NEM O MEL, NEM A CABAÇA: Chaguinha não quis salário de secretário (R$ 11.928,00) e o de vereador (R$ 6.076,00) NÃO SAIU

O vereador Chaguinha da Câmara está num beco sem saída por causa de uma opção que fez ao se desvincular do cargo de vereador para assumir o de secretário municipal de Esportes.

Segundo nos foi confirmado pelo próprio prefeito da cidade, Francisco Nagib (PDT), Chaguinha, de maneira voluntária, escolheu continuar recebendo o salário de vereador (R$ 6.078,86) e NÃO o de secretário de Esportes,  que é de R$ 11.928,00 (valor antes do projeto de corte de 20%).

O motivo da escolha não nos foi explicada.

Mas quando chegou na data de passar o cartão pra sacar seus proventos,  a conta-salário de vereador tava, e assim continua, zerada. Nem o mel, nem a cabaça.

Ainda não há decisão favorável ou desfavorável, mas Chaguinha já entrou ontem, 26, na Justiça, por meio de um MANDADO DE SEGURANÇA, para garantir que o presidente da Câmara pague seu salário.

Eu fiz contato com o presidente da Câmara, Expedito Carneiro, solicitando um posicionamento oficial sobre este assunto.

Pelo que sua assessoria jurídica preparou, Chaguinha continuará de bolso seco.

VEJA ABAIXO A ÍNTEGRA DA RESPOSTA DO PRESIDENTE DA CÂMARA:

Prezado Acelio, em que pese a previsão regimental, o vereador Chaguinha da Câmara é ciente das dificuldades financeiras da Câmara Municipal de Codó.

A situação está mais grave atualmente, sobretudo após o boicote nos repasses mensais, realizado pelo prefeito municipal, atual empregador do vereador Chaguinha.

Tal pretensão só iria trazer mais prejuízo ainda a Câmara que já está inviabilizada de honrar com seus compromissos, a atitude do edil chega a ser ofensiva, até porque o salário de Secretário Municipal é superior ao de vereador, o que revela nítida intensão de onerar ainda mais a folha de pagamento, haja vista que o respectivo suplente faz jus ao salário quando no exercício da vereança.

Aliás, em recente decisão, o Tribunal de Justiça do Estado do Maranhão determinou que o prefeito se abstenha de contingenciar os repasses da Câmara, o que vem sendo deliberadamente descumprido.

O que mais pretende o atual prefeito para perseguir este Parlamento? Convocar todos os vereadores de situação a assumir cargos na prefeitura para convocar os suplentes e onerar os gastos da Câmara?

Quanto à gestão das finanças da Câmara Municipal de Codó, não há qualquer ilegalidade. Eu, enquanto Presidente desta casa venho trabalhando com seriedade, sobretudo respeitando as determinações legais e as limitações às despesas com folha de pagamento.

Agradeço ao Blog do Acelio que, de forma justa e equitativa, abriu espaço ao lado adverso, possibilitando o direito de defesa.

5 comentários sobre “NEM O MEL, NEM A CABAÇA: Chaguinha não quis salário de secretário (R$ 11.928,00) e o de vereador (R$ 6.076,00) NÃO SAIU”

  1. AS TRAMÓIAS DA POLITICA CODOENSE:

    Quem participou da campanha política que levou o empresário Francisco Nagib para a Prefeitura de Codó tinha a esperança de ver uma administração diferente em Codó. Com a instalação do Gabinete de transição alguns fatos foram marcantes para que mudanças significativas ocorresse. A primeira delas foi o enxugamento da máquina. De 16 Secretarias existentes, passamos pra 8. A figura do Sub Secretário desapareceu do cenário. Um arrocho nos salários para poder economizar. No decorrer da administração a redução de salários de comissionados em razão da redução da receita. O que se ouvia muito era a frase vamos cumprir a lei. A população PENSOU que a mudança viria. Nada de pessoas recebendo dinheiro sem trabalhar e outras magnatas herdadas de governos anteriores. No inicio da Administracao atual dos 17 Vereadores, 15 FAZIAM parte da base do Governo. Passado o tempo e com uma crise de envergadura nacional, com a intenção de continuar no governo, descobriram a pólvora. Resolveram voltar a velha política e os planos de meses de trabalho foram simplesmente rasgados e chegaram a conclusão que o ideal mesmo eram as 16 Secretarias para abrigar outros parceiros. Está Secretaria de Esportes é um exemplo daquilo que não deveria acontecer e aconteceu. Mudanças pra que. Cumpri a lei porque. Temos que ganhar as eleições que estão se aproximando. Desta forma aquela esperança de que ocorreriam mudanças foi tudo por água abaixo. AS mesmas caras estão aí se apresentando como os salvadores da pátria. A volta da velha política é dando que se recebe está de volta. O Codó está se comportando como caranguejo – andando pra trás. É lamentável. Difícil de acreditar.

  2. Vamos dar uma explicacao para os leigos sobre o que esta acontecendo na Camara Municipal. O repasse feito pela Prefeitura Municipal para a Camara Municipal no caso de Codó nao pode ultrapassar a sete por cento da receita efetivamente arrecadada no ano anterior.
    A Prefeitura vinha fazendo esse repasse normalmente. De repente o INSS bloqueia os recursos da Prefeitura em razão de um débito da Camara que chega a um milhao de reais oriundo de INSS que a administracao anterior da Câmara não pagou.
    A Prefeitura pagou a conta e cobrou da Câmara de forma até amigável. Parcelou em doze meses e todo mes desconta uma parcela.
    Porque isso? Porque se o Prefeito nao fizesse isso o seu mandato poderia ser perfido por Improbidade Administrativa.
    O Presidente atual ao inves de cobrar a divida que foi feita pelo Presidente anterior, que hoje aparece no grupo LIBERTA CODÓ, ao invés de cobrar partiu pra cima di Prefeito.
    Com a retirada todo mes de quase noventa mil do repasse, o atual Presidente ficou sem fôlego e a boca esquentou. Com a saida doVereador para ser Secretario e que optou pelo salario de Vereador, e tendo que pagar o suplente Salazar que entrou no lugar ai o bicho pegou.
    Se o Prefeito repassar mais de sete por cento ele perde o mandato e o Presidente da Camara tambem.
    Entao estamos naquele finalmente de SE CORRER O BICHO PEGA E SE FICAR O BICHO COME. Salve- se quem pudet e cobrem a conta de quem desviou o dinheiro.

  3. Seu Riba voce deu uma aula. Agora entendi a coisa. A Prefeitura foi quem pagou a conta do INSS da Camara que nao foi pago. Quem ficou com este dinheiro? Agora estou curioso.

  4. A COINCIDENCIA:

    O fato ocorrido na Câmara Municipal em razão do não recolhimento de INSS por parte do Presidente anterior, também aconteceu de forma mais acentuada no SAAE onde o rombo foi maior SEGUNDO levantamento apresentado pelo Diretor que assumiu o órgão. Câmara e SAAE foram usados de forma imoral pelo cidadão que faz parte deste grupo LIBERTA CODÓ e ainda aparece na mídia fazendo campanha antecipada. Porque a impunidade imperou nestes dois casos. … de dinheiro público é crime e quem o faz vai pra ou devia ir pra .

Deixe um comentário