FUNDACAO NACIONAL DE SAUDE/DF
Convenente: MUNICIPIO DE TIMBIRAS – PREFEITURA MUNICIPAL
Valor Convênio: 150.000,00
Valor Liberado: 0,00
Publicação: 20/01/2010
Início da Vigência: 31/12/2009
Fim da Vigência: 31/12/2010
Valor Contrapartida: 3.061,22
Data Última Liberação:
Valor Última Liberação: 0,00″

3 comentários sobre “Leitor divulga valores de convênios para esgoto e poço artesiano em Timbiras”

  1. Não é pra mudar o foco. É pra manter o foco. A educação não é o único problema que a população enfrenta. Vamos olhar a cidade de forma geral e buscar construir um debate útil, que venham ser resolvidos os gargalos da cidade. Veja que os funcionários tem seus problemas de salários cortados, reajustados ou atrasados, que estes mesmo funcionários também vão ao mercado comprar comida e deparam-se com aquele esgoto da rodoviária circulando nas vias públicas, a céu aberto. Ele vai pra seu trabalho nas escolas da zona rural e tem uma ou mais pontes derrubadas, sem prazo pra conclusão da obra; Tem medo de comprar uma moto ou um carro pra ir ao seu trabalho ou lazer, pois não se sente seguro em sua cidade. Então, não é mudar o foco, é integrar as causas e, fazer as mudanças que são necessárias. Não adianta atuar nesse corporativismo classista e, pensar que, tudo se resume em um salário que o Prefeito tão cedo conseguirá adequar. Boa leitura.

Deixe uma resposta