Movimentação por criação de novos blocos aumenta na Assembleia Legislativa

A criação de um novo bloco parlamentar deve alterar o equilíbrio de forças na Assembleia Legislativa do Maranhão. Faltando menos de um mês para o início da sessão legislativa de 2014, marcado para o dia 3 de fevereiro, deputados de pelo menos cinco partidos se articulam para tentar novas composições em plenário. Se confirmadas as trocas, desfaz-se uma composição que estava em vigor desde fevereiro do ano passado e será a terceira diferente só na atual legislatura.

Assembleia Legislativa do  MA
Assembleia Legislativa do MA

Segundo apurou O Estado, a principal movimentação pode fazer diminuir o Bloco Parlamentar pelo Maranhão (BPM), o “Blocão”, maior da Casa e liderado pelo deputado Roberto Costa (PMDB).

Os dois deputados do Democratas, César Pies, que é o atual líder do Governo, e Antônio Pereira, devem deixar o bloco para se juntar aos colegas de PSC, PTN e PSL. Com sete membros, esta já seria a segunda maior composição da Assembleia, atrás apenas do próprio “Blocão”, que, mesmo com os dois membros (democratas) a menos, ainda seria o maior, com oito deputados.

Pelo acordo que está sendo costurado, integrarão este bloco, ainda, Alexandre Almeida (PTN), que pode ser o líder da nova bancada, Rogério Cafeteira e Léo Cunha, do PSC, e Edson Araújo e Graça Paz, do PSL.

Apesar da movimentação, Roberto Costa disse não acreditar que as mudanças se concretizem e que seu bloco fique menor. Ele disse estar acompanhado o caso, mas “sem preocupação”. Para o peemedebista, as notícias que surgem atualmente sobre essas alterações fazem parte do jogo político.”Nós estamos sabendo da movimentação e estamos acompanhando. Mas sinceramente não acredito que haja essas mudanças todas. Isso faz parte do jogo político, todo mundo tenta se valorizar”, declarou.

Disputa – Apesar de o PSL estar praticamente fechado com o novo grupo de deputados, membros do Bloco da União Democrática (BUD), o “Bloquinho”, ainda tentam cooptá-lo, também de acordo com interlocutores de O Estado, na Assembleia.

A ideia é usar a proximidade do líder do bloco, deputado Marcos Caldas (PRP), com dirigentes do partido, para convencer Graça Paz e Edson Araújo a juntarem-se ao que seria, então, juntamente com o BPM, o maior bloco parlamentar da Casa.

Caldas, entretanto, aponta empecilhos para essa composição. “Nosso bloco é Governo, mas se posiciona com independência em muitos assuntos e nós não teríamos como exigir isso da deputada Graça Paz, já que ela tem o marido [Clodomir Paz] como secretário da governadora Roseana Sarney”, afirmou.

Apesar disso, ele garante que o bloco está buscando novos membros e não quis adiantar nomes porque acredita que ainda falta muito tempo para o início da sessão legislativa e outros partidos poderiam se antecipar.

“Nosso bloco continua unido e estamos tentando crescer. Ainda não podemos adiantar nada, porque está muito longe do início dos trabalhos. Acredito que tudo se resolva mesmo apenas depois do dia 25, então teremos uma posição mais concreta”, completou.

Blocão pode ser reduzido pela metade em 2014

Formado por 16 deputados no início da atual Legislatura, em 2011, o Bloco Parlamentar Pelo Maranhão (BPM), Blocão, pode iniciar a sessão legislativa de 2014, a última deste ciclo, com metade do número de membros.

Se confirmadas as saídas dos democratas César Pires e Antônio Pereira para uma composição com PSC, PTN e PSL, o BPM ficará com apenas oito membros, exatamente 50% do que tinha há três anos. A grande baixa da bancada ocorreu no início do ano passado, quando foi oficializada a criação de dois novos blocos na Casa. Na ocasião, os deputados do Partido Verde comunicaram desligamento do Blocão, que só ali perdia quatro componentes.

Atualmente, ainda sem contar com as prováveis saídas, o Bloco Parlamentar Pelo Maranhão é composto por PMDB, DEM, PTB, PTdoB e PSD.

O Partido Verde, que deixou o Blocão em 2012, é quem detém a maior bancada independente no Parlamento, com quatro membros. A legenda é liderada pelo deputado Edilázio Júnior na Casa.

Já o PSD, que tinha bancada superior à do PV, acabou sendo esvaziado com as saídas de cinco parlamentares. Apenas o deputado Carlos Alberto Milhomem permanece na sigla. O PMDB, por sua vez, apesar de estar integrado a um bloco parlamentar, é o partido com o maior número de representantes com seis membros.

Por Gilberto Léda

LEIA MAIS na edição de hoje do Jornal O Estado do Maranhão

Deixe uma resposta